Nova família foi anunciada em janeiro de 2015 e chega ao Brasil em mais de 10 modelos de 6 fabricantes

Nesta terça-feira (31), a Intel anunciou a chegada da quinta geração da sua família de processadores Intel Core ao Brasil. Apresentada em janeiro de 2015 pelo CEO da companhia, Brian Krzanich, essa nova série irá alimentar uma nova leva de notebooks tradicionais, dispositivos 2 em 1, Ultrabooks, Chromebooks, desktops All-in-One e mini PCs para consumidores e empresas.

LEIA MAIS:  Computador pessoal fez 33 anos em 2014; conheça a história do IBM PC

Munido de números bastante positivos sobre o mercado, provenientes do IDC, David González, diretor geral da Intel no Brasil, disse que o setor vai continuar a crescer sim. A diferença é que agora os PCs não são mais de um único tipo, como eram anteriormente as torres. Hoje, o PC possui diferentes nuances: pode ser notebook, All-in-One, 2 em 1, só para citar alguns exemplos. 

Segundo a Intel, a nova geração tem 35% mais transistores e é 37% menor do que a anterior. Além disso, os gráficos 3D são até 22% melhores, a conversão de vídeos é até 50% mais rápida, a produtividade 4% melhor e a bateria capaz de durar 1,5 horas mais.

O lançamento da 5ª Geração da tecnologia Intel Core traz 14 novos processadores, incluindo 10 processadores de 15W com a Intel HD Graphics e quatro de 28W com a Intel Iris Graphics, que proporcionam melhores experiências para o usuário. Além destes, novos processadores Intel Pentium também integram a família.

Fabricantes como Acer, Dell, HP, Lenovo, LG e Samsung deverão colocar no mercado produtos equipados com a nova família durante os próximos meses. Alguns deles já começaram a chegar ao varejo brasileiro em março de 2015.


Os novos processadores são mais eficientes no consumo de energia – usam 15% menos energia que processadores da geração anterior. Com a microarquitetura chamada Broadwell, que utiliza um processo de manufatura de 14 nanômetro, os computadores equipados com os novos processadores podem abrir mão das ventoinhas para refrigeração, já que o consumo é de aproximadamente 15 Watts.

Além disso, de acordo com a Intel, os processadores são “livres de conflitos”, o que significa que os produtos não contêm minerais (estanho, tântalo, tungstênio e/ou ouro) provenientes de regiões com conflitos que direta ou indiretamente financiam ou beneficiam grupos armados da República Popular do Congo (RPC) ou países vizinhos.

Outra novidade trazida pela quinta geração é a visão para uma experiência sem fios. O Intel Wireless Display (WiDi) v.5.1 e o docking station WiGig wireless fornecem aos usuários mais controle sobre a sua experiência ao permitir que eles processem e compartilhem praticamente de qualquer lugar sem a confusão dos fios e cabos.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.