Produto traz configuração mediana, mas suficiente para rodar o sistema Chrome OS com alguma folga

Em maio de 2011, o Google anunciou seus primeiros chromebooks, notebooks com o sistema Chrome OS. Os aparelhos eram fabricados pela Acer e Samsung, parceiras mais tradicionais do Google no projeto dos chromebooks. 

LEIA TAMBÉM:
Teste: Chromebook da Acer é boa opção para segunda máquina

O Chrome OS recebeu elogios pela rapidez e facilidade de uso, mas muitos críticos enfatizaram sua dependência excessiva da internet. Ao longo dos anos, o Google fez melhorias nesse aspecto, permitindo que mais recursos funcionassem offline. Mas a filosofia do Chrome OS continua a mesma, ou seja, um sistema rápido e fácil de usar.

No fim do ano passado, a Acer foi a primeira empresa a vender um chromebook de forma oficial no Brasil. Agora, é a vez da Samsung. O Chromebook da empresa custa R$ 1.000 e tem configuração básica, mas suficiente para rodar bem o sistema. Vamos ao teste.

A favor:

• Sistema simples, leve e prático;
• Fácil de configurar e usar;
• Arquivos guardados na nuvem, sempre seguros.

Contra:

• Sistema muito preso à internet;
• Totalmente dependente dos apps e serviços da Google;
• Pode haver engasgos em algumas tarefas um pouco mais pesadas.

Design

Não há nenhum destaque no visual do aparelho, a exceção fica por conta do peso, pouco mais de um quilo. Ele conta com design básico de um notebook, de cor prateada e arestas bem definidas. Com pouco menos de dois centímetros de espessura, ele é fino, mas nenhum outro detalhe o deixa delicado.

LEIA TAMBÉM:
LG apresenta primeiro desktop com Chrome OS

O acabamento é bem razoável, mesmo que todo de plástico. Toda fosca, a carcaça repele com competência marcas de dedo e gordura. A dobradiça é bem visível e não se esconde abaixo da tampa, um pequeno descuido. No resto, o Samsung Chromebook é bem sucinto e traz poucos detalhes, como logotipo da Samsung e do Chrome na tampa.

Na parte inferior temos informações da máquina, botão para reinício, pés de borracha redondos e cinzas, parafusos aparentes e saídas de som nos dois lados. Não há nada na lateral direita ou na frente.

Touchpad do Samsung Chromebook
Stella Dauer
Touchpad do Samsung Chromebook

A base traz um touchpad grande e confortável, com suporte a toques múltiplos, boa sensibilidade e tão áspero como o resto do acabamento.

Há também um teclado com 75 teclas pretas no estilo chiclete, foscas. As letras são brancas, minúsculas e impressas no meio das teclas.

Embora barulhento, é um teclado suave, macio e muito rápido. Não há espaço entre o teclado e as bordas do notebook, e o espaço par apoiar os punhos também é diminuto, mas as teclas são bem espaçadas e de tamanho idêntico a de teclas de teclados normais. Possui layout brasileiro, com direito a tecla cedilha.

É um teclado adaptado para o sistema Chrome OS, e por isso não há tecla Windows ou Command, como vemos no Windows ou OSX. Temos Control, Alt, Shift, Tab, Esc e outras, mas tamos também Pesquisa (no lugar de Caps Lock), Voltar, Avançar, Atualizar, Tela Cheia e Alternar Janelas. É como se fosse um teclado para um navegador.

Conexões

Para seu preço e seu sistema, ele é até bem completo nas conexões, trazendo um slot para cartão SD e uma combo (aceita microfone e fones de ouvido) no lado esquerdo e duas USB (uma 2.0 e uma 3.0), uma HDMI e de energia (com LED de aviso de carga) na traseira.

Há também uma portinha que guarda um outro slot, provavelmente para conexão de dados 3G/4G, mas ela não vem ativa para o Brasil, e há uma borracha tampando sua entrada.

