Google domina principalmente a reigão da Ásia-Pacífico

FRANKFURT - A plataforma Android, do Google, conquistou quase 50% do mercado global de smartphones, dominando principalmente a região da Ásia-Pacífico, afirmou a empresa de pesquisas Canalys nesta segunda-feira.

Siga o iG Tecnologia no Twitter Siga o iG Tecnologia no Twitter

O Android, adquirido pelo Google em 2005 e lançado para smartphones em 2008, é usado por quase todas as grandes fabricantes de aparelhso móveis, incluindo HTC, LG, Motorola e Samsung.

O sistema era a plataforma número um em 35 dos 56 países monitorados pela Canalys, resultando em uma participação de mercado de 48%, afirmou a empresa.

Em comparação, a Apple, que vendeu 20,3 milhões de iPhones, ocupa um distante segundo lugar, com market share de 19%, mas superou a rival finlandesa Nokia como a maior vendedora individual de smartphones.

A Samsung também superou a Nokia, mas a Canalys disse que a fabricante sul-coreana poderia ter se saído melhor.

"A Samsung fracassou em se aproveitar totalmente do estado enfraquecido da Nokia ao redor do mundo, à medida que a empresa finlandesa passa por um período de transição desafiador", disse o analista Chris Jones da Canalys.

"Ela é a vendedora melhor colocada para crescer às custas da Nokia, tirando vantagem de sua escala global e de seu alcance de fornecimento, mas ainda não fez o suficiente para tirar proveito disso, particularmente nos mercados emergentes".

A Samsung, que vende smartphones rodando o Android, assim como seus próprios aparelhos com o software Bada, vendeu cerca de 17 milhões de aparelhos, alta de 421% contra um ano antes.

O segmento de televisão por assinatura brasileiro estima alta de 18,7% no faturamento em 2011, para R$ 14,6 bilhões, informou a ABTA.

No primeiro semestre, o faturamento do setor somou R$ 7,1 bilhões, ante R$ 5,6 bilhões nos seis primeiros meses de 2010.

Segundo o presidente da ABTA, os principais fatores que colaboraram para o crescimento do setor foram a oferta de novas tecnologias e conteúdos, o aumento do poder de compra da classe C e a entrada de novas companhias de TV por satélite.

A estimativa é fechar o ano com 12,5 milhões de domicílios atendidos, ante 11,1 milhões em 2010. "O segmento tem encontrado terreno fértil para crescer", disse Annenberg.

Em 2010, a indústria teve receita de R$ 12,3 bilhões e um total de 9,8 milhões de usuários de TV paga, num crescimento de 31% sobre 2009.

O setor vive fase de convergência de tecnologias no Brasil, com grandes grupos de telefonia ingressando na oferta de serviços de TV e operadores oferecendo conteúdo online que pode ser acessado por banda larga.

(Reportagem de Nicola Leske)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.