À venda por R$ 299, aparelho da Nokia suporta uso simultâneo de dois chips no aparelho, mas resolve bem a vida de quem procura acesso básico à web

O mais modesto que um smartphone pode ser, apenas com recursos para uma consulta rápida à internet (ou nem tão rápida assim) e dois chips usados ao mesmo tempo. O Asha 310 é isso: um aparelho básico, com sistema próprio da Nokia e versatilidade para quem precisa alternar entre até cinco operadoras. Os outros três cartões precisam ficar na carteira, mas podem ser pré-configurados e não exigem que se desligue o celular para a troca. Já é uma vantagem e tanto.

LEIA TAMBÉM:
Vídeo: Asha 501 traz web para o celular com baixo consumo de dados

Ele não tem conexão 3G, muito menos GPS. Navega mesmo é por Edge, ou então via rede Wi-Fi, mas isso nem pode ser considerado um defeito. Outros aparelhos da categoria, como o Star 3 Duos (Samsung) e T375 (LG), têm as mesmas características. O modelo da Nokia vale o preço ou é melhor gastar um pouco mais e partir para um celular com sistema operacional Android? Confira a seguir:

A favor:

  • Aceita até cinco chips pré-configurados, sendo que dois ficam no aparelho;
  • Sistema fácil de usar, com personalização intuitiva.


Contra:

  • Lentidão excessiva para navegar ou acessar aplicativos de redes sociais;
  • A câmera de apenas 2 megapixels produz fotos pixeladas.


Design

Com cantinhos chanfrados e boa pegada, é um celular que pode ser usado com uma só mão e vai bem guardado em qualquer bolso, na calça ou na camisa. Mas não é dos mais finos, com seu 1,3 centímetro de espessura.

Ele não é bonito, nem feio. Tem bordas bem grandes para uma tela de 3 polegadas e não traz aquelas opções de capas coloridas que a Nokia adora. Está disponível em três cores bem sóbrias: branca, cinza e uma dourada discreta.

São dois os botões na frente: um para fechar programas e voltar à tela inicial, outro para acessar a função de chamada por voz. Na lateral direita, ficam o controle de volume e uma tecla de bloqueio. Na esquerda, as entradas para o cartão microSD e o segundo SIM (o primeiro fica dentro do aparelho, abaixo da bateria).

Configuração

Para um celular modesto, um sistema simples. Nele, internet é por Wi-Fi – ou Edge, se você tiver paciência. Tem Bluetooth 3.0 e rádio FM, mas nada de GPS. E a memória interna disponível é de apenas 20 MB. Ou seja, você terá de guardar tudo no cartão microSD de 2 GB que vem na caixa.

E como é a tal pré-configuração dos cinco chips? Usando um aplicativo gerenciador, disponível na tela inicial, você pode selecionar o que cada um deles fará por padrão. Um pode enviar mensagens, enquanto outro navega pela internet, por exemplo. Ao tirar um cartão SIM e colocar outro, o celular reconhecerá o novo automaticamente.

A parte musical é bem decente. O tocador é organizado e mostra as capinhas dos discos. Também dá até para gravar a programação da rádio FM. O fone de ouvido é razoável e tem um botão para alternar entre player e chamada de voz.

Em nosso teste de bateria, usamos o smartphone moderadamente por quatro dias até que ele pedisse recarga. A Nokia garante 17 horas de conversação ininterrupta ou 54 horas de música tocando com uma carga completa.

Tela

Com suas 3 polegadas e resolução de 240 x 400 pixels, ela oferece o que se pode esperar de um display tipo LCD com TFT. Você enxerga os pixels nas fotografias, mas não existe nenhum tipo de aberração cromática ou coisa do tipo.

No quesito usabilidade, a tela vai muito bem. Geralmente tem resposta adequada aos comandos por toque, e qualquer lentidão parece ser mais culpa do sistema operacional.

Em teoria, existe um recurso antirriscos. Porém, o modelo que nos foi enviado pela Nokia para os testes já tinha várias marcas de uso e um risco profundo. Logo, é bom tomar cuidado e não deixar o celular junto com a chave dentro da bolsa.

Câmera do Asha 310 tira fotos com resolução de apenas 2 megapixels
Marco Zanni
Câmera do Asha 310 tira fotos com resolução de apenas 2 megapixels

Câmera

Um dos pontos negativos do Asha 310 está na câmera. E não somente por sua resolução, de apenas 2 megapixels. Ela não tem flash, e suas fotos saem bem pixeladas, além de lavadas, com cores um pouco desbotadas. Dá para ver isso até mesmo na tela pequena do celular.