Nas conexões sem fio, o chromebook traz o necessário para uso, com WiFi 802.11 a/b/g/n 2x2 (ou seja, atua como conexão e como rede) e Bluetooth (versão não especificada). Com isso, você acessa a internet e conecta periféricos sem fio ao Chromebook.

Tela

Com tamanho de 11.6 polegadas, essa é um tela pequena, mas ideal para quem precisa de algo bem portátil e para navegação na internet e trabalhos com texto. Possui definição HD de 1280 x 720 pixels, tecnologia LED, formato widescreen 16:9 e acabamento fosco, o que ajuda debaixo do sol ou em outros ambientes muito iluminados.

A tela possui boa visualização lateral, chegando quase aos 180 graus, mas de cima para baixo ela perde rapidamente as cores. Seu brilho máximo é bem forte, e o mínimo escurece completamente o display. Possui boas cores, boa acuidade e não desagradou em nenhum uso, mesmo não tendo cores muito fortes.

Hardware e processamento

A Samsung informa no site que o Chromebook não é nem um tablet e nem um notebook mas, para deixar as coisas bem claras, ele é sim um notebook, com processamento de um modelo muito básico, quase um netbook.

Dentro dele roda um chipset da própria Samsung, um Exynos 5 Dual com CPU de 1.7GHz, 1MB de cache L2 e 2GB de RAM. A placa gráfica, como era de se esperar, é integrada à placa mãe, e divide com ela seu processamento e memória. Apesar de assustadoramente simples (ainda mais a RAM), é quase o suficiente para o uso do sistema.

Samsung Chromebook tem memória SSD de 16 GB
Stella Dauer
Samsung Chromebook tem memória SSD de 16 GB

Digo quase porque, quando há muitas abas abertas no navegador, ele fica bem lento. Quando abrimos uma nova aba, outras podem ser momentaneamente prejudicadas e sofrer tropeços. Ainda assim, o Chrome OS é leve e rápido, e para muitas outras funções, o chromebook demostrou bom desempenho.

Para ligar toda a máquina e deixá-la pronta para uso, foram menos de sete segundos, um número ótimo. Quando abrimos a tampa e ele sai da hibernação, está pronto em menos de dois segundos. Suas conexões WiFi e Bluetooth também foram muito rápidas. Apenas a conexão de mídia física como cartões SD, pen drives e HDs foi lenta.

Seus aplicativos nativos e todo o sistema em geral rodaram sem problemas. Tudo abre rápido, coisa que pode variar de acordo com a qualidade da sua conexão de internet. Ele entra e sai do repouso rapidamente, abre e executa ajustes também em boa velocidade.

A lentidão no Chrome apareceu a partir de 10 abas abertas ao mesmo tempo. Ele consegue executar mais de uma tarefa sem problemas, como streaming de música, edição de texto e checagem de email, além de mensageiros instantâneos.

Extremamente silencioso, o chromebook não usa coolers ou outros sistemas móveis para manter sua temperatura. Mesmo sem isso, o note se manteve a temperaturas aceitáveis mesmo com uso mais pesado e prolongado. Dá para esquentar bem a mão nele, mas nada que seja incômodo demais, e o calor fica só na parte inferior.

Sistema operacional e usabilidade

Não há vírus conhecido para o sistema, ainda. E também não é preciso se preocupar com atualizações, pois o Chrome OS cuida de fazer tudo isso sozinho, em segundo plano. As atualizações são frequentes, e acontecem a cada seis semanas, aproximadamente. Assim, é um sistema bem fácil para quem entende pouco de como mexer em um computador.

É importante esclarecer mais uma coisa. Embora a Google avise que esse sistema não possui vírus, é possível ter problemas com os aplicativos que ela oferece, pois sempre pode haver um que possua objetivos maliciosos, como roubo de informações, entre outros. Por isso, como sempre, todo cuidado é pouco, e nenhuma máquina está livre de problemas desse tipo.

