Microsoft prometeu nova versão do sistema operacional para o final do ano e gratuito para quem tiver Windows 7 ou 8.1

Satya Nadella, CEO da Microsoft, prometeu o Windows 10 para este ano
AP Photo/Elaine Thompson
Satya Nadella, CEO da Microsoft, prometeu o Windows 10 para este ano

Em Redmond, nos Estados Unidos, a Microsoft mostrou que está acertando o passo não apenas no seu sistema operacional, o Windows 10, o carro-chefe da companhia, mas também com o ecossistema que orbita ao seu redor.

LEIA MAIS:  ‘Homem da nuvem’ é aposta da Microsoft para recuperar mercado

Em um evento para a imprensa realizado na tarde de terça-feira (21), Satya Nadella, CEO da empresa, acompanhado de vários executivos, mostraram o futuro do Windows, tanto a curto quanto a longo prazo. No curto prazo, gratuidade para já usuários. No longo, hologramas. A próxima visualização técnica para Windows 10 no computador estará disponível gratuitamente para Windows Insiders na semana que vem, e pela primeira vez nos telefones em fevereiro. 

Previsto para chegar até o final do ano, o Windows 10 promete ser realmente multiplataforma. Ou seja, além de rodar em smartphones, tablets e, é claro, em  computadores, ele vai também funcionar no Xbox, console de videogame da empresa. Com isso, a Microsoft espera que um mesmo aplicativo funcione em todos os aparelhos de forma integrada e sincronizada. E, claro, que o desenvolvimento seja mais fácil.

Uma das novidades mais surpreendentes do Windows 10 e que comprovam uma mudança de atitude da Microsoft em relação ao seu negócio é a gratuidade do sistema para quem já é cliente. Ou seja, quando for lançado, o Windows 10 será totalmente de gratis por um ano para quem já tiver um dispositivo compatível rodando Windows 7, Windows 8.1 ou Windows Phone 8.1.

“O Windows 10 marca o início de uma era de computação mais pessoal no mundo em que os dispositivos móveis e a nuvem ocupam lugar de destaque”, disse Satya Nadella, CEO da Microsoft.

Cortana chega aos computadores, Internet Explore sai de cena

Dentre os vários recursos previstos para o Windows 10 está a chegada da Cortana aos computadors, Cortana é a asssistente pessoal da Microsoft que nasceu no sistema móvel e que funciona por comando de voz. Concorrente da Siri, a Cortana consegue assimilar as preferências do usuário para fazer recomendações relevantes, dando acesso rápido a informações e enviando lembretes. A ideia é que a interação funcione tanto por meio da fala como da digitação.

Outro destaque importante do evento é o fim cada vez mais próximo do Internet Explorer, o navegador da Microsoft, tão mal falado nos últimos anos. O Project Spartan, que ainda está em desenvolvimento, tem algumas funcionalidades já vistas em concorrentes como Google Chrome e Firefox OS, mas mesmo assim representa um avanço. Entre alguns recursos está a capacidade de anotar com o teclado ou caneta diretamente na página da web e compartilhar com amigos. O projeto também tem um modo de visualização de leitura sem distrações, que exibe o artigo de forma simplificada, além da presença da Cortana para facilitar as buscas.

O aplicativo do Xbox para Windows 10 é outra novidade e permite que jogadores e desenvolvedores acessem o melhor da rede Xbox Live, tanto no computador quanto no Xbox One. Os jogadores também poderão disputar jogos no PC, transmitidos diretamente do console para o tablet ou computador Windows 10, dentro de casa.

Internet das Coisas e dos hologramas

Segundo a Microsoft, o Windows 10 será executado em uma ampla variedade de dispositivos, desde sensores, como parte da Internet das Coisas, a servidores em data centers. Alguns dispositivos podem ter telas de 4 a 80 polegadas, enquanto outros não têm tela nenhuma. Por isso, a empresa usou o evento para apresentar dois dispositivos que permitirão aos clientes experimentar o Windows 10 de novas maneiras.

Um deles é o Surface Hub, produto que é resultado de várias inovações no hardware em tinta digital e multitoque, além de câmeras integradas, sensores e microfones. O Surface Hub oferece quadro branco digital, conferência remota instantânea, capacidade de várias pessoas compartilharem e editarem conteúdo na tela a partir de um laptop, tablet ou telefone e uma plataforma para apps de tela ampla. O Surface Hub é voltado para o mercado corporativo e deve chegar em dois tamanhos: 55 e 84 polegadas, mas sem informações de quando.

Microsoft HoloLens oferece lentes holográficas transparentes de alta definição e som espacial para que se possa ver e ouvir hologramas no mundo que o cerca
AP Photo/Elaine Thompson
Microsoft HoloLens oferece lentes holográficas transparentes de alta definição e som espacial para que se possa ver e ouvir hologramas no mundo que o cerca

A grande estrela, porém, era outra. Por ser, de acordo com a Microsoft, a primeira plataforma de computação holográfica do mundo, o Windows 10 inclui um conjunto de APIs que permite aos desenvolvedores criar experiências holográficas no mundo real. Ou seja, no Windows 10, os apps também podem funcionar como hologramas.

Para demonstrar todas essas possibilidades, a Microsoft apresentou um computador holográfico livre de fios, telefones e conexões. O Microsoft HoloLens que mais parece com um óculos como o Oculus Rift são lentes holográficas transparentes de alta definição e som espacial que permite ao usuário ver e ouvir hologramas no mundo que o cerca. Feito com sensores avançados, um sistema de última geração em um chip e uma unidade de processamento holográfico (Holographic Processing Unit, HPU), o HoloLens é capaz de funcionar sem fios enquanto processa terabytes de dados dos sensores em tempo real. Ainda em fase de protótipo e sem previsão de lançamento, mas promissor. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.