O objeto está se transformando em um utensílio de decoração, capaz de fazer papeizinhos em formato de estrela, coração e flor; veja a homenagem

Brasil Econômico

Depois de um tempinho sem nos presentear com um Doodle, o Google finalmente trouxe uma surpresa simpática nesta terça-feira (14). Desta vez, se trata da comemoração dos 131 anos do furador de papel , que veio em forma de uma animação de breves segundos.

Leia também: Aplicativo de dublagens musicais, Musical.ly é vendido por mais de R$ 2 bilhões

Doodle: embora o furador de papel seja um objeto centenário, poucas modificações foram feitas no seu design ao longo do tempo
Reprodução
Doodle: embora o furador de papel seja um objeto centenário, poucas modificações foram feitas no seu design ao longo do tempo

Além da animação do doodle , o logo do site de buscas está preenchido pelas bolinhas de papel que restam após o “clique”, que costumam – ou costumavam – virar confetes coloridos nas mãos das crianças.

O objeto, cada vez mais difícil de ser utilizado, devido à migração dos arquivos para o formato digital , agora está dando lugar a um utensílio de decoração, capaz de fazer papeizinhos em formato de estrela, coração, flor, etc.

Leia também: Dispositivo promete diminuir conta de gás ao reutilizar restos de alimentos

História

Para quem não sabe, o furador de papel foi inventado na Alemanha por Matthias Theel. Mas não se sabe ao certo quem é realmente o inventor do furador de papel. O que se sabe é que em 1886, Fridrich Soennecken patenteou a criação, no país europeu.

Por outro lado, em 1885, na cidade de Massachussetts – Estados Unidos, Benjamin Smith também patenteou a ideia. Alguns anos depois, outro estadunidense, Charles Brooks patenteou a invenção, entretanto com um nome diferente: perfurador de bilhetes.

Leia também: Preço do The Sims 4: Cats & Dogs gera indignação no Twitter; entenda

Centenário

Embora o furador de papel seja um objeto inventado no século XIX, é importante ressaltar que a ferramenta não passou por bruscas modificações ao longo do tempo, e como o próprio Google aponta, o objeto continua em grande parte, maravilhosamente, a mesma coisa.

O Google também descreveu uma cena que quem usou muito furador de papel, ou ainda usa, presencia: você coloca uma pilha de papéis - ainda quentes da impressora - consideravelmente espessa sobre a mesa. Antes de furar a pilha, vem uma antecipação silenciosa acompanhada da incerteza se o objeto será capaz ou não de perfurar tudo aquilo. Então, o clique. A série de furos nítidos e idênticos que se reproduz, cria um sentimento de calma e surpresa deliciosa ao ver os confetes dos furos.

E você, já conferiu o doodle de hoje ou se lembra da última vez que utilizou um furador de papel?

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.