Todo o sistema está em português, e as coisas acontecem praticamente todas dentro do navegador Chrome. A maior parte dos apps abrem dentro dele, e são como atalhos apenas. Poucas funções do Chrome OS, como o gerenciamento de arquivos, acontecem fora do browser. Vendo assim, ele é bem parecido com o Firefox OS, sistema para dispositivos móveis da Mozilla, que também é como um grande navegador cuidando de tudo.

Seu visual foi feito para trazer familiaridade par ao usuário, então há uma área de trabalho, uma barra inferior com informações, entre outros. Porém, a área de trabalho é apenas um enfeite, algo para ser mostrado quando o navegador está minimizado; você pode trocar a imagem de fundo, mas não pode acessar a área e nem colocar arquivos, atalhos, etc. Também não há lixeira para ser limpa.

A barra inferior é mais útil, e no lado direito ficam informações sobre o perfil logado, layout de teclado, bateria, conexão, atualizações, horas e notificações. Clicar sobre eles abre uma janela com configurações rápidas e mais usadas, como Bluetooth, som, conexão, teclado e outros.

Samsung Chromebook roda sistema Chrome OS, do Google
Stella Dauer
Samsung Chromebook roda sistema Chrome OS, do Google

Do outro lado temos um botão similar ao Windows, que abre uma janela com os apps disponíveis (único lugar onde podemos acessá-los no sistema) e alguns atalhos para os mais usados como o Chrome, Gmail, Google, Docs, YouTube e Files. As configurações específicas dos apps são feitas dentro de cada um.

As configurações gerais não são muitas, e se abrem dentro do navegador. Quem já usa o Chrome vai gostar, porque é quase a mesma coisa, os mesmos ajustes. Lá você gerencia as extensões instaladas no Chrome e mexe no que pode ser mexido no sistema. Há pouca possibilidade de personalização como vemos no Windows e no OSX, e vemos que o Chrome OS foi criado para ser pouco mexido e modificado.

É possível mexer nas conexões sem fio, parear dispositivos via Bluetooth (procedimento fácil e rápido, aliás), trocar imagem de fundo, mexer na velocidade do touchpad e mouse, acertar detalhes da sincronização, criptografar dados, ajustar dados de privacidade (esses sim, bem completos e complexos), configurar impressoras pelo Google Cloud Print, acessibilidade, redefinir contas e configurações, conferir histórico, etc.

A sincronização é uma das melhores coisas do sistema. Se você utiliza o Chrome em outro eletrônico (desktop, smartphone, etc), logado em sua conta, seu histórico, bookmarks, formulários pré-preenchidos, senhas, extensões e tudo o que você usa mais vai aparecer no Chromebook, e será depois sincronizado com a outra máquina. Simples e extremamente útil.

LEIA TAMBÉM:
Lenovo lança chromebook com tela sensível ao toque

O grande diferencial do Chrome OS, além de ser quase que totalmente baseado na internet, é usar e abusar do armazenamento em nuvem. Há o armazenamento do notebook, mas a Google espera que você utilize seu serviço Drive para guardar tudo o que fizer no sistema. Alguns apps como o Docs já salvam tudo lá, deixando você mais dependente da internet ainda.

Para dar uma ajuda nisso, a Google oferece 100GB de armazenamento gratuito por dois anos, mais do que suficiente para guardar os arquivos de um usuário de um Chromebook, que não deverá produzir nada pesado demais. Lá você também guarda músicas, imagens, vídeos, documentos, entre outros.

No resumo, é um sistema bem simples de se usar. Há pouco a ser feito, há pouco a ser mexido, e ele sai da caixa quase pronto para uso. Não é preciso instalar drivers ou atualizações, ele é plug and play para quase tudo. No próprio computador há um manual bem completo que ensina a usar tudo do sistema.

Aplicativos

Não espere encontrar uma variedade infinita de aplicativos para o Chrome OS, como você costuma encontrar para Windows ou OSX. A loja do Chrome tem milhares de apps gratuitos e disponíveis para download, mas a variedade ainda é escassa.

