Intel Atom Medfield chegará a partir da metade de 2012

Com um estande quase completamente focado em ultrabooks, a maioria dos visitantes do primeiro dia de Consumer Electronics Show (CES) 2012, em Las Vegas (EUA), deve ter pensado que Paul Otellini, CEO da Intel, usaria seu discurso durante a feira para promover o novo conceito e os 15 ultrabooks de sete fabricantes lançados nos últimos meses. Para surpresa de todos, Otellini falou sobre o futuro da Intel: a entrada no mercado de dispositivos móveis, com o chip Intel Atom Medfield.

Will.I.am, líder do grupo Black Eyed Peas, ao lado de Paul Ottelini, CEO da Intel
Getty Images
Will.I.am, líder do grupo Black Eyed Peas, ao lado de Paul Ottelini, CEO da Intel

“O melhor do poder de computação da Intel está vindo para os smartphones”, disse Otellini durante o discurso. Segundo o executivo, a decisão da Intel de apostar nos dispositivos móveis aconteceu, pois os usuários “passaram dos computadores pessoais para a computação pessoal”. Com o lançamento, a Intel reconheceu a importância do novo mercado, mas Otellini deixou claro que o foco da empresa continua o mesmo. “Quando a Intel pensa em smartphones, está pensando em mais uma plataforma computacional”, disse Otellini.

MAIS SOBRE A CES 2012:
HP lança notebook revestido de vidro ultrarresistente
TVs agora "veem e ouvem" espectadores
Intel mostra notebooks comandados por voz e gestos

Sem mais delongas, o principal executivo da Intel anunciou os passos concretos da nova estratégia da Intel: uma parceria para os próximos anos com a Motorola para desenvolver smartphones e tablets com a plataforma Atom. O primeiro smartphone da Motorola com o novo chip da Intel chegará ao mercado no segundo semestre de 2012.

Lenovo sai na frente

O primeiro smartphone com o chip Atom Medfield, no entanto, será fabricado pela Lenovo. O aparelho K800, com lançamento na China marcado para julho de 2012, será o primeiro dispositivo móvel comercial a usar o novo chip da Intel. Ele terá espessura de apenas 10 milímetros, tela de 4,5 polegadas, câmera de 8 megapixels e tecnologia NFC (Near Field Communication), para pagamentos com o celular.

Os produtos de ambas as fabricantes serão baseados no sistema operacional Android, do Google, outra empresa que está apoiando a entrada da Intel no mercado de dispositivos móveis.

O primeiro tablet com Medfield

No estante da Intel, em meio a tantos ultrabooks, a empresa demonstrava para alguns poucos interessados alguns tablets com chips da Intel. Entre os modelos havia um tablet da Lenovo, com etiqueta de pré-produção, o IdeaPad K2110. Com Android 4.0 ou Ice Cream Sandwich, o aparelho usa o Intel Atom Medfield.

Yong-Jim Kuong, engenheiro da Intel presente no estante, confirmou que o produto deve ser lançado pelas duas empresas até o final de 2012. “Estamos trabalhando com o Google para otimizar o Android para a arquitetura Intel”, disse ao iG . O produto tem tela de 8,9 polegadas e espessura de 8,8 milímetros, igual a do iPad 2. “Ele vem com recursos de segurança e também com a tecnologia de streaming sem fio da Intel”, disse o engenheiro.

Will.I.am demonstrou poder dos ultrabooks

Depois que o presidente da Intel falou sobre os chips para dispositivos móveis, ele mostrou todos os novos modelos de ultrabooks, entre eles da Asus, Acer, LG e Lenovo. Um executivo da Dell, no palco com Otellini, anunciou o primeiro ultrabook da marca, o XPS13. O notebook tem acabamento em alumínio e fibra de carbono.

O produto chegará ao mercado com opção de processador Core i5 ou i7, da Intel, bateria com autonomia de nove horas e tela feita com Gorilla Glass, resistente a riscos. A Dell começa a vender o computador nos EUA em fevereiro.

Quais produtos/tecnologias mais chamam atenção na CES 2012? Comente no fórum.

Na sequência, Otellini mostrou uma série de futuros ultrabooks, que serão lançados nos próximos meses, já com a nova geração de chips da Intel, conhecida como Ivy Bridge. Além de mostrar as máquinas rodando jogos pesados, como Call of Duty, Will.I.am, líder do grupo Black Eyed Peas, subiu ao palco e tocou uma de suas 12 músicas, que ele produzirá em 12 cidades diferentes pelo mundo, em um projeto em parceria com a Intel.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.