Empresa alega que Proview Eletronics vendeu os direitos para o uso da marca

selo

Pequim - A Apple defendeu nesta quarta-feira o uso da marca iPad na China perante um alto tribunal do país, alegando que a empresa Proview Eletronics vendeu os direitos para o uso da marca e está tentando, de maneira injusta, colher benefícios financeiros, de acordo com o jornal The Wall Street Journal.

Leia mais:
Batalha judicial na China envolvendo o iPad chega aos EUA
Proview quer R$ 3,4 bilhões da Apple pelo uso da marca iPad
Corte decide a favor da Apple para venda de iPad em Xangai

iPad é centro de disputa de marca na China
Getty Images
iPad é centro de disputa de marca na China
A companhia americana argumentou que comprou todos os direitos da Proview para a marca iPad, incluindo um para o nome "IPAD" pertencente a uma subsidiária na cidade de Shenzhen. "As ações da Proview, impulsionadas pelos seus próprios benefícios financeiros, são conspiratórias", disseram os advogados da Apple.

A Proview "se recusou a executar" o contrato sobre transferências de marca, prosseguiram eles. A empresa respondeu dizendo que a Apple, "considerando seu poder econômico, está dando um péssimo exemplo no mercado de propriedade intelectual chinês".

O alto tribunal ainda não se pronunciou sobre o caso, mas disse nesta quarta-feira que uma decisão estava pendente. Um tribunal inferior chinês deu razão à Proview em dezembro, o que levou a Apple a apelar em uma corte superior. As informações são da Dow Jones.

Por Renan Carreira

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.