Equipe de fãs de tecnologia da BBC se perdeu num deserto do Marrocos para tentar se conectar à internet por menos de US$ 2.250 (cerca de R$ 6 mil). Veja o que eles descobriram

BBC

Equipe da BBC foi a deserto no Marrocos para testar conexões a internet
BBC
Equipe da BBC foi a deserto no Marrocos para testar conexões a internet

Nos últimos anos, a tecnologia de satélite possibilitou a comunicação em áreas remotas mas, muitas vezes, o custo dos equipamentos e as taxas de chamadas tornavam a operação muito cara.

Com o tempo e o avanço da tecnologia, estes custos foram reduzidos, embora ainda não estejam disponíveis para qualquer bolso.

Essas tecnologias podem atrair consumidores que passam muito tempo em áreas sem cobertura e pequenas ONGs que trabalham em áreas remotas e de desastre, já que permitem canais de comunicação e mobilidade de seus funcionários.

Uma equipe de fãs de tecnologia da BBC se perdeu num deserto do Marrocos para tentar se conectar à internet por menos de US$ 2.250 (cerca de R$ 6 mil). Veja o que eles descobriram.

O iSavi é, provavelmente, a menor antena parabólica do mundo - mede 17,9 x 17 x 3 cm
BBC
O iSavi é, provavelmente, a menor antena parabólica do mundo - mede 17,9 x 17 x 3 cm

Mini-antena de satélite - cerca de US$ 1.150

O iSavi, da Inmarsat, é, provavelmente, a menor antena parabólica do mundo. O equipamento não funciona bem em movimento, por isso deve ser colocado sobre uma superfície firme.

O dispositivo se conectaao satélite da rede Inmarsat diretamente acima, permitindo o uso da internet através de um aplicativo no celular para enviar mensagens de texto e fazer chamadas usando qualquer smartphone. É possível também criar uma rede wi-fi, que atinje um raio de 30 m.

Nick Whitehead, líder de comunicações por satélite da Inmarsat, disse à BBC que este dispositivo fornece uma conexão de dados de 200 a 300 kilobytes, que não permite a reprodução de vídeos mas possibilita a navegação na internet.

Uma vez que o dispositivo esteja corretamente orientado, um aplicativo no telefone ajuda a estabelecer a ligação via satélite.

O custo deste equipamento está começando a baixar: falar por telefone custa cerca de US$ 0,90 (R$ 2,38) por minuto. Conectar-se à internet é muito mais caro, cerca de US$ 4,60 (R$ 12) por megabyte.

Apesar disso, pode ser muito mais barato do que o valor cobrado por algumas empresas de telefonia pelo roaming numa área com cobertura.

SATcase conta com botão de emergência que envia coordenadas GPS quando acionado
BBC
SATcase conta com botão de emergência que envia coordenadas GPS quando acionado

"Capa" de satélite - por US$ 1.050

Outra opção para se conectar à internet no meio do nada é a SATcase, uma capa protetora que torna qualquer telefone inteligente num "satélite". Custa cerca de US$ 1.050 - mas poupa ter que carregar dois telefones.

Funcionando como uma "capa" no telefone, você ainda tem acesso à maioria dos aplicativos, e-mails, contatos e outros apetrechos.

Esta "capa" permite que você, por exemplo, envie uma foto desde o topo do Everest. É possível usar a SATcase com um contrato anual ou um cartão pré-pago.

Outra vantagem deste dispositivo é que você pode alternar entre a conexão via satélite e de telefone, se estiver um lugar onde ela existe.

Telefones por satélite custam cerca de US$ 1 mil
BBC
Telefones por satélite custam cerca de US$ 1 mil

O dispositivo também é útil numa situação de emergência, porque tem sua própria bateria e possui um botão vermelho de emergência que, quando pressionado, envia as coordenadas GPS a alguém que possa ajudar.

Se você mantê-lo pressionado, uma mensagem de apuros é enviada.

Telefone via satélite "tradicional"

Comprar um telefone "tradicional" via satélite, como o Iridium ou o Thuraya, custa em torno de US$ 1 mil (R$ 2.263).

Além disso, há os custos de um plano mensal de chamadas. O custo por minuto é de US$ 7,79 (R$ 20,75) para chamadas para outros telefones não-satélite.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.