Mundo já reúne 5,3 bilhões de aparelhos celulares, mas vendas de dispositivos móveis continuam crescendo

As vendas de tablets e smartphones puxarão o desenvolvimento do mercado de serviços móveis nos próximos anos, de acordo com Pedro Ripper, presidente do iG , durante palestra no CIO Club, evento destinado a executivos de Tecnologia da Informação (TI), realizado hoje em São Paulo (SP). O executivo afirmou que esses aparelhos ajudarão a aumentar o tráfego de dados na internet em 26 vezes até 2015.

Siga o iG Tecnologia no Twitter Siga o iG Tecnologia no Twitter

De acordo com dados apresentados por Ripper durante a palestra, as vendas de tablets e de smartphones no Brasil devem crescer 922% e 260%, respectivamente, entre 2010 e 2014. "A velocidade de crescimento deste mercado é sem precedentes", disse Ripper durante o evento. Atualmente, entre celulares comuns e smartphones, o mundo reúne 5,3 bilhões de dispositivos.

Durante o evento, Ripper mostrou em alguns gráficos que as vendas de smartphones superam, em muito, as vendas de aparelhos que, no passado, revolucionaram o mercado de tecnologia. As vendas acumuladas do iPod parecem pequenas perto das vendas do iPhone e do iPad. "A velocidade de adoção do iPhone representa o triplo do iPod."

Aplicativos superam voz

Com cada vez mais dispositivos móveis nas mãos dos usuários, diz Ripper, o tráfego de dados deve aumentar exponencialmente nos próximos anos. Isso por que esses aparelhos servem, cada vez mais, para acessar informações e serviços por meio de aplicativos, em vez de fazer chamadas de voz.

Segundo Ripper, do total de minutos de uso do smartphone, a maior parte (47%) é usada para acessar aplicativos instalados no aparelho a partir de lojas, como a App Store e o Android Market. Outros 12% são gastos para acessar páginas web e web apps, sites acessados por meio do navegador, mas com interface similar a de aplicativos. Para telefonia, segundo Ripper, o usuário reserva 32% do tempo com o aparelho.

"É por isso que muitas empresas de internet deixaram de pensar depois em mobilidade", diz Ripper. Como exemplo, o executivo citou a rede social Facebook que já reúne 200 milhões de usuários que a acessam apenas por meio de dispositivos móveis e são duas vezes mais ativos do que os internautas que acessam o serviço apenas pelo computador.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.