Você encontra apps para editar imagens, ouvir música, se comunicar com outras pessoas de variados jeitos, gerenciar projetos, equipes e tarefas, editar textos complexos, jogar, ler notícias e livros, aprender, se divertir e muito mais, mas os apps que você conhece e mais usa provavelmente não estarão disponíveis.

Há alternativas para quase tudo, mas se o pacote Adobe ou o pacote Office (com os usos mais complexos) são essenciais para você, esqueça. É possível se virar bem com as alternativas, e eu mesma consegui executar tudo o que desejei, mas necessidades mais específicas podem não ser atendidas idealmente.

Também não há qualquer jogo mais complexo de grandes franquias, então ele é vetado para hardcore gamers. Nenhum título é compatível, e não poderá ser instalado. Seu hardware nem permitiria tal coisa. Mas há muitos jogos casuais disponíveis na loja.

Se você é um usuário assíduo e fiel dos serviços e produtos da Google, já é meio caminho andado para se adaptar completamente. Se nunca usou Windows ou OSX, e vai usar o Chromebook principalmente para internet, também é uma vantagem.

Além dos aplicativos mais conhecidos do Google, temos Redbooth, que abre o serviço Teambox para gerenciar projetos, times e tarefas; calculadora, player de música, Play FIlmes (passa, aluga e vende filmes), Fotos (edita e guarda imagens) e outros. Na loja, baixei apps interessantes como Wunderlist (gerenciador de tarefas), Pocket (leitor de notícias), Crackle (filmes gratuitos da Sony), Zip extractor, Pixlr Editor e PicMonkey (editores de imagem) e Gmail offline.

Muitos dessas apps são, na verdade, atalhos para serviços que abrem dentro do próprio navegador Chrome. Sendo assim, podem ser utilizados em qualquer sistema operacional que tenha o navegador instalado. Há um substituto para quase todas as principais funções de aplicativos de outros sistemas, e a Google até possui uma lista com as opções.

Com o Cloud Print você pode imprimir diretamente do Chromebook. Não adianta conectar a impressora USB no notebook, pois ele não está preparado para isso. A impressora precisa ter suporte ao Cloud Print, ou você terá que instalar o Chrome em um computador com Windows ou OSX e habilitar essa função na impressora.

O Chrome Remote desktop é ótimo, e permite acessar um outro computador, até mesmo de outro sistema operacional, remotamente. Alguns apps podem funcionar offline, sem a presença de internet, mas são poucos. O Docs e o Gmail são alguns deles, além do player de música e vídeos, gerenciador de arquivos, editor de imagens e outros.

A conexão com o sistema operacional Android deveria ser simples como todo o resto, mas não é. Simplesmente conectá-lo pelo cabo USB não funciona, e para resolver o ocorrido, o sistema recomenda que você utilize o app de terceiros AirDroid, que permite a conexão do computador com o Android via WiFi, abrindo um desktop legal do aparelho no navegador, e dá uma conta Premium por um ano para quem tem Chromebook.

Além de smartphones de qualquer sistema, o Chrome OS também não reconhece outros dispositivos como smartwatches, e seu Bluetooth fica apenas com dispositivos de som, mouses, trackpads e teclados. O USB fica com armazenamento externo e periféricos como mouses e teclados. Nada mais complexo é aceito.

Música e mídia

Mesmo sendo um notebook econômico, o item de entretenimento não foi deixado de fora. Há aplicativos nativos para reprodução de mídia, e o computador foi pensado para ajudar nisso. O som externo é muito bom, pois além de alto, conta com ótimo estéreo.

São dois alto falantes de 1.5W cada, que possuem saída tanto abaixo da máquina como acima dela, pelo teclado. Por isso, a reverberação é boa em cima de superfícies como uma mesa, e também no colo, pois os falantes no teclado são mais uma opção de saída.

Sua tela não é a mais poderosa do mercado, mas isso condiz com seu preço mais baixo. Ainda assim, com a definição HD e o som de boa qualidade, ele é um ótimo centro de mídia, muito bom para filmes e música. O tamanho do display é bem confortável, e o peso diminuto faz com que ele fique bem no colo.

