Em visita ao Brasil, executivo fala sobre missão de se tornar uma plataforma para desenvolvedores que criam aplicativos para compartilhar som na web

Dave Haynes, do SoundCloud, divulga serviço para desenvolvedores no Brasil
Divulgação
Dave Haynes, do SoundCloud, divulga serviço para desenvolvedores no Brasil
“O som é abstrato, mas é mais rico que uma variedade de mídias”, disse Dave Haynes, vice-presidente de desenvolvimento do SoundCloud , site de compartilhamento de sons, que permite mixar músicas, guardar memórias e registros apenas em áudio. Em cinco anos de existência do serviço, o SoundCloud passou a reunir uma comunidade de 11 milhões de pessoas no mundo. “Nas últimas duas semanas aumentamos o número de usuários em 1 milhão”, diz Haynes, que lidera os desenvolvedores do serviço a partir de Berlim (Alemanha) e visita o Brasil pela primeira vez.

Leia também: Soundcloud supera MySpace como principal rede social de música

O número de usuários do SoundCloud é pequeno em relação aos números conquistados por outras redes sociais, como Facebook e Twitter. Os dois sites têm, respectivamente, 800 milhões e 250 milhões de usuários, mas permitem compartilhar qualquer tipo de mídia, seja foto, vídeo ou áudio. Apesar de menos conhecido no Brasil, o SoundCloud possui mais usuários do que o popular aplicativo de compartilhamento de fotos Instagram, que hoje reúne aproximadamente 7 milhões de pessoas.

“O som ainda não aconteceu na web. De alguma forma, ele ainda não é tão intuitivo para as pessoas como as fotos e vídeos, mas há um progresso acontecendo”, disse Haynes ao iG. Segundo o executivo, o maior desafio agora é divulgar o serviço para internautas e desenvolvedores em todo o mundo, ao mesmo tempo em que o time de desenvolvimento simplifica a interface. “Qualquer pessoa pode se tornar um músico ou pode deixar um relato para os amigos usando o celular”, diz Haynes.

Um botão para tudo

Aplicativo do SoundCloud para iPhone só tem um botão para compartilhar sons
Reprodução
Aplicativo do SoundCloud para iPhone só tem um botão para compartilhar sons
Uma parte importante para popularizar o serviço é tornar a gravação de som o mais simples possível para os internautas. Por meio dos aplicativos para iPhone, iPad e Android, o usuário pode usar sua conta no Facebook para fazer o cadastro inicial. A interface principal dos aplicativos possui apenas um grande botão vermelho “Rec”, para iniciar a gravação. Ao salvar a gravação basta configurar as redes sociais apenas uma vez para compartilhar o som com os amigos.

“Tentamos transformar o som em um objeto social, porque você pode visualizar as ondas do som, quando compartilha com os amigos”, disse Haynes durante sua palestra na Campus Party. De acordo com o executivo, criar uma imagem que possa representar a intensidade do som ajuda as pessoas a encarar a atividade como algo menos abstrato. Os recursos para adicionar fotos e geolocalização a um som gravado, segundo Haynes, também ajudam a popularizar o serviço.

Aplicativos trazem inovação

A missão de longo prazo do SoundCloud é se tornar uma plataforma para desenvolvedores criarem aplicativos que ofereçam novas maneiras de compartilhar som. Trata-se da mesma estratégia do Facebook, que traz cada vez mais desenvolvedores para integrar aplicativos com a sua plataforma. Atualmente, o SoundCloud já é integrado a cerca de 10 mil aplicativos.

Em sua palestra na Campus Party , Haynes mostrou diversos aplicativos desenvolvidos com base no Sound Cloud: um deles, chamado Instasound, permite adicionar efeitos especiais às gravações, da mesma forma que o Instagram permite, mas com fotos. “Queremos ser apenas uma ferramenta para que os desenvolvedores criem as aplicações que as pessoas querem usar”, disse Haynes.

Durante a Campus Party, Haynes liderou o Music Hack Day, projeto em que desenvolvedores devem criar aplicativos com a API (interface de programação de aplicativos) de qualquer serviço de som por meio da web em apenas 24 horas. O evento, que acontece em diversas cidades do mundo, foi realizado pela primeira vez no Brasil e é parte da estratégia do Sound Cloud para divulgar o serviço para desenvolvedores brasileiros.

No total, apenas seis desenvolvedores toparam o desafio. “O número é pequeno se compararmos com o evento de Nova York em que tivemos 72 projetos, mas lá era um evento independente”, explica Haynes. O vencedor do concurso, que criou dois aplicativos integrados com a Last.fm, ganhou uma viagem para São Francisco (EUA). Outros três programadores ganharam smartphones como prêmio pela participação.

Segundo o executivo do SoundCloud, a equipe de desenvolvimento também está focada em analisar novas plataformas para criar aplicativos oficiais do SoundCloud. Atualmente, os aplicativos para iOS e Android já foram baixados mais de 10 mil vezes, mas o serviço ainda não oferece versões para BlackBerry ou Windows Phone. “Vamos aguardar os movimentos durante este ano para decidir em qual plataforma devemos investir em médio prazo”, disse Haynes.

Com todos os projetos, Haynes espera que gravar sons se torne tão natural para as pessoas como tirar fotos dos filhos nos aniversários ou para recordar viagens. “Eu gravei o som de meu filho contando até 10 pela primeira vez e sempre ouço no carro ao voltar para casa. É um som com uma carga emocional enorme para mim.”

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.