Segundo advogado, Megaupload ainda negocia que dados de cerca de 50 milhões de usuários sejam preservados

Autoridades federais dos Estados Unidos dizem que os dados armazenados pelos usuários no site de compartilhamento de arquivos Megaupload podem ser excluídos na próxima quinta-feira (2). A exclusão dos dados seria o próximo passo do Federal Bureau of Investigation (FBI), que prendeu o fundador do Megaupload e outros seis executivos do site na semana passada, sob acusação de pirataria na web e lavagem de dinheiro.

LEIA TAMBÉM:
Conheça Kim DotCom, o milionário por trás do Megaupload

Kim DotCom, do Megaupload, está preso e enfrenta acusações de pirataria online e lavagem de dinheiro
Reuters
Kim DotCom, do Megaupload, está preso e enfrenta acusações de pirataria online e lavagem de dinheiro
Em sua defesa, os executivos do Megaupload dizem que os seus milhões de usuários armazenam seus próprios dados por meio do serviço, mediante o pagamento de uma taxa. O advogado do Megaupload, Ira Rothken, afirmou que o governo "congelou" todo o dinheiro da empresa.

Um documento registrado pela corte de do Distrito de Virgínia afirma que as empresas de serviços de data center Carphatia Hosting Inc. e Cogent Communications Group Inc. devem começar a excluir o conteúdo dos usuários do Megaupload a partir da próxima quinta. Porta-vozes das duas empresas não comentaram o assunto.

O documento também afirma que o governo dos Estados Unidos copiou alguns arquivos armazenados do usuário do serviço, mas não apreendeu os servidores que os armazenavam. O documento também afirma que os problemas relacionados ao futuro dos dados armazenados nos servidores devem ser resolvidos diretamente com as empresas de data centers que os armazenam.

O advogado do Megaupload afirmou que está negociando com o governo que os dados armazenados por meio do Megaupload não sejam apagados. Ele afirmou que a ação pode apagar os dados de cerca de 50 milhões de usuários. "Estamos otimistas neste ponto porque os Estados Unidos, assim como o Megaupload, tem um interesse comum de proteger os usuários, então este acordo pode acontecer", disse ele.

O Megaupload está baseado em Hong Kong, mas o governo dos Estados Unidos afirma que tem autoridade para atuar sobre as acusações porque a empresa mantém dados de usuários armazenados em servidores localizados nos EUA.

*Com informações da AP.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.