São poucas as opções de configuração. Dá para colocar efeitos, como preto-e-branco ou sépia, e escolher o tipo de iluminação (balanço de branco) entre incandescente, fluorescente ou diurno. A seleção manual geralmente melhora um pouco os resultados nas fotografias.

Sistema e aplicativos

Ao ligar o aparelho, você já cai na lista de aplicativos. Quer dar um passo além e conferir widgets de relógio, data e contatos? É só rolar a página para a esquerda. Mais um toque para o lado e aparece uma terceira tela, que pode ser o discador, o tocador de música ou então o sintonizador de rádio.

O usuário pode trocar tudo isso de lugar. Os aplicativos mudam de lugar na grade, e a página de widgets pode receber atalhos para outros aplicativos, por exemplo. Rolando com o dedo para baixo, surgem no topo notificações e alguns botões para configurações rápidas, como ligar Wi-Fi, conexão de dados (Edge) e Bluetooth, além da seleção do perfil de uso entre normal, silencioso, bipe ou alto.

Em comparação com os antigos aparelhos da Nokia que usavam Symbian, o Asha 310 é mais prático para acessar a web e aplicativos de redes sociais. Mas isso não significa muita coisa. Mesmo sendo simples, os programas demoram muito para responder a qualquer solicitação. Páginas web levam uma eternidade para carregar.

Em resumo, não é algo para se usar o tempo todo, mas na hora do aperto. Isso vale para os programas como Facebook, Twitter e eBuddy, que já vêm instalados, e também para o Mapas. Este tem o agravante de obter a localização somente pela rede celular, e não pelo GPS, indisponível no smartphone.

Asha 310 possui teclado numérico, que pode ser transformado em Qwerty por meio das configurações
Marco Zanni
Asha 310 possui teclado numérico, que pode ser transformado em Qwerty por meio das configurações

Se você ainda tem alguma restrição quanto a digitar usando uma tela sensível ao toque, certamente não é o Asha 310 que vai te convencer de que essa é uma tarefa simples.

Seu teclado é pequeno. Por padrão, é o tradicional numérico, com três ou quatro letras por tecla. Mas dá para transformá-lo num teclado Qwerty completo. Digitar rapidamente usando o polegar é um desafio, mesmo com a tela na horizontal.

A mesma chateação você vai encontrar nos jogos. São 40 títulos gratuitos disponíveis para download pela EA. Alguns já estão pré-instalados, como The Sims 3, Need For Speed Hot Pursuit e Worms 2. Só que a tela pequena é ruim para jogar qualquer coisa, e o hardware não aguenta o tranco. Resultado: os games rodam bem lentamente e, vez ou outra, acabam travando.

Conclusão

O Nokia Asha 310 é uma opção barata para quem procura um celular com suporte a dois chips e precisa, de vez em quando, acessar recursos online, como consultar uma página na web e verificar o Twitter ou Facebook. Se você precisa usar com frequência a internet, vai se irritar com a lentidão e os poucos recursos do aparelho. Assim, é bom pensar em gastar um pouquinho mais num Android com suporte a dois chips.

A diferença de dinheiro não é tão pequena, mas com R$ 150 a mais você pode comprar um Samsung Galaxy Y Duos ou Motorola Razr D1 para desfrutar de um sistema mais parrudo, o Android, e sua farta loja de aplicativos.

Se, no fim das contas, você achar que vale mais a pena abrir mão dos dois chips para investir num smartphone melhor, então se abrirá um leque de alternativas entre R$ 300 e R$ 400, como o Samsung Galaxy Y e o LG Optimus L3.

Ficha técnica

Preço: R$ 299
Configuração: processador de 1 GHz, memória RAM de 64 MB, cartão microSD de 2 GB (suporta até 32 GB), tela LCD de 3 polegadas com resolução de 240 por 400 pixels, câmera de 2 megapixels.
Dimensões: 10,9 x 5,4 x 1,3 cm
Peso: 104 gramas
Autonomia de bateria: 4 dias de uso moderado
O que vem na caixa: aparelho, carregador Nokia AC-11, bateria BL-4U, fone de ouvido WH-102, cartão de memória de 2 GB, garantia e manual de instruções.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.