Tablet da Acer tem bom processamento, mas tela deixa a desejar

A Intel tem a meta de vender 40 milhões de tablets com seus chips até o fim do ano, quatro vezes mais do que os 10 milhões comercializados em 2013. Para atingir esse objetivo, a fabricante tem feito parcerias com diversas empresas para incluir seus processadores em tablets. No Brasil, empresas como Positivo, DL, Gradiente e TecToy lançaram recentemente tablets com chips Intel.

LEIA TAMBÉM:
Confira testes do Galaxy Tab S , Yoga Tablet 10 , Xperia Z2 Tablet e outros tablets

Esse é o caso também da Acer, que lançou recentemente o Iconia One 7, tablet com chip Intel e 1 GB de memória. É um aparelho básico, que pode ser interessante para quem quer comprar seu primeiro tablet sem gastar muito. Mas algumas limitações tiram o apelo do produto para o usuário mais exigente. Confira mais detalhes no teste.

A favor:

- Dá conta do recado em apps básicos e até mesmo em alguns games mais pesados;
- Boa relação entre custo e benefício.

Contra:

- Pouco espaço interno para instalação de apps;
- Tela não tem boa qualidade de imagem.

Design

Não há muito o que comentar sobre o design do Iconia One 7. Como outros tablets de preço mais baixo, ele é um retângulo "genérico", sem detalhes que chamem a atenção. A posição dos botões é a padrão, com liga/desliga e volume do lado direito.

Uma das diferenças entre tablets sofisticados e básicos é a área frontal ocupada pela tela. Enquanto em aparelhos topo de linha a tela ocupa quase toda a frente, em tablets mais modestos há consideráveis bordas em todos os lados. É o caso do Iconia One 7, com bordas superior e inferior de 2 cm. Assim, embora a tela tenha 15,4 cm de altura, o aparelho tem altura total de 19,4 cm.

A traseira do Iconia One 7 é texturizada, com pequenos furos. Isso melhora a pegada e ajuda a evitar escorregões. 

Configuração

O Iconia One 7 traz um chip Intel Atom Z2650 dual core de 1,6 GHz, além de 1 GB de RAM. Nos testes do iG , a combinação se revelou o suficiente para rodar bem a maioria dos aplicativos, embora fique longe dos tablets mais avançados nos aplicativos de medição de desempenho (benchmarks).

Nos benchmarks, o desempenho do Iconia One 7 foi, de modo geral, similar ao dos smartphones Moto G (intermediário da Motorola lançado no fim do ano passado) e Galaxy S3 (topo de linha da Samsung em 2012 e ainda no mercado). Foram 23.300 pontos no AnTuTu 4, 9.400 pontos no Quadrant e 1.776 pontos no Vellamo HTML5. São marcas bem inferiores a tablets de ponta, mas superiores às do DL X-Pro, outro tablet com chip Intel lançado recentemente.

Iconia One 7 roda bem aplicativos básicos
André Cardozo/iG
Iconia One 7 roda bem aplicativos básicos

O iG testou o aparelho também com apps mais comuns e games pesados, como Dead Trigger 2 e Iron Man 3. A boa notícia é que o Iconia One 7 lidou bem mesmo com esses games pesados. Foi possível jogar tranquilamente e houve apenas levíssimos engasgos em poucas situações, mas nada que atrapalhasse as partidas.

Um ponto fraco do Iconia One 7 é o pouco espaço para instalação de aplicativos. O tablet tem 8 GB de memória total, mas apenas metade deste valor está livre para instalação de apps. Ou seja, apesar de rodar bem apps pesados, a pouca memória interna limita o número de games pesados no aparelho.

O aparelho tem entrada para cartão de memória. Mas, por uma limitação do Android, esse espaço extra pode ser usado apenas para guardar arquivos, e não para instalação de apps. É até possível instalar apps no cartão em aparelhos com Android, mas esse processo é complexo demais para o usuário comum. 

Vale lembrar que essa limitação de memória não é um problema exclusivo do Iconia One 7 e o valor é compatível com um tablet de seu preço. E, como o tablet é voltado para quem compra seu primeiro aparelho, essa limitação pode não ser notada por alguns usuários. Ainda assim, é um pouco frustrante.

