RoboCore mostra alguns exemplos de competições realizadas pela empresa

O palco de robótica da Campus Party 2012 contou nesta sexta-feira (10) com luta de sumô de robôs. Organizado pela equipe da Robocore, empresa que atua na área de pesquisa e desenvolvimento de projetos especiais de automação, os robôs, autônomos e controlados por usuários se enfrentaram no evento.

Robôs competem durante penúltimo dia de Campus Party 2012
iG São Paulo
Robôs competem durante penúltimo dia de Campus Party 2012
Paulo Lenz, sócio-proprietário da RoboCore, mostrou alguns exemplos de competições feitas pela  empresa. São quatro categorias divididas pela complexidade dos robôs. Para robôs simples foi criada a categoria “seguidor de linha”, que solicita aos robôs andar sobre um trajeto em um menor tempo possível.

Outra categoria, conhecida como Hockey, busca mostrar a agilidade dos robôs. O objetivo é marcar o máximo de gols possíveis. Paulo lembra que estes robôs também são controlados por pessoas. “Ainda não conseguimos desenvolver robôs autônomos para esta categoria."

A categoria Sumô, apresentada na Campus Party, tem como objetivo empurrar o robô adversário para fora do círculo marcado. Os robôs usam sensores infravermelhos e sonar para identificar a marcação do círculo e a posição do adversário. Também na categoria de luta, há os combates que visam destruir ou desabilitar o robô adversário.

Segundo Lenz, nem sempre o robô mais caro leva a melhor: “Já houve casos de robôs de US$ 60 mil tomarem uma surra de robôs de sucata, que custam US$ 5 mil.” A arena de luta possui vidros blindados para evitar ferimentos com peças aos espectadores e os robôs chegam a pesar 150 quilos.

As lutas de robôs começaram em 2001 no Brasil. A RoboCore atua desde 2007 na área de combates de robôs e hoje conta com 231 equipes cadastradas. Para mais informações sobre a luta de robôs, acesse o site da RoboCore .

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.