Tablet tem interface intuitiva e desempenho razoável, mas não é barato o suficiente

Após o lançamento do iPad, praticamente todas as empresas do setor de tecnologia criaram suas apostas para o mercado de tablets. No final do ano passado, a brasileira Positivo entrou nesse mercado com o Ypy 7, seu tablet com tela de 7 polegadas. A versão avaliada pelo iG tinha apenas conexão Wi-Fi, mas o Ypy tem também uma versão com conexão 3G nas lojas. Confira a análise.

Ypy: interface fácil de usar é destaque
iG São Paulo
Ypy: interface fácil de usar é destaque
A favor

- Interface simples e fácil de navegar
- Bom conteúdo nacional
- Roda bem aplicativos básicos

Contra

- Tela não responde com exatidão aos gestos
- Botões laterais sensíveis demais
- Preço de R$ 999 é pouco atraente

O aparelho

O tablet mede 20 cm de comprimento por 14 cm de altura e 1 cm de espessura. A tela é de 7 polegadas na proporção 4:3. Logo de cara, a diferença entre a proporção da tela (mais próxima de um quadrado) e o formato do aparelho (retangular) chama a atenção. Segundo o fabricante, a proporção de 4:3 foi escolhida por se adaptar melhor à navegação na web com o aparelho na horizontal (o layout padrão de websites também usa essa proporção).

Na parte superior, o Ypy traz um botão liga/desliga, botão de volume e de travamento de orientação (vertical ou horizontal). Na parte inferior ficam entradas para cartão de memória, chip de celular e alto-falantes. No lado direito, ficam a porta USB e uma saída HDMI.

Ypy tem saída HDMI para enviar vídeo e áudio para TVs
iG São Paulo
Ypy tem saída HDMI para enviar vídeo e áudio para TVs
O espaço extra nas laterais (3 cm de cada lado) deixa o aparelho mais alongado e mais fácil de segurar. Mas não dá pra evitar a sensação de espaço desperdiçado na tela, já que, com 20 cm de comprimento, o aparelho tem uma tela de apenas 14 cm. Ou seja, as bordas são grossas demais, dando a impressão de um espaço desperdiçado nas laterais.

A proporção 4:3, mais próxima de um quadrado, funciona bem para navegar na web com o aparelho na horizontal. Mas não é tão cômoda quando o aparelho é usado na vertical, em situações como leitura de livros e navegação na vertical. Novamente, as bordas espessas do aparelho dão a sensação de espaço desperdiçado.

Interface

Fácil de navegar e intuitiva, a interface do Ypy é, sem dúvida, o ponto mais forte do aparelho. Ela é dividida em cinco áreas (Jogos, Comunicação, Principal, Ferramentas, Revistas e Jornais), cada uma delas com ícones dos principais aplicativos.

Na parte inferior, há um menu fixo com atalhos para atividades mais freqüentes (navegação, e-mail e redes sociais), além de atalhos para loja de aplicativos e para uma área com todos os aplicativos do aparelho.

LEIA TAMBÉM:
Análise: Samsung Galaxy Tab 10.1
Análise: Smartphone Motorola Razr

Quem não gostar do visual do aparelho pode, claro, personalizá-lo à vontade, trocando ícones de lugar e cores de fundo. Entretanto, como demonstrado pelo sucesso de produtos da Apple, a maioria das pessoas quer apenas tirar um produto da caixa e começar a usá-lo. Apenas um público muito específico gosta de gastar tempo configurando um aparelho para atender seus interesses.

Nesse sentido, a abordagem da Positivo vai na contramão da de outros fabricantes, que produzem interfaces mais complexas e voltadas para usuários experientes. No caso do Ypy, a abordagem simplificada permite tirar o aparelho da caixa e já usá-lo direto, sem o “susto” causado por outras interfaces de tablets com Android. Essa é uma abordagem adequada, já que o produto é voltado para um público iniciante. Para facilitar ainda mais, a Positivo incluiu no aparelho uma série de tutoriais em vídeo, com dicas de como usar o produto.

Configuração e desempenho

O aparelho roda a versão 2.3 do Android e tem chip de 1 GHz (um só núcleo). O Ypy vem ainda com 10 GB de memória para armazenamento (2 GB internos + 8 GB no cartão micro SD incluso) e câmera frontal para videoconferências.

