Brasil tem 411 salas de cinema para exibição de filmes em três dimensões

A tecnologia de exibição de conteúdo em 3D está avançando nas TVs e também no cinema. Mas a falta de conteúdo ainda é um grande obstáculo para sua popularização. Essa foi uma das conclusões do painel sobre 3D realizado na Broadcast & Cable 2011, evento organizado pela Sociedade Brasileira de Engenharia de Televisão e Telecomunicações (SET) que acontece até a próxima quinta-feira (25/08) em São Paulo.

TVs 3D fazem sucesso em feiras, mas ainda batalham pela preferência do consumidor final
Getty Images
TVs 3D fazem sucesso em feiras, mas ainda batalham pela preferência do consumidor final
José Dias, diretor de engenharia da Rede Globo, afirmou que, diferentemente do que apontam críticos da tecnologia, o 3D veio para ficar. Ele disse ainda que os dispositivos móveis devem colaborar para a popularização do 3D. "O aumento do número de celulares e tablets com suporte a 3D deve levar essa tecnologia a mais pessoas. Nestes aparelhos, é possível obter efeitos 3D convincentes sem uso de óculos", observou. Segundo Dias, o número de TVs 3D fabricadas no mundo deve subir de 23,4 milhões em 2011 para 159,2 milhões em 2015.

Vale a pena comprar uma TV 3D? Opine no fórum.

Luciano Silva, diretor de tecnologia da Cinemark, lembrou que a tecnologia 3D já existe há algumas décadas no cinema. "Já passamos por um boom do 3D nos anos 1950 e também nos anos 1980, mas a precariedade da tecnologia impedia um uso mais amplo. Só recentemente, com a digitalização dos processos de filmagem, conseguimos uma tecnologia mais adequada", afirmou.

Silva citou números que mostram o aumento do número de salas 3D no Brasil e no mundo. Globalmente, o número de salas cresceu de 9,8 mil em março de 2010 para 22,3 mil em março de 2011. No Brasil, há atualmente 411 salas de cinema 3D, contra apenas 70 em 2008. "Boa parte desse crescimento se deve ao filme Avatar, que chamou a atenção das pessoas para a tecnologia", acrescentou.

Conteúdo ainda é obstáculo

O maior obstáculo para a popularização definitiva do 3D é a produção de conteúdo. Isso exige que as empresas envolvidas na produção e distribuição de conteúdo atualizem suas infraestrutura. "As pessoas não querem o 3D para verem coisas voando na tela. Elas querem ver seus programas favoritos em 3D", afirmou Steve Schklair, da 3ality, empresa americana especializada em fornecimento de soluções para criação profissional de 3D.

Segundo Shcklair, muitas redes de TV dos Estados Unidos já estão gravando seriados em 3D. "Os episódios em 3D nem vão ao ar, pois a transmissão ainda é um obstáculo. Mas o conteúdo é gravado em 3D para ser lançado depois no formato Blu-ray para os fãs das séries. Assim, as emissoras já se preparam para o futuro e, ao mesmo tempo, tentam explorar uma nova forma de receita", afirmou. Hugo Gaggione, da Sony, apresentou números sobre a ampliação da oferta de conteúdo 3D. Em 2011, serão lançados 50 filmes para cinema e 100 títulos em formato Blu-ray. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.