Executivo defendeu sua equipe, pediu liberdade de expressão para a indústria do entretenimento e saudou quem viu o filme "A Entrevista" nas festas de final de ano

Cartaz de The Interview, com Seth Rogen e James Franco
Divulgação
Cartaz de The Interview, com Seth Rogen e James Franco

Na noite de segunda-feira (5), o CEO da Sony, Kazuo "Kaz" Hirai aproveitou a audiência do evento da empresa que comanda para defender os funcionários. No início de dezembro, o braço de cinema da Sony, a Sony Pictures, sofreu um enorme ataque hacker que culminou no vazamento de e-mails de executivos, filmes em produção e no cancelamento temporário do lançamento do filme "A Entrevista".

Hirai disse que estava orgulhoso da sua equipe, que resistiu bravamente às chantagens dos responsáveis pelos vazamentos, e que foram as verdadeiras vitimas desse episódio.

O executivo também agradeceu ao público que viu o filme “A Entrevista”, lançado no final do ano em vários serviços, e aos parceiros que exibiram a comédia apesar das ameaças da Coreia do Norte. Hirai conclui dizendo que é preciso defender a liberdade de expressão, inclusive da indústria de entretenimento.

Desde o início dos ataques hackers, a Coreia do Norte nega que tenha envolvimento no episódio, mas sempre se mostrou contra o lançamento do filme sobre uma conspiração para assassinar o líder Kim Jong-Un. Na trama, a agência de inteligência americana, CIA, recruta uma dupla de jornalistas (James Franco e Seth Rogen) para assassinar o líder coreano.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.