Pincel para iPad e jaqueta de 20 bolsos estão entre os produtos

Por David Pogue

De vez em quando, surge um produto de tecnologia tão brilhante que muda todo o mercado.

Hoje não é um dia assim.

Na maioria das vezes, muitos dos produtos que aparecem são interessantes, mas bem mais modestos. Esses são os produtos que acabam na minha mesa de “algum dia vou dar uma olhada”. A pilha de produtos fica cada vez maior e fico com remorso. Um dia, resolvo falar de todos eles num só texto.

Então aqui vai, a “coluna de liquidação do Dave”. Os produtos estão disponíveis nos Estados Unidos.

Pincel Nomad para iPad (US$ 25)

A tela do iPad foi projetada para responder apenas a toques de dedos. Não dá para usá-la com uma caneta ou outro objeto pontiagudo.

Para quem usa o aparelho para fins artísticos, isso é ruim. Dedos não costumam ser bons substitutos para pincéis.

Mas, de algum jeito, a Nomad inventou um pincel que funciona no iPad. É possível usar o pincel em qualquer aplicativo de desenho ou pintura. O pincel funciona muito bem (há alguns vídeos no YouTube, procure por nomad ipad).

Pincel Nomad é útil para lidar com aplicativos de desenho
NYT
Pincel Nomad é útil para lidar com aplicativos de desenho
As cerdas do pincel são feitas de fibra de plástico. Há vários tipos disponíveis. Dá para fazer muito mais do que pintar com o Nomad. É possível trabalhar normalmente no iPad com o pincel e algumas pessoas até acham que ele funciona melhor do que os dedos (ele pode ser útil, por exemplo, se você está de luvas ou com os dedos engordurados).

Jaqueta Scott eVest Transformer (US$ 160)

Bem, uma coisa é certa: você nunca vai reclamar que faltam bolsos para seus gadgets. Essa jaqueta tem 20 bolsos.

Jaqueta tem 20 bolsos e pode ser usada como colete
NYT
Jaqueta tem 20 bolsos e pode ser usada como colete
Cada bolso tem um pequeno rótulo, então dá pra saber onde está cada objeto. Há bolsos para seu celular (com revestimento que permite usar a tela multitoque sem abrir o bolso), óculos (com um pano para limpar as lentes), chaves (com um clipe que as deixa firmes no bolso), garrafas, carteira, canetas.

Há até, sem brincadeira, um bolso para iPads na parte frontal da jaqueta. Ela deve ser a primeira jaqueta que precisa de um manual de instruções.

Como outras jaquetas da Scott eVests, ela tem pequenos furos que guiam os fios de fones de ouvido por dentro da jaqueta até a gola.

Uma diferença deste modelo é que as mangas podem ser removidas, o que transforma a jaqueta em um colete.

As mangas são conectadas ao colete por meio de ímãs. Dá para remover as mangas ou uni-las ao colete sem mexer nos bolsos. Há bolsos para as mangas, claro.

A única pergunta que fica é: por que um nerd aficcionado por bugingangas tecnológicas compraria uma jaqueta estilosa de US$ 160?

Polester tem versões de 3 e 5 metros
NYT
Polester tem versões de 3 e 5 metros
Suporte para câmera Polester (US$ 230)

Alguém tinha que inventar isso: um suporte flexível de 5 metros para câmeras, feito de fibra de vidro. A ideia permitir que o dono tire fotos a partir de um ponto alto, mas sem ter que subir em lugar algum.

É um equipamento complicado de montar e usar. Ele vem com um mecanismo que permite pressionar o botão de disparo da câmera a distância, assim você não fica dependendo do timer da câmera.

Câmeras mais pesadas podem fazer com que o suporte balance. E, claro, você terá que adivinhar o ângulo exato da foto (a não ser que seus olhos saiam da cabeça como um personagem de desenho animado), já que não há como ver a tela da câmera quando ela está no alto.

E US$ 230 é um valor alto para um acessório desse tipo (há uma versão de 3 metros por US$ 200).

Mas, se você é o público alvo do Polester (inspetor de telhados, fotógrafo de casamentos, agente imobiliário ou gosta de fotos criativas), esse suporte deixa a câmera em lugares normalmente inalcançáveis.

