Empresa usou conceitos do Windows Phone para o desenvolvimento do novo sistema operacional

Tela inicial do Windows 8
Divulgação
Tela inicial do Windows 8
Na última quinta-feira, 15, a Microsoft liberou para download a versão de desenvolvedores do Windows 8, a primeira totalmente adaptada ao toque dos dedos e com foco em smartphones e tablets

Segundo Steve Ballmer, CEO da empresa, trata-se da reinvenção mais ambiciosa pela qual o sistema operacional já passou, e basta experimentar o produto em beta para ver que, de fato, ele introduz a mudança mais radical já feita na interface e na lógica de uso do programa.

A navegação no Windows 8 foi repensada quase do zero, aproveitando apenas alguns conceitos inspirados no software para celulares Windows Phone e na simplificação que ele introduziu para as ações mais comuns dos usuários. A tradicional área de trabalho, por exemplo, desapareceu. Em vez de ícones, uma série de blocos livremente personalizáveis - em conteúdo e no espaço que ocupam na tela - organizam aplicativos, programas, contatos e tudo mais.

O aplicativo People agrega todos os seus contatos de redes sociais, enquanto o Photos junta as imagens da memória com as postadas online - atalhos que economizam toques na tela, reduzindo ações ao meramente necessário. O icônico menu Iniciar também foi limado, dando lugar a um tipo diferente de gerenciamento de apps e programas, escolhidos logo na tela inicial. Assim como todos os penduricalhos do Internet Explorer 10, que ficou mais clean e agora omite a barra de URLs e a revela apenas quando o usuário passa o dedo na parte inferior da tela.

Na visão da Microsoft, o navegador vira apenas moldura para a web, facilitando a visualização em tela cheia de sites e documentos.

iOS e Android

A versão de testes foi divulgada apenas para criar interesse em cima do lançamento futuro, planejado para 2012, mas com ela já é possível entender porque a Microsoft encaixa o produto em uma posição central na sua estratégia para conquistar o espaço perdido para Apple e Google na área móvel.

A maior diferença do Windows 8 para o iOS ou o Android é o modelo de navegação que ele pode introduzir nos tablets, inovador por fugir da regra imposta pelo iPad e replicada no Android. O Windows 8 prevê que dois apps possam dividir a tela para que sejam executados ao mesmo tempo, criando uma capacidade multitarefa que o iPhone sonharia em ter. Além disso, cria uma nova lógica para o gerenciamento de aplicativos, que agora podem ser alternados apenas ao passar o dedo ou o mouse da esquerda para a direita.

Bastante diferente de iOS e Android, o Windows 8 é uma tentativa da Microsoft de ousar e de influenciar a linguagem dos tablets - ainda em formação - e por isso seu desenvolvimento interessa não só à Microsoft, mas a todo o mercado e até aos rivais.

Por Rafael Cabral

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.