Iniciativa da Puc-RJ e de duas empresas é a primeira do tipo. Na época em que o monumento foi construído a tecnologia não estava evoluída o bastante para que um modelo fosse feito

Em parceria com duas empresas, a Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-RJ), está responsável por fazer o primeiro modelo 3D do Cristo Redentor, um dos monumentos mais importantes do Brasil e também do mundo. Fazendo uso da plataforma de aquisição de dados e dos drones da Aeryon Labs, atrelados ao software de processamento de imagem da Pix4D, a equipe obteve imagens de alta resolução da famosa estátua para, a partir daí, criar uma representação que seja não apenas fidedigna, mas também rica em detalhes. 

LEIA:  Com regulamentação próxima, drones são a verdadeira atração da CES 2015

Localizado a 700 metros de altura, no alto do Corcovado, o Cristo Redentor tem 38 metros de altura e 28 metros de largura contando com os braços abertos. Na época em que foi construído, porém, não havia tecnologia para que um modelo 3D da estátua fosse feito. Essa foi a motivação do NEXT Lab da Puc do Rio de Janeiro.

Os dados foram coletados durante seis semanas consecutivas no final de outubro. Segundo comunicado de imprensa, os principais desafios foram as condições do tempo, o vento, o horário de restrição em razão dos voos próximos e as condições de iluminação da estátua.

Ao todo, o grupo fez 3.584 imagens em 19 voos de dez minutos cada. Dessas, cerca de duas mil imagens foram convertidas em uma modelo 3D com ajuda do software Pix4Dmapper. O processo de criação do modelo foi dividido em três grandes partes, estátua, base e área circundante, e em nove projetos menores, de uniformização das imagens.

O modelo 3D final, disponível na nuvem, tem 134,4 milhões de pontos (97,6 milhões de pontos da estátua, a 30,7 milhões para a base e 6,1 milhões para os arredores) e está disponível para os futuros alunos e projetos da universidade.


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.