Nos testes do iG , o desempenho do aparelho foi razoável. As transições de tela e efeitos não têm a fluidez de aparelhos mais robustos, mas não chegam a incomodar. Tarefas básicas, como navegação e checagem de e-mails foram feitas sem dificuldades, com um ou outro leve “engasgo”. O tablet também roda bem jogos simples, como o clássico Angry Birds. A bateria teve boa duração: média de oito horas de uso.

Botões do lado direito são acionados ao mais leve toque, prejudicando o uso
iG São Paulo
Botões do lado direito são acionados ao mais leve toque, prejudicando o uso
A tela, porém, não se mostrou não eficaz como a de outros aparelhos. Frequentemente foi preciso repetir os gestos para completar uma ação. Outro problema que realmente incomoda ao usar o Ypy é a sensibilidade dos três botões na parte direita do aparelho (Voltar, Menu e Home).

Eles ficam logo abaixo da posição natural do dedão e, para infelicidade do usuário, são acionados ao mais leve esbarrão. Com isso, durante os testes do iG , frequentemente o Ypy saía de um aplicativo abruptamente devido a um esbarrão em um dos três botões.

Recursos

Além dos recursos comuns a tablets com Android, como boa integração com Gmail e outros serviços do Google, o Ypy traz alguns diferenciais. Entre eles está o ágil gerenciador de tarefas. Ele mostra quais os serviços estão ativos e informa a quantidade de memória que cada um consome. A função do aplicativo não é nova, mas poupa o trabalho de ter que baixar um aplicativo similar, como o Advanced Task Killer.

O Ypy traz ainda aplicativos para acesso a lojas de aplicativos e livros da Positivo, além de tocador de música e vídeo próprios. São programas básicos, mas eficientes e fáceis de usar. O tablet também é compatível com aplicativos distribuídos no Android Market.

Como outros aparelhos com Android, o Ypy é reconhecido como um drive do computador. Basta então jogar arquivos nas pastas adequadas para transferi-los para o tablet. Quem quiser gerenciar livros e músicas com mais precisão pode baixar o Positivo Conecta, um programa similar ao iTunes.

Conclusão

Assim que se começa a usar o Ypy, fica claro que a Positivo se propôs a criar um tablet mais barato e simples de usar, voltado para usuários mais leigos. A empresa teve sucesso em alguns aspectos, mas fracassou em outros. Pelo lado bom, o Ypy é um aparelho realmente fácil de usar, o que o diferencia da maioria dos tablets com Android do mercado. E a Positivo fez um bom trabalho ao incluir tutoriais e conteúdo brasileiro.

O lado negativo é que, tecnicamente, o Ypy deixa a desejar em alguns quesitos importantes (sensibilidade e tamanho da tela, falta de câmera traseira). Além disso, seu preço de R$ 999 não é baixo o suficiente, principalmente se levarmos em conta que o público-alvo do aparelho não é formado por geeks de classe média-alta dispostos a gastar os tubos com tablets.

Por R$ 300 a mais, por exemplo, é possível comprar um Xoom 2 Media Edition, com processador dual core de 1,2 GHz, câmera para fotos, tela de 8,2 polegadas com vidro Gorilla Glass e 32 GB de memória. Já quem não liga muito para qualidade e quer realmente economizar pode optar por um tablet chinês "genérico" de qualidade duvidosa, mas com configuração equivalente e preço de R$ 300.

No fim das contas, o Ypy fica no meio do caminho. Sua interface simples e sistema antiquado afastam os fãs mais dedicados do Android. Por outro lado, o aparelho não tem os recursos, a qualidade de construção e a elegância de um iPad. E seu preço é menor, mas não é baixo o suficiente. Um corte significativo no preço poderia tornar o aparelho mais atraente. No momento, porém, o Ypy não é a melhor alternativa para a maioria dos usuários.

Ficha técnica:
Ypy 7
Fabricante: Positivo
Configuração: Tela de 7 polegadas, sistema Android 2.3, 10 GB de armazenamento (2 GB internos + 8 GB no cartão), processador de 1 GHz, câmera frontal para videoconferência
Preço: R$ 999 (versão somente com Wi-Fi)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.