Chris DiBona afirmou que os dispositivos móveis são mais seguros que computadores pessoais

Segundo desenvolvedor, é improvável que exista vírus tradicionais em dispositivos móveis
Getty Images
Segundo desenvolvedor, é improvável que exista vírus tradicionais em dispositivos móveis
Chris DiBona, líder da divisão do código aberto do Google, disse na sua página oficial do Google+ que empresas que tentam vender aplicativos de antivírus para smartphones são “trapaceiras” e quem trabalha em uma empresa destas devia ter vergonha de si mesmo. Um trecho do texto afirma que "as empresas de antivírus tentam explorar o medo dos usuários para venderem softwares inúteis para Android, RIM e iOS. Eles são charlatães e trapaceiros".

Sem mencionar nomes de empresas, DiBona argumentou que os dispositivos móveis, embora não sendo perfeitos, são mais seguros que os computadores pessoais. O desenvolvedor disse que nenhum aparelho possui um grande vírus no sentido tradicional, ao contrário de computadores Windows e Macs. Ele admite que um vírus tradicional em dispositivos móveis é possível, mas improvável, pois o modo como o software é escrito dificultaria muito a criação dessas ameaças.

Pesquisas recentes afirmam que a quantidade de vírus para Android aumentou em 472% nos últimos seis meses . Alguns dos pontos fracos do Android seriam, segundo especialistas, o código aberto e a facilidade de disponibilizar aplicativos maliciosos na loja virtual do Google, a Android Market. O Google anunciou no começo do ano que já retirou 58 aplicativos maliciosos de sua loja de aplicativos . De acordo com estudo da consultoria research2guidance, a loja já superou a marca de 500 mil aplicativos .

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.