Cofundador do serviço comprado pelo Facebook conta a história do aplicativo, que já tem 30 milhões de usuários

Lançado em outubro de 2010, o Instagram, aplicativo para iPhone que permite aplicar efeitos especiais a fotos e compartilhá-las com amigos, pode se gabar de uma marca impressionante. O aplicativo tem mais de 30 milhões de usuários cadastrados em cerca de um ano e meio de vida, número que ganha mais relevância quando se leva em conta o pequeno número de funcionários da empresa, que é de apenas 13.

Nesta segunda-feira (9), o Facebook anunciou que comprou o Instagram , o que deve aumentar ainda mais o número de usuários do serviço. A compra foi anunciada por Mark Zuckerberg, CEO do Facebook, que afirmou que o serviço continuará independente e seus fundadores "e seu time talentoso" se juntarão à equipe da rede social.

Krieger, do Instagram: aplicativo é sucesso no iPhone
Arquivo pessoal
Krieger, do Instagram: aplicativo é sucesso no iPhone
Um dos responsáveis por esse sucesso é o brasileiro Mike Krieger, de 26 anos. Ele é um dos criadores do Instagram, juntamente com o americano Kevin Systrom.

Krieger se mudou para os Estados Unidos em 2004, quando tinha 18 anos, para estudar na Universidade de Stanford. ”Foi lá que fiz minha graduação e pós-graduação, ambas num curso chamado Symbolic Systems, que é uma combinação de Ciência de Computação e de Design”, diz Krieger em entrevista ao iG .

O desenvolvedor, no entanto, já tinha contato com a criação de software desde os seis anos, quando acessava o código-fonte de jogos de Windows para modificá-los.

A criação do Instagram

O Instagram começou a ser concebido em maio de 2010. “Eu e o Systrom começamos a trabalhar em um aplicativo chamado Burbn. A idéia era criar um aplicativo que ajudasse as pessoas a compartilhar experiências e histórias, fora do escritório e de casa, longe do computador”, relembra Krieger.

Para chegar ao Instagram, eles “enxugaram” o projeto original do Burbn, removendo algumas funções. Segundo Krieger, o Burbn era um site parecido ao Foursquare, mas com um design mais arrojado. “Por ter sido criado em HTML5, o serviço funcionava em qualquer smartphone com um navegador moderno. Mas percebemos que o produto era muito complicado, então reduzimos os recursos para criar o Instagram”, diz.

Em dezembro de 2011, o Instagram foi eleito pela Apple como o melhor para iPhone. O sucesso foi tão grande que, no final de março, o Instagram ganhou uma versão para Android , o sistema operacional do Google, presente em smartphones e tablets. Só no primeiro dia, o aplicativo foi baixado mais de 1 milhão de vezes .

Incentivo ao empreendedorismo

Desde o início de sua temporada nos Estados Unidos, Krieger se envolveu em diversos projetos de startups. Ele trabalhou, por exemplo, nas startups Meebo e XMarks. “No Meebo trabalhei principalmente no componente deles para sites, o Meebo Bar. Já no XMarks eu atuei na criação de uma ferramenta de busca”, conta.

Entre os melhores aspectos da vida na Califórnia, segundo Krieger, está o incentivo à inovação. “Aqui, a cultura tem bastante ênfase na experimentação. Mesmo que a ideia seja arriscada ou que os fundadores não tenham muita experiência prévia, ainda existem recursos para criar uma empresa nova”, afirma. 

    Leia tudo sobre: instagram
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.