Relógio/Alarme Ivee Flex ( US$60)

Conhece o Siri, o assistente digital do iPhone 4S? Um dos melhores truques do software é diminuir a complicação de configurar um alarme. Basta falar “me acorde em 45 minutos” ou “deixe o alarme para 19h30” e pronto.

Ivee aceita comandos de voz
Divulgação
Ivee aceita comandos de voz
Agora você não precisa de um smartphone sofisticado para fazer esse truque. Esse relógio/alarme simples é controlado por voz. Ele permite configurar a hora local e programar os alarmes, escolher um som para o alarme, ligar o timer, tudo por meio de comandos de voz.

A melhor parte é que o relógio está sempre “ouvindo”. Não é necessário apertar nenhum botão. Dentro de um raio de 3 metros, você pode dizer (em inglês) “Alô, Ivee” pra iniciar o aparelho. Ele responde (também em inglês) “Sim?” ou “Comando, por favor”.

Daí você diz sua parte “Configurar alarme 1”. Uma voz com sotaque britânico diz “Por favor me diga a hora desejada para o alarme 1”. Você diz a hora.

Mas o Ivee não é o Siri. Essa história de “Alô, Ivee” cansa rápido. Você só pode falar quando o relógio não está falando. E às vezes o relógio fica confuso e se intromete em conversas que ocorrem no ambiente. E seria legal configurar o alarme em um passo, em vez de dois (“configure o alarme 1 para 20h30").

Mas o reconhecimento de voz é preciso, os comandos são lógicos e os comandos por voz certamente são mais práticos do que fuçar nos botões de voltar e adiantar de outros relógios do tipo.

Lente Sigma permite capturar áreas com ângulo de até 121 graus
Divulgação
Lente Sigma permite capturar áreas com ângulo de até 121 graus
Lentes Sigma 8-16 mm grande angular ($700)

Uma das razões de comprar uma câmera sofisticada do tipo SLR é a possibilidade de trocar a lente para obter diferentes efeitos fotográficos.

Segundo a Sigma, estas são as lentes do tipo grande ocular com maior ângulo de captura no mercado, para câmeras com sensores do tipo APS-C (ou seja, câmeras SLR que custam menos do que US$ 1.000).

Ela equivale a uma lente 12-24 mm em uma câmera de 35 mm. As lentes Sigma estão disponíveis para câmeras Nikon, Canon, Sony, Pentax e da própria Sigma

Não é uma lente do tipo olho-de-peixe, portanto ela não distorce a imagem. Mas ela captura uma boa parte da imagem em volta da câmera (121 graus).

Fotos de ambientes internos fazem com que qualquer sala pareça gigante. E, como disse um usuários nos comentários da Amazon, “Não há nada como capturar um arranha-céu inteiro em uma só imagem, tirando a foto do outro lado da rua”.

Nos ângulos mais abertos, a lente distorce um pouco a imagem nas pontas. A lente também é um pouco “lenta”, o que significa que o desempenho com pouca luz não é bom. E, claro, é cara. Mas a qualidade da imagem é excelente.

Striiv tem games e treinos embutidos
Divulgação
Striiv tem games e treinos embutidos
Pedômetro Striiv (US$ 100)

O mercado está cheio de pedômetros high-tech, com acelerômetros e outros recursos para estimulá-lo a fazer exercícios. Entre esses estão o Jawbone Up, o FitBit, o Philips DirectLife, entre outros.

Bem, aqui vai mais um, o Striiv. É um chaveiro com tela de 3 polegadas que deve ser carregado (no bolso ou bolsa) ou usado (vem com um clipe).

A tela colorida sensível ao toque faz a diferença. Não é necessário conectar o produto a um computador para ver os resultados.

Há treinos embutidos, alguns games e gráficos para encorajá-lo a correr alguns quilômetros a mais.

Comparado a aparelhos concorrentes, há menos ênfase nos dados. Em vez disso, o aparelho enfatiza a motivação. Se o objetivo é manter a forma, a motivação é importante.

É isso aí, fãs de gadgets. Por hoje é só. Seis produtos novos. Nenhum merecedor de um texto mais aprofundado, mas, juntos, um conjunto interessante.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.