A armadilha traz uma imagem de um bebê recém-nascido

A armadilha traz uma imagem de um bebê recém-nascido com uma pulseirinha com a inscrição
Divulgação
A armadilha traz uma imagem de um bebê recém-nascido com uma pulseirinha com a inscrição "Je suis Charlie"

Não é novidade que criminosos cibernéticos utilizam as notícias que estão em destaque para executar programas maliciosos em seus dispositivos. A Blue Coat identificou um malware escondido em mensagens intituladas “Je suis Charlie”, slogan que viralizou após o o ataque que vitimou a equipe do periódico Charlie Hebdo em Paris, na França.

LEIA MAIS:  Hackers do Anonymous reagem a ataque em Paris

O malware em questão é o conhecido DarkComet RAT (chamado também de Fynlonski), uma ferramenta de administração remota gratuita que, pela sua facilidade de uso e variedade de características, é usado por todos os tipos de cibercriminosos.

A armadilha traz uma imagem de um bebê recém-nascido com uma pulseirinha com a inscrição "Je suis Charlie". Após infectar o sistema, o malware envia uma falsa mensagem de erro em francês para enganar o usuário, fazendo-o pensar que abriu uma versão do MovieMaker.

A mensagem reforça a impressão de que o ataque foi projetado para usuários franceses. A Blue Coat já informou as autoridades francesas da existência deste malware.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.