A ação busca uma indenização da Apple, e da dupla de designers da Craig & Karl, um dos autores da campanha

AP

Stay Wild: Apple's Start Something New from thayer gowdy on Vimeo .

O artista Romero Britto está processando a Apple e uma empresa de design em um tribunal federal dos Estados Unidos. O brasileiro acusa as empresas de abusar da sua mistura de cores e do seu distinto estilo em suas campanhas de marketing.

A ação busca uma indenização não especificada em termos de valores da Apple, empresa com sede na Califórnia, na cidade de Cupertino, e da dupla de designers Craig Redman, de Nova York, e Karl Maier, de Londres, cuja empresa chama-se Craig & Karl.

A ação de Britto, apresentado na semana passada em um tribunal federal de Miami pela empresa do artista, com sede em Miami Beach, a Britto Central Inc., faz uma série de reivindicações, incluindo a violação de direitos autorais e concorrência desleal. Ele também pede que o juiz distrital Kathleen Williams, designado para o caso, detenha o tal desvio de imagens de Britto.

LEIA MAIS:  SanDisk lança pen drive de R$ 899 e edição com arte de Romero Britto

A campanha de marketing "Start Something New", da Apple, foi citada na ação como um exemplo recente de uso indevido da arte de Britto. Uma imagem de uma mão estendida com desenhos coloridos que fluem de um dedo foi feita, foi licenciada da Craig & Karl pela Apple.

Funcionários da Apple não quiseram comentar o assunto nesta segunda-feira (13). O porta-voz da Craig & Karl, Stevie King chamou o processo de "totalmente sem mérito" e disse que a dupla iria responder mais detalhadamente sobre mais tarde.

Romero Britto ao lado de Dilma Rousseff
Reprodução
Romero Britto ao lado de Dilma Rousseff

Britto, cujo estúdio e galeria em Miami Beach é próxima de uma loja da Apple, tem acordos de licenciamento para a sua arte com inúmeras empresas e outras entidades que vão de Coca-Cola para a Mattel, até a organização de futebol FIFA.

Depois de investigar a origem da imagem da Apple, de acordo com o processo, os advogados de Britto notaram semelhanças aparentes entre o trabalho da Craig & Karl e os de Britto. Mesmo que uma imagem não seja uma cópia exata, os advogados de Britto alegam quem o uso das cores brilhantes e dos padrões de repetição da arte de Romero Britto são tão distindas que as imitações são percebidas imediatamente como se fossem um trabalho do próprio brasileiro.

"Esta combinação específica de elementos visuais, quando tomado em sua totalidade, cria uma impressão visual de conjunto distintivo que é exclusivamente do Britto", diz a ação judicial.

Na verdade, quando a campanha da Apple "começar algo novo" apareceu, Britto recebeu mensagens parabenizando-o, de forma incorreta, pelo que parecia ser um novo negócio com a Apple. Alguns de seus parceiros existentes expressaram "consternação" sobre a suposta parceria, de acordo com a ação judicial.

Grande parte da ação judicial, no entanto, concentra-se em numerosas imagens criadas por Craig & Karl para outros clientes além da Apple.

"Redman e Maier foram sistematicamente usando trabalhos de arte de Romero Britto para obter emprego e avançar suas próprias carreiras, negociando ilegalmente sobre o carinho do consumidor e a boa vontade incomensurável construídos por décadas de trabalho incansável, promoção e investimento do Sr. Britto", diz a ação judicial.


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.