Usuários agora tem na nova rede social do Google o único mecanismo para compartilhar conteúdo acessado pelo Reader

O Google liberou hoje sua nova versão do Google Reader, serviço que permite gerenciar feeds de RSS de sites de conteúdo, para todos os usuários. A principal novidade da nova versão é a mudança nos mecanismos para compartilhar conteúdo: antes era possível compartilhar com outros usuários do Reader e, agora, os usuários terão que usar a rede social Google+ como único mecanismo de compartilhamento.

Novo visual do Google Reader lembra última versão do Calendário e do Docs
Reprodução
Novo visual do Google Reader lembra última versão do Calendário e do Docs
A mudança não agradou os usuários porque, se eles usam o Google Reader com um pseudônimo, agora terão que compartilhar conteúdo por meio de sua conta real do Google+, o que diminuirá sua privacidade. O Google já afirmou que passará a suportar pseudônimos no Google+ em algum momento, mas ainda não há data oficial do lançamento do recurso.

A notícia de que os recursos sociais nativos do Google Reader seriam desabilitados cria polêmica desde a semana passada, quando foi anunciada pelo Google.

Os internautas tem reclamado sobre o assunto nas redes sociais e, nos Estados Unidos, um estudante de Washington até criou um abaixo-assinado para obrigar o Google a reativar a versão antiga. De acordo com o site Mashable , mais de 10 mil pessoas já assinaram a petição online até agora.

Alguns dos usuários reclamam que, ao retirar os recursos de compartilhamento do Reader, o Google tenta obrigar os internautas a usar sua nova rede social, que tenta concorrer com o Facebook. "Querido Google: retirar as funcionalidades do Google Reader não vai me fazer usar o Google+. Isso só vai me deixar nervoso", disse Megan McArdle, uma blogueira americana.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.