Proview afirma deter o nome iPad e está brigando judicialmente com a Apple pelos direitos

Uma empresa de tecnologia chinesa que afirma deter a marca iPad planeja proibir as exportações do computador tablet da Apple da China, disse um advogado da companhia.

Se tiver sucesso, o movimento poderia deflagrar um golpe para as vendas de iPads da gigante de tecnologia dos Estados Unidos em todo o mundo. Não somente a China é um grande mercado consumidor, mas é a principal base de produção para a companhia norte-americana, cujos produtos incluem iPads, iPhones e iPods.

Leia mais:
China retira iPads das prateleiras, diz site
Corte chinesa nega processo da Apple sobre nome iPad

iPad pode ter importações e exportações interrompidas na China
Getty Images
iPad pode ter importações e exportações interrompidas na China
A empresa chinesa Proview Technology (Shenzhen) está pedindo a aduanas chinesas para pararem os embarques de iPads da Apple para dentro e para fora da China, embora as alfândegas não tenham atendido a seu pedido, disse o advogado Xie Xianghui à Asian Legal Business, uma publicação da Thomson Reuters.

Funcionários das alfândegas não foram encontrados para comentar e a Proview se recusou a se pronunciar.

A batalha legal entre a Apple e a Proview Technology (Shenzhen) sobre a marca iPad está emergindo como a mais recente dor de cabeça para a gigante dos Estados Unidos em um mercado ascendente e joga luz sobre os desafios legais que multinacionais estrangeiras enfrentam quando operam na China.

No ano passado, a Apple perdeu um caso para a empresa em uma corte no sul da China, que concordou que a Proview possuía a marca iPad. A Apple recorreu da decisão e um julgamento final deve começar em 29 de fevereiro. Esta decisão será a última sobre o processo legal chinês.

A Apple afirmou que comprou os direitos mundiais da marca há muito tempo.

"Nós compramos os direitos mundiais da Proview para a marca iPad em 10 diferentes países há muitos anos. A Proview se recusa a honrar seu acordo com a Apple na China e uma corte em Hong Kong ficou ao lado da Apple nesta questão", disse uma porta-voz da Apple.

(Por Artemisia Ng e Melanie Lee)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.