Ferramenta, já popular em computadores de mesa, ganha espaço nos celulares e incorpora recursos sociais

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=tecnologia%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1597102046257&_c_=MiGComponente_C

O e-mail é velho conhecido de quem usa a internet a partir de computadores de mesa. A novidade é o aumento do uso dessa ferramenta também no celular.

Leia também: E-mail integra redes sociais

Um estudo feito pela consultoria comScore nos Estados Unidos mostra que o número de pessoas que usam e-mail em celulares cresceu 39% em 2010, chegando a 70 milhões de pessoas. Isso mantém o serviço em primeiro lugar entre as atividades mais comuns nesses aparelhos, apesar do grande crescimento do acesso móvel a redes sociais. Elas cresceram 56% no mesmo período e são usadas por cerca de 60 milhões de americanos.

comScore
Evolução do uso de smartphones nos EUA
Evolução do uso de smartphones nos EUA

O estudo também detectou uma leve queda, de 4%, no uso do e-mail a partir de computadores de mesa. Entre os jovens americanos, a queda na audiência do e-mail por meio do PC é maior, porque eles usam esse serviço em seus smartphones, diz Alex Banks, vice-presidente da comScore para a América Latina.

Asiáticos são os maiores usuários de e-mail

Segundo a consultoria Radicati, existem 3,1 bilhões de contas de e-mail ativas (isto é, que foram usadas nos últimos três meses) em todo o mundo e este número deve crescer nos próximos anos: em 2015, a previsão é de que existam 4,1 bilhões de contas de e-mail - um crescimento de 32,2% no período. Isso representa um crescimento médio anual de 7% pelos próximos quatro anos, diz Sara Radicati, presidente da consultoria, no estudo. A Ásia concentra metade dos usuários de e-mail em todo o mundo, com 49%, seguida pela Europa (22%) e pela América do Norte (14%).

O e-mail ainda é entendido como sua identidade na internet. Isso faz com que o uso do serviço em todo o mundo se mantenha estável, diz Carolina Aranha, gerente-geral de serviços online da Microsoft Brasil. Criar uma conta de e-mail é o primeiro passo dos novos internautas já que, para se cadastrar em qualquer outro serviço, como redes sociais e aplicativos de mensagens instantâneas, é necessário informar um endereço na rede.

O forte uso do e-mail nas empresas é outro fator que ajuda o e-mail a se manter como uma das ferramentas mais importantes na internet. Quando a pessoa é contratada, ganha o e-mail para acessar a rede e para se comunicar. O telefone perdeu a relevância que tinha anos atrás, explica Eduardo Campos de Oliveira, gerente-geral de produtividade e colaboração da Microsoft Brasil.

Apesar de substituir outras formas de comunicação, principalmente pela vantagem de formalizar conversas e ter valor legal, o e-mail corporativo representa apenas 25% de todas as contas ativas em todo o mundo.

Migração para smartphones é mais lenta no Brasil

A migração do e-mail para os smartphones é menor no Brasil, em relação a países mais desenvolvidos. No País, que tem a maior população online da América Latina, os serviços de e-mail são usados por 75% dos internautas, de acordo com a comScore. O alcance do serviço é diferente do resto do mundo, porque o número de pessoas com acesso a internet está crescendo, diz Banks, da comScore.

Banks acredita, entretanto, que a migração do e-mail para o celular também ocorra no Brasil. Quando planos de dados sem limite tiverem um preço mais competitivo no Brasil, será mais fácil se comunicar por este tipo de aparelho do que por meio de PCs, diz.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.