Kevin Halpern diz que base para o popular app de transporte é o Celluride, aplicativo de caronas que ele criou em 2006; Uber diz que acusação é infundada

BBC

Imagem do Celluride, app que, segudo empresário, é a base do Uber
Reprodução/Youtube
Imagem do Celluride, app que, segudo empresário, é a base do Uber

Somando-se à de taxistas e autoridades de regulamentação em vários lugares do mundo, o aplicativo de transporte Uber agora enfrenta mais uma oposição: um processo relativo a propriedade intelectual que corre na Justiça americana.

A startup tecnológica mais bem-sucedida do planeta, com valor estimado de US$ 40 bilhões, está sendo objeto de um processo no Supremo Tribunal de São Francisco por roubo de segredos comerciais.

Um empresário chamado Kevin Halpern afirma que o diretor executivo (CEO) do Uber, Travis Kalanick, roubou dele a ideia de criar um serviço de 'caronas' com motoristas particulares.

Halpern disse que contou os detalhes da empresa que estava desenvolvendo - a Celluride - a Kalanick quando ambos trabalhavam em escritórios próximos, no ano de 2006.

Leia também:  Serviço de carro executivo sob demanda, Uber ganha recurso de divisão da tarifa

"Kalanick criou uma réplica exata da Celluride e chamou de Uber", disse Halpern em um vídeo publicado no Youtube sob o nome "O Grande Roubo do Uber", onde explica a suposta apropriação de sua ideia por parte do empresário.

Na versão dele, ambos discutiram "a enorme oportunidade de negócios no mercado do transporte privado, sobre a qual ele não tinha a menor ideia naquele momento".

"Kalanick foi muito bom e ganhou minha confiança", afirmou Halpern.

O processo também atinge o co-fundador do Uber, Garrett Camp, e investidores que financiaram a ideia.

Segundo declarações do advogado da parte acusadora, Christopher Dolan, ao jornal San Francisco Chronicle, Halpern "passou sete anos desenvolvendo a tecnologia que está na base do aplicativo Uber".

'Infundadas'

Um porta-voz do Uber, porém, negou as acusações. "São completamente infundadas. Nós defenderemos (esta tese) com vigor", disse.

O Uber foi fundado em 2009 com o valor de US$ 2,5 bilhões. De lá para cá, seu valor de mercado passou a superar o de outras empresas tecnológicas, como Twitter e Linkedin.

Leia mais:  Justiça de SP extingue processo contra o Uber e derruba suspensão do serviço

Não é a primeira vez que grandes empresas tecnológicas são processadas por motivos semelhantes. Isso já aconteceu com produtos do Google, Facebook, o iPhone da Apple, entre outros exemplos.

Halpern disse que ele e Kalanick tinham acordo de confidencialidade verbal, segundo o site especializado em tecnologia Cnet.com. E que ambos se reuniram em várias ocasiões para falar sobre o financiamento da nova empresa e o estabelecimento de uma possível relação de negócios.

Leia também:  Uber se desculpa após divulgação de suposto plano para espionar jornalistas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.