Relógio inteligente da Sony não tem recursos como câmera ou microfone, mas é mais leve, elegante e tem compatibilidade com mais smartphones

A Apple abandonou seu pequeno iPod nano, que tinha como um de seus atrativos a possibilidade de ser usado como relógio de pulso. Mas a Sony não desistiu desse mercado e lançou recentemente a segunda geração de seu SmartWatch. O lançamento foi próximo da chegada às lojas do Galaxy Gear, relógio inteligente da Samsung.

Teste: Galaxy Gear é inovador, mas incompleto

O SmartWatch 2 (R$ 1.000) traz melhorias em relação ao primeiro modelo, mas a consequência disso é uma bela subida em seu valor. Se o primeiro SmartWatch da Sony custava aproximadamente R$ 500, esse passa a custar o dobro. Mas a utilidade ainda é limitada. Vamos ao teste.

A favor:

• Tela maior, mais fácil interação;
• Tecnologia da tela ajuda a economizar bateria;
• Funciona com qualquer Android 4.0 ou superior;
• À prova d'água.

Contra:

• Menos discreto que a primeira versão;
• Alguns recursos só funcionam com aparelhos Sony;
• Preço elevado;
• Sem recursos diferentes, como câmera e microfone.

Design

Com cara de relógio grandão, o SmartWatch da Sony não foge do comum e não tem nenhum arrojo de design. É bonito e bem cuidado no acabamento, mas lembra inclusive os antigos iPods nano da Apple afixados a uma pulseira.

Ele é bem maior do que o primeiro modelo de relógio inteligente da Sony. De 3,6 centímetros, o SW2 passa a ter 4,2 centímetros de lado, um centímetro de espessura (contra 0,8 do SW1) e 47 gramas contra 42 do primeiro.

Outra diferença é que o relógio não é mais um clipe que é acoplado à pulseira, e sim um acessório com fixação igual à de um relógio comum. Ou seja, não é mais possível usar o SmartWatch em outros locais que não o pulso, o que é uma pena.

SmartWatch 2 tem pulseira de plástico e acabamento fosco
Stella Dauer
SmartWatch 2 tem pulseira de plástico e acabamento fosco

O acabamento é em preto fosco e o relógio tem o corpo todo em alumínio, com um friso prateado na aresta superior. A frente traz a tela, um sensor e três botões do sistema Android (voltar, home e menu). Do lado esquerdo fica uma tampa que protege a conexão e do outro lado temos o botão de energia, redondo e prateado como os que vemos na linha de celulares Xperia 2013.

A tampa protege uma conexão micro USB, novidade no SW. No primeiro modelo a conexão para transmissão de dados e carga era proprietária. Agora, qualquer cabo pode fazer o serviço. Essa tampa (que é bem difícil de abrir) também ajuda na proteção contra poeira e água (por até 30 minutos submerso em até um metro de água doce).

A pulseira padrão que acompanha o SW2 é tão grande quanto ele. De silicone, ela é bem larga, quase da mesma medida que o relógio. No pulso geralmente mais fino de mulheres, pode ficar desproporcional.

A cor da pulseira é o preto tradicional, mas há a possibilidade de trocar de cor e de modelo também. Apesar de não parecer, essa pulseira pode ser trocada, e existem pelo menos outros oito modelos de cores e materiais diferentes, como couro.

Não há informações oficiais sobre a venda desses extras aqui no Brasil, mas a Sony afirma que é possível utilizar qualquer pulseira de relógio que tenha o padrão de 24 mm, aumentando a gama de possibilidades.

Tela

O display da segunda geração dos relógios inteligentes da Sony aumentou ligeiramente, de 1.3 para 1.6 polegadas (com definição de 220 x 176 pixels), sendo ainda um pouco pequeno. Nada de LED ou AMOLED, o que temos aqui é LCD transreflexivo, significando que ele reflete e emite luz.

Assim, essa tela funciona de dois jeitos: quando inativa, ela se torna reflexiva e exibe as horas de maneira muito boa para ambientes iluminados. Quando estamos interagindo com o SW, a tela se torna transmissiva e funciona como um display LCD comum.

LEIA TAMBÉM:
Relógio inteligente Toq, da Qualcomm, começa a ser vendido nos EUA

Isso economiza bateria e permite ao SW2 funcionar normalmente como um relógio, sem ser necessário apertar qualquer botão para vermos as horas. No modo comum, ele não é muito brilhante e é difícil de enxergar sob o sol. O sensor acima da tela ajuda a controlar o brilho de acordo com a iluminação.

Do primeiro para esse modelo, a Sony melhorou bastante a qualidade da resposta ao toque dos dedos. O mesmo vale para os botões que ficam fora da tela. O vidro também é resistente, e dias de uso não trouxeram quaisquer riscos.

