Varejistas lançaram descontos entre US$ 50 e US$ 80 para os produtos com ChromeOS de olho nas vendas de Natal

Os Chromebooks , notebooks que rodam o sistema operacional ChromeOS desenvolvido pelo Google, ficaram mais baratos nos Estados Unidos. No período anterior ao Natal, os produtos fabricados pela Samsung e pela Acer serão vendidos nas lojas de varejo com preços a partir de US$ 300. "Estamos trabalhando com nossos parceiros para tornar os Chromebooks mais acessíveis", diz Venkat Rapaka, gerente sênior de produtos do Google.

LEIA TAMBÉM:
10 complementos úteis para o Chrome
Com ChromeOS, Google tenta reinventar computador

Samsung lança terceiro modelo de Chromebook nos EUA
Divulgação
Samsung lança terceiro modelo de Chromebook nos EUA
O Chromebook mais barato continua sendo o da Acer. No lançamento, ele tinha preço de US$ 350 e, com o desconto, o valor caiu para US$ 300. Os modelos da Samsung também ganharam desconto, mas mesmo assim continuaram mais caros: o modelo com conexão Wi-Fi + 3G passaram a custar US$ 450 (antes, custavam US$ 500), e os modelos só com Wi-Fi, tiveram desconto de US$ 80, e passaram a custar US$ 350.

Além destes modelos, há uma opção do notebook da Acer com conexão 3G que continua com o mesmo preço, US$ 400. A Samsung acabou de lançar também um outro modelo de Chromebook, que também não teve preço alterado. O notebook custa US$ 435, vem na cor preta, e possui apenas conexão Wi-Fi. Ele possui processador Intel Atom de 1.66 GHz com dois núcleos, duas entradas USB e entrada para cartão de memória.

Mudanças na interface

A equipe do Google anunciou hoje que fez algumas mudanças na interface do ChromeOS, para torná-lo mais simples para os usuários. A tela de login, por exemplo, ganhou um cinza claro de fundo com as fotos dos usuários cadastrados no centro.

A página de abas do navegador Chrome também ganhou o novo visual, já anunciado há algumas semanas para a versão do navegador para computadores. Agora, o usuário verá, a cada nova aba, uma página que reúne todos os aplicativos instalados a partir da Chrome Web Store, e outra com o histórico de páginas mais acessadas.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.