Celulares oferecem fotos com baixa resolução enquanto câmeras digitais mais vendidas têm resolução acima de 12 megapixels

Celulares têm câmeras de qualidade mais baixa que a média de câmeras digitais
Reprodução
Celulares têm câmeras de qualidade mais baixa que a média de câmeras digitais
Os celulares dominam as vendas de câmeras digitais no Brasil, de acordo com dados da consultoria GfK. Com pequenas câmeras embutidas, a participação desses aparelhos passou de 70% para 90,8% em um ano e os cerca de 10% restantes incluem as vendas de câmeras com lentes fixas e intercambiáveis, além das câmeras profissionais.

Apesar disso, segundo Alex Ivanov, diretor de negócios da GfK, os celulares não devem substituir as câmeras digitais. Ele explica que a maior parte das câmeras encontradas nesses aparelhos multifuncionais são usadas pelas pessoas apenas para fotos rápidas, na maioria das vezes compartilhada por meio de redes sociais. Por isso, a maior parte dos celulares (54%) têm câmeras com resolução baixa, entre 1,5 e 3,5 megapixels.

A maior parte das câmeras digitais, aquelas que executam apenas esta função, oferecem resolução maior. De todos os modelos vendidos entre janeiro e junho de 2011, diz Ivanov, a maior parte permitia fotografar com resolução acima de 12 megapixels e 40% delas superava os 14 megapixels. "Existe espaço para os dois tipos de câmera neste mercado", diz Alex. No geral, o preço médio das câmeras digitais caiu 5% em 2010.

Uso de câmeras profissionais é pequeno

Das câmeras digitais vendidas em 2010, as profissionais representam apenas 10% do total. As câmeras de lentes intercambiáveis, muito populares entre os fotógrafos amadores em outros países, ainda representam 1% das vendas no Brasil. "As pessoas têm medo de sair com essas câmeras nas ruas, porque são mais caras e podem ser roubadas", diz Ivanov.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.