Sistema operacional e usabilidade

A configuração é bem simples, se você seguir os passos certos. Por meio de NFC, o SW2 e o smartphones encostados já organizam o download do aplicativo que vai controlar o relógio pelo smartphone. Você também pode realizar o pareamento via Bluetooth, mas é menos prático.

SmartWatch 2 tem os botões padronizados do Android
Stella Dauer
SmartWatch 2 tem os botões padronizados do Android

É do smartphone que você controla quase tudo no SW2: instalar, remover e configurar apps e atualizar firmware do relógio. É também no aplicativo que o usuário gerencia ajustes como brilho da tela, vibração e temas do relógio (dez ao todo).

Com a inserção dos botões capacitivos, não é mais necessário aprender gestos com um ou dois dedos, em direções diferentes, para executar variadas tarefas, como era no SW1. A cada vibração em seu braço, você sabe que há uma nova notificação a ser conferida.

A tela acaba sendo de bom tamanho para conferir informações rápidas como SMS, emails, updates no Facebook, e outros. O visual das extensões mais úteis é bonito e bem dimensionado para o tamanho do display.

Há uma barra de notificações na parte superior da tela, como em celulares com Android. Ela não pode ser acessada quando se está dentro de um aplicativo, mas na home ela pode ser vista. A home consiste em diversas janelas que abrigam seis miniapps cada. 

A única coisa realmente chata está no fato de ter que apertar o botão de energia depois do de home para chegar ao sistema; são muitos passos para se chegar a algo que deveria vir mais depressa.

Aplicativos

Na verdade, o que temos no SmartWatch da Sony não são apps, e sim as chamadas extensões. Algumas são nativas do aparelho, como alarme, cronômetro, temporizador, luz de flash (apenas configura o aparelho com tela branca), configurações e chamadas (em aparelhos Xperia, você pode atender ou recusar ligações).

Não são milhares, mas centenas; muitas extensões já estão disponíveis na Play Store e nas lojas de apps da Sony. Algumas são bobinhas e simples, mas muitas delas são úteis, e muitos delas são produzidas pela própria Sony, que já sugere a instalação dessas extensões.

Entre as extensões externas mais úteis temos Gmail, Facebook, Twitter, lembretes de calendário, smart câmera (tira fotos e grava pelo SW), discador para chamadas, controlador do player do smartphone, mensagens, calculadora (pena que a interface é horrível), slideshow de fotos, entre muitos outros.

Bateria

A bateria funciona melhor do que o modelo anterior. Com uso normal do dia-a-dia, checando as notificações que chegam e utilizando algumas funções, é possível fazer com que ele passe mais de dois dias longe da tomada. Com pouco uso, até três dias são aceitáveis.

Entretanto, se o uso for mais intenso (uso para prática de esportes, com o app Runtastic, ou jogar Snake ou Blackjack, por exemplo), a bateria é drenada em 12 horas (mas duvido que você use ele por tanto tempo para essas funções).

Não é nenhum milagre essa duração total pois, na verdade, não há um excesso de recursos que consumam dessa forma a carga. Vale observar que o uso do relógio também afeta a bateria do smartphone. É preciso manter a conexão Bluetooth ligada constantemente, e o próprio relógio consulta o celular de forma frequente para checar novas notificações.

O que vem na caixa

A quadrada caixa do SW2, toda em acrílico, apresenta o SmartWatch juntamente com sua pulseira. Escondidod atrás da caixa temos manuais em diversas línguas e um pequeno cabo USB / micro USB.

Para quem é

Comparado com o Galaxy Gear, o SmartWatch 2 é muito mais simples, mas é compatível com mais celulares. Ele não possui microfone, câmera, alto-falante e outros recursos mais avançados. 

O SW2 é uma mão na roda quando, por exemplo, você quer mudar a faixa da música que está ouvindo dentro do ônibus. Ao invés de se espremer para pegar o smart, pode simplesmente mexer em tudo pelo "relógio" – que mostra as horas também, aliás. Para os corajosos, é possível conferir tweets, posts, notícias, SMS e agenda.

Então, se você pode gastar (muito) mais para adicionar praticidade ao seu aparelho e ao seu dia-a-dia, o SW2 da Sony é uma boa opção, não apenas para os usuários da marca, mas também proprietários de outras fabricantes de aparelhos com Android.

Ficha técnica

Sony SmartWatch 2

Preço: R$ 1.000
Configuração: tela de 1.6 polegada e Resolução de 220 x 176 pixels, sistema Android 4.2.2 Jelly Bean, Bluetooth, NFC, USB.
Dimensões: 4.2 x 4.2 x 1 cm
Peso: 47g
Autonomia de bateria: Até 72 horas em stand-by / Até 12 horas em uso intenso
Itens inclusos: aparelho, pulseira em silicone, manuais em diferentes idiomas e cabo USB.

CONTINUE LENDO:

Na era dos relógios inteligentes, Casio mantém aposta no G-Shock

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.