Governador de São Paulo, Geraldo Alckmin espera que a aplicação da lei ajude a reduzir o furto e roubo de telefones

Agência Brasil

A partir de agora, polícia deve pedir o bloqueio do celular até 12 horas após a comunicação do roubo
Thinkstock/Getty Images
A partir de agora, polícia deve pedir o bloqueio do celular até 12 horas após a comunicação do roubo

Foi sancionada nesta quarta-feira (6), pelo governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, a lei que restringe a venda de aparelhos para desbloqueio de telefone celular. Para vender o equipamento, a partir de agora, só com autorização da Polícia Civil.

LEIA MAIS:  Anatel aprova primeiro smartphone da fabricante chinesa Xiaomi

A lei complementa uma medida adotada pela Secretaria de Estado de Segurança Pública, em fevereiro, segundo a qual a polícia deve pedir o bloqueio do celular até 12 horas após a comunicação do roubo. “O celular não vai ter mais valor econômico para o receptador”, ressaltou o secretário de Segurança  Pública, Alexandre de Moraes. O aparelho é inutilizado a partir do número de registro fornecido no ato da compra e gravado na memória do telefone.

O governador espera que a aplicação da lei ajude a reduzir o furto e roubo de telefones móveis. “Nossa meta é reduzir drasticamente roubo e furto de celular. Não funcionando o equipamento, isso vai acabar”, destacou Alckmin.

Para que a norma funcione, o governador disse que haverá ampla fiscalização nas lojas que atuam nessa área. “A polícia vai fazer uma fiscalização muito severa em lojas e empresas que trabalhem com desbloqueio de celular”, assegurou.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.