Ele conseguiu exibir vídeos em qualidade Full HD, mesmo tropeçando no primeiro minuto. A partir do momento em que ele leu um pouco do vídeo, roda mais suave. Vídeos em HD ou qualidades menores não trouxeram problemas. O Chromebook também se saiu bem em serviços de streaming de mídia, como Rdio, Spotify, Netflix, Crackle e outros.

Bateria e armazenamento

Por não ter um processamento poderoso e nem um sistema que exige demais, a bateria de duas células e 30Wh do Chromebook teve duração interessante. Com WiFi ligado constantemente, além de Bluetooth funcionando com mouse e brilho a 80%, pude ficar aproximadamente sete horas sem precisar ligá-lo à tomada. Não é uma duração incrível, mas passa da média atual e garante um dia de trabalho normal.

Em stand by, com a tampa fechada, sem uso, ele chegou a mais de dois dias sem bateria, um outro número bacana. O armazenamento é de 16GB internos, e trata-se de uma e.MMC iNAND flash, um SSD. Isso significa que não há agulhas ou qualquer outra parte física, como em um HD, sendo muito mais seguro contra quedas e choques.

Não é um grande armazenamento, embora seja rápido, e é dessa maneira justamente para que o usuário faça uso do armazenamento em nuvem fornecido pela Google ou qualquer outra empresa. Esse notebook é como uma amostra do que deve ser o futuro dessa categoria de eletrônicos, e cada vez mais a nuvem deve ser utilizada por nós para a manutenção de arquivos.

Com a qualidade da nossa conexão nacional de internet, essa não é uma das melhores opções, e por isso você também tem a opção de utilizar cartões de memória SD (ou microSD, com adaptador) ou HDs externos, ligados à porta USB. Entretanto, esse notebook se mostrou extremamente demorado para ler esses dispositivos externos, o que vai exigir paciência.

O que vem na caixa

Nem vale a pena falar muito aqui. Além do notebook em si, temos apenas sua fonte (que é pequena), cabo de energia e um manual rápido. Não é possível acessar a bateria e não há qualquer software adicional na caixa, uma vez que não há leitor de mídia óptica no aparelho.

Para quem é

Seu custo médio chama a atenção de qualquer um na hora da compra. É possível dizer que os Chromebooks substituirão os netbooks no mercado, com valores abaixo de mil reais. Sendo uma máquina com processamento simples, usos mais avançados não terão lugar aqui.

Entretanto,aqueles que utilizam bastante a internet, trabalham com texto ou que simplesmente precisam de uma máquina para navegar quando chegam em casa, seja para pagar contas, comprar coisas, bater papo ou ler um pouco, vão apreciar bastante esse computador.

Quem já utiliza massivamente os serviços da Google encontrará nele também praticidade e muitas funções úteis, percebendo que não precisa mesmo de tanta coisa para usar um notebook. O que fica claro é que essa não é uma máquina para ser a única do usuário (na maioria dos casos), e sim uma secundária, para usar em casa, para tarefas mais simples.

Ficha técnica

Chromebook Samsung XE303C12

Preço: R$ 1000
Configuração: tela de 11.6 polegadas LED 16:9 com resolução de 1366 x 768 pixels, sistema Chrome OS, processador Samsung Exynos 5 Dual de 1.7GHz com 1MB de cache L2, 2 GB de RAM, 16 GB de armazenamento em SSD (+ entrada para cartão), 1 porta USB 2.0, 1 porta USB 3.0, HDMI, Wi-Fi 802.11 a/b/g/n 2x2, Bluetooth.
Dimensões: 29 x 20.9 x 1.75 cm.
Peso: 1100 gramas.
Autonomia de bateria: Até 50 horas em stand-by / Até 7 horas de uso e internet
Itens inclusos: notebook, fonte de energia, cabo de força e manual.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.