Tela

A boa notícia para quem compra tablets é que mesmo aparelhos básicos têm poder de processamento suficiente para rodar a maioria dos apps com tranquilidade. A má notícia é que a tela ainda não está no nível do processamento.

Como outros tablets básicos, o Iconia One 7 apresenta uma tela bem inferior às encontradas em aparelhos intermediários ou de topo de linha. Nos testes do iG , comparamos o Iconia One 7 com o Nexus 7 2012, tablet lançado há dois anos e já fora de linha, e com a nova versão do Moto G, smartphone intermediário da Motorola lançado recentemente.

Telas do Iconia One 7 (esq.) e Nexus 7 2012: tela do Iconia tende para o azul
André Cardozo/iG
Telas do Iconia One 7 (esq.) e Nexus 7 2012: tela do Iconia tende para o azul

Para começar, a tela do Iconia 7 One não tem uma fidelidade de cores boa. Em páginas web e em apps como o Facebook, letras pretas ficam com uma tonalidade meio cinza e meio azul, e o mesmo vale para as fotos, que perdem sua naturalidade. Mesmo rolando levemente a página é impossível ler os textos, só com a tela parada.

Além disso, basta inclinar a tela um pouco mais para que a imagem praticamente suma, ou seja, o ângulo de visão é bem baixo. Vale ressaltar que a tela do Iconia One 7 ficou bem abaixo da tela do Nexus 7 2012, aparelho foi lançado há dois anos e que nem está mais no mercado, mas claramente criado com uma tela de melhor qualidade.

No fim das contas, a tela do Iconia One 7 fica no nível da de aparelhos de seu preço ou abaixo e usuários menos exigentes podem não se incomodar. Mas é impossível deixar de notar que a qualidade não é das melhores.

Sistema e aplicativos

Telas Home e de aplicativos do Iconia One 7
Reprodução
Telas Home e de aplicativos do Iconia One 7


O Iconia One 7 testado pelo iG saiu da caixa com Android 4.2, mas logo foi atualizado para a versão 4.4 KitKat. A versão do Android usada no tablet tem pouquíssimas modificações em relação ao Android "puro". Isso é uma boa notícia principalmente em tablets básicos, já que, em tese, um sistema com menos modificações roda mais rapidamente. 

Em relação a aplicativos, além do tradicional pacote do Android, o Iconia traz alguns apps da própria Acer para backup de dados na nuvem, além de alguns apps de terceiros. Nenhum deles é espetacular, mas alguns podem ser úteis dependendo do perfil do usuário.

Bateria

Nos testes do iG , com vídeo em tela cheia, brilho no máximo e Wi-Fi ligado, a bateria do Iconia One 7 durou 4 horas. Em uso mais moderado ela ficou em torno de seis horas. São valores menores do que os atingidos por tablets de ponta, mas adequados para um aparelho de sua categoria.

Conclusão

O Iconia One 7 é mais um tablet que disputa o cada vez mais saturado mercado de tablets básicos. A favor do aparelho, o preço é justo e o processamento é bom o suficiente para impedir engasgos e proporcionar uma boa experiência de uso. Pelo lado negativo, o aparelho tem pouca memória interna e tela com visibilidade ruim.

Em ambos os quesitos, o Iconia One 7 está na média de tablets com seu preço e pode atrair consumidores em busca do primeiro tablet. Mas usuários um pouco mais exigentes devem optar por aparelhos um pouco mais sofisticados. 

Ficha técnica

Acer Iconia One 7 B1-730

Preço: R$ 500
Configuração: processador Intel Atom Z2560 dual core de 1,6 GHz, 1 GB de RAM, Android KitKat 4.4, 8 GB de armazenamento interno (4 GB livres) + entrada para cartão de memória de até 32 GB, tela de 7 polegadas LED TFT de 1.024 x 600, Bluetooth 3.0, Wi-Fi b/g/n, câmeras de 2 MP (traseira) e 0,3 MP (dianteira), bateria de 3.700 mAh
Dimensões (cm):  19,6 x 12 x 0,9
Peso (g): 320

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.