No MWC 2015, Google e Facebook mostram planos contrários para conectar o mundo todo a internet

Sundar Pichai, vice-presidente sênior da divisão do Android, Chrome e Apps, falou sobre os planos do Google de se tornar uma operadora durante o MWC 2015
AP Photo/Manu Fernandez
Sundar Pichai, vice-presidente sênior da divisão do Android, Chrome e Apps, falou sobre os planos do Google de se tornar uma operadora durante o MWC 2015

O primeiro dia de MWC 2015  acabou com uma contradição interessante, quase uma inversão de papeis. Enquanto Mark Zuckerberg falava do projeto Internet.org, cujo principal objetivo é levar conexão para que não tem por meio de apps com acesso gratuito a web, o Google anunciou seus planos de se tornar também uma espécie de operadora de telefonia. 

LEIA TAMBÉM:  Zuckerberg lança app para internet de graça

MAIS:  Facebook lança versão leve de aplicativo em mercados emergentes

Projeto do Facebook usará drones para conectar áreas sem acesso à internet

Vice-presidente sênior do Google, Sundar Pichai anunciou na feira em Barcelona, a maior do setor de mobilidade, os planos do Google de testar aviões-robô movidos a energia solar como torres de celular flutuantes, que poderiam levar cobertura de rede ara áreas remotas ou mesmo zonas de desastre. Na ocasião, Pichai também disse que o Projeto Loon, que utiliza balões de ar em alta altitude para fornecer cobertura em zonas rurais, continua avançado e que eles devem estar prontos para uso em larga escala em dois anos.

"Imagine uma constelação de balões e aviões juntos, que podemos unir e desta forma criar uma malha de torres flutuantes de celular. É isso que estamos tentando fazer", disse o executivo do Google. Pichai também disse que o Google estaria disposto a trabalhar em conjunto com o Facebook em projetos como o Internet.org, por exemplo, mas ressaltou as diferencas existentes entre ambos os presentes.

"Nenhuma empresa pode levar sozinha conectividade em escala para quatro bilhões de pessoas, e estamos felizes em trabalhar com o Facebook para oferecer nossos serviços de busco no Internet.org, é emocionante para mim. Dito isso, é preciso complementar que o que estamos tentando fazer é diferente. Estamos tentando prover a espinha dorsal da rede, conectibilidade física em larga escala para todo o mundo, por isso, é diferente."

IMAGENS:  Google testa Projeto Loon, de balões com internet, no Brasil


No final da tarde do primeiro dia de Mobile World Congress (2), Mark Zuckerberg dividiu com o público que lotava o espaço de conferência suas impressões sobre a internet atual e o projeto que o Facebook encabeça, o Internet.org. Com essa iniciativa, a maior rede social do mundo espera criar novos usuários em países com pouco uso ou acesso precário a internet.

Zuckerberg disse que já lançou aplicativos com serviços gratuitos e básicos em seis países: Zâmbia, Gana, Quênia, Tanzânia, Colômbia e, mais recentemente, na Índia. Segundo ele, o retorno inicial das operadoras de telecomunicações parcerias tem sido positivo, e chamou o app do Internet.org de "uma rampa de acesso" para os serviços pagos. O executivo acredita que esse acesso a serviços básicos de comunicação, saúde, educação e empregos vai ajudar as pessoas a entenderem porque elas gostariam de pagar por dados", disse Zuckerberg disse. 

CEO do Facebook, Mark Zuckerberg esteve na MWC 2015 para falar do projeto Internet.otg, lançado um ano antes na mesma feira
AP Photo/Manu Fernandez
CEO do Facebook, Mark Zuckerberg esteve na MWC 2015 para falar do projeto Internet.otg, lançado um ano antes na mesma feira

O app é personalizado para cada país e operadora, de forma a atrair novos usuários, e não prejudicar as empresas de telecomunicações que já possuem um base de clientes que pagam por dados e por alguns desses mesmos serviços. Essa é a razão pela qual o aplicativo do Internet.org não inclui o serviço de mensagens WhatsApp, por exemplo.

A verdade é que tanto Google quanto Facebook querem mais pessoas conectadas, pesquisando e clicando em anúncios. E eles estão encontrando, cada a um sua maneira, formas de fazer isso acontecer: seja com a venda de planos de dados para smartphones e redes flutuantes ligadas a aviões-robôs, seja por meio de parcerias com operadoras para fornecer acesso gratuito a serviços básicos via aplicativo. 

Mario Zanotti, vice-presidente sênior de pperações da Millicom, disse que Internet.org estava funcionando bem e ajudando os negócios da sua empresa no Paraguai. "A internet é um conceito abstrato. Precisamos trazê-lo para a terra", disse ele, que participou da conversa com o CEO do Facebook.

Com informações da AP.

*A jornalista viajou para Barcelona a convite da LG.

    Leia tudo sobre: facebook
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.