Após anos atrás da Microsoft nas vendas de computadores, Apple se beneficia da explosão na venda de dispositivos móveis para vender mais Macs

Desde a década de 1990, a Microsoft reina absoluta no mercado de PCs e notebooks. E essa tendência deve se manter, já que atualmente são vendidos cerca de 20 PCs para cada Mac, segundo a consultoria Asymco. Outros números, entretanto, mostram que a Apple está cada vez mais forte nos mercados de desktops e PCs.

Leia também:
Comparação de tablets: iPad x Nexus 7 x Surface

Dados da Asymco mostram que, em 2004, a diferença era de mais de 50 PCs vendidos para cada Mac. Ou seja, ainda são vendidos mais PCs do que Macs e, quando se considera a base instalada de computadores, a larga vantagem do Windows não está ameaçada. Contudo, nos últimos anos, essa vantagem vem crescendo a um ritmo mais lento do que antes.

A conta favorece ainda mais a Apple quando o iPad é incluído na categoria de computadores. Somando vendas de tablets e computadores, a Apple é a maior fabricante de computadores do mundo desde o ano passado. De acordo com um novo estudo da consultoria Canalys, a empresa vendeu 21 milhões de computadores e tablets no segundo trimestre de 2012, o que representa alta de quase 60% em um ano. A Apple foi a empresa que mais cresceu no período e agora detém 19,4% do mercado global.

Veja abaixo uma galeria com alguns dos computadores da Apple

Até então, a HP era a líder de mercado de computadores, mas vendeu 11,3% menos PCs em um ano. A empresa entregou 13,5 milhões de computadores no segundo trimestre de 2012 – o número inclui tablets, mas a empresa descontinuou sua linha de produtos com o sistema operacional WebOS no ano passado, apenas dois meses após o lançamento. Lenovo, Acer e Dell também aparecem no ranking da Canalys de maiores fabricantes de computadores.

Até alguns anos atrás, poucos diriam que a Apple seria a maior fabricante de computadores do mundo. Quando lançou o Macintosh, em 1984, a empresa inovou ao criar o primeiro sistema operacional com interface gráfica e preço acessível (o Lisa , também da Apple e lançado em 1983, tinha interface gráfica, mas era caro demais). Mas perdeu a disputa contra a Microsoft, que tinha seu sistema MS-DOS instalado em computadores de vários fabricantes.

Em 1984 foram vendidos seis vezes mais computadores com MS-DOS, segundo a consultoria Asymco, do que com o sistema da Apple - que mais tarde ganharia o nome de MacOS. Com a chegada do Windows, a diferença nas vendas de computadores das duas plataformas só aumentou. Dados compilados pela Asymco mostram que a diferença entre a quantidade de PCs e Macs vendidos chegou ao seu ápice em 2004, quando foram vendidos 56 PCs para cada Mac.

“Durante a segunda metade dos anos 90 estava claro que o Windows havia vencido a guerra entre plataformas para computadores”, disse Horace Dediu, analista de pesquisa da Asymco, ao iG . De fato, ao analisar somente as vendas de desktops e notