Aprenda a compartilhar uma mesma conexão e proteger o sinal contra usuários indesejados

Com cada vez mais tablets, smartphones e notebooks dividindo espaço com os desktops nas casas, acessar a internet por meio de uma conexão de banda larga fixa tornou-se inconveniente. Mesmo no caso de modems de banda larga móvel (3G), o acesso fica restrito a um computador de cada vez, o que limita o uso de smartphones e tablets.

Roteadores sem fio permitem compartilhar conexão de banda larga fixa ou móvel com outros dispositivos
Getty Images
Roteadores sem fio permitem compartilhar conexão de banda larga fixa ou móvel com outros dispositivos

Para compartilhar a conexão de banda larga principal com outros moradores da casa, o usuário tem a opção de criar uma rede sem fio (wireless) com a ajuda de um roteador. A escolha e instalação desses aparelhos, no entanto, pode ser complicada. Confira abaixo as dicas do iG para instalar seu roteador sozinho e configurar a rede sem fio sem dificuldades:

Qual modelo de roteador devo comprar?

Antes de comprar um roteador, é preciso identificar o tipo de conexão banda larga contratada na casa. Para os que possuem banda larga fixa (ADSL ou cabo), um roteador sem fio comum funciona corretamente.

No caso de uma conexão 3G, o usuário deve comprar um roteador que permita a instalação interna do chip da operadora ou que tenha uma conexão USB para conectar o modem fornecido.

Roteadores possuem diferentes portas na parte traseira para conectar cabo da conexão de internet e modem 3G
Reprodução
Roteadores possuem diferentes portas na parte traseira para conectar cabo da conexão de internet e modem 3G

O segundo passo é procurar um roteador compatível com a velocidade da conexão contratada. No mercado, o usuário encontrará roteadores do tipo B (até 11 Mbps), G (até 54 Mbps) e N (até 450 Mbps).

Para pessoas que contrataram uma conexão de 3 Megas*, um roteador que transmite o sinal de rede sem fio no padrão G dará conta do recado. Já para aqueles que têm ou pretendem migrar para velocidades superiores, é mais indicado comprar um roteador no padrão N.

Se a diferença de preço entre os modelos for pequena, opte sempre pelo padrão N que é compatível com os demais padrões. Contudo, não adianta usar um roteador N se o seu computador ou dispositivo móvel for do padrão G, pois sua velocidade será limitada a 54 Mbps.

O preço de roteadores para uso doméstico varia entre R$ 70 e R$ 500. A diferença se refere ao número e poder de antenas instaladas, quantidade de portas de conexão e recursos extras, como servidor de impressora e scanner embutido.

A maioria dos roteadores tem vida útil de até três anos. Após este período, grande parte desses aparelhos começa a apresentar problemas de sobreaquecimento. Para prolongar a vida do roteador, é indicado desligá-lo em períodos em que a conexão ficará inativa por mais de 48 horas.

Como configurar o roteador

ADSL e Cabo

Com o roteador em mãos, ligue sua fonte numa tomada. Em seguida, conecte o cabo de rede que sai do modem na porta WAN na parte traseira do roteador. Conecte um cabo de rede numa ponta em qualquer porta (1-4) do roteador e a outra no notebook ou desktop.

A partir de então, os menus do aplicativo que controla o roteador variam conforme fabricante e modelo. Para efetuar a configuração, o mais importante é entender a lógica do procedimento. Para entrar nas configurações:

1. Digite em um navegador (Chrome, Safari, ou Firefox) o número IP padrão do roteador. Este pode ser encontrado no manual ou numa etiqueta na sua parte inferior e é formado por quatro conjuntos de números, separados por ponto, como 192.168.1.1 ou 10.1.1.1;

2. Informe o nome de usuário e senha solicitados (ex. usuário: admin e senha: 12345). Essas informações também podem ser encontradas no manual do roteador.

Digite o nome de usuário e senha informados no manual para acessar a página de configurações do roteador
Reprodução
Digite o nome de usuário e senha informados no manual para acessar a página de configurações do roteador

Para iniciar a configuração básica:

1. Procure pelo menu com o nome "Quick Setup", "Wizard" ou similar. Neste local fica o orientador autoexplicativo de instalação;

2. Clique no botão para iniciar o passo-a-passo. Geralmente a ordem dos passos de 3 a 6 são estas abaixo, mas pode variar, de acordo com o fabricante do seu roteador;

3. Escolha qual o tipo de conexão do seu provedor. Se o modelo tiver opção de detecção automática, selecione-a. Caso não tenha, escolha PPPOE para provedores que solicitam usuário e senha para se conectar ou IP dinâmico para os que se conectam diretamente;

4. Altere o usuário e senha de acesso à configuração do roteador. Com isto, somente pessoas autorizadas poderão alterar as configurações. Esta senha não é a senha de rede que será usada para conectar dispositivos ao Wi-Fi. Ela será configurada adiante;

5. Ajuste a hora e fuso horário;

6. Digite o nome da rede. Ele será necessário para localizar a rede para conectar o dispositivo. Escolha o canal 6 ou 11 (no Brasil) para evitar interferência com outros equipamentos. Ou opte pela opção de escolha automática de canal, se o roteador tiver este recurso. Selecione o padrão "BGN modo misto" ou similar, para que dispositivos com diferentes tipos de velocidade possam se conectar;

7. Ative a criptografia WPA ou WPA2. Evite a WEP por ter brechas de segurança bastante conhecidas, o que pode diminuir a segurança da rede. Insira no campo indicado a senha que será solicitada na primeira vez que cada equipamento se conectar a rede Wi-Fi;

8. Clique para finalizar a configuração. Em alguns casos, o roteador pode ser reinicializado automaticamente.

3G e 4G

Os roteadores que suportam a tecnologia 3G e 4G seguem na maioria dos casos a mesma lógica de configuração descrita acima. A única diferença fica na escolha da origem da internet. Ao chegar no passo 3, escolha a opção 3G e preencha os campos solicitados com as informações de sua operadora de telefonia móvel.

*As conexões são vendidas pelas operadoras em megabytes, popularmente chamados de “Megas”. Contudo, essa medida precisa ser convertida para megabits por segundo (Mbps), critério técnico usado para medir a velocidade de conexões de internet, na hora de verificar a compatibilidade com o roteador. Como cada byte contém 8 bits, basta multiplicar o número de “Megas” contratados por 8. Se a conexão for de 3 Megas, por exemplo, a velocidade da conexão é de 24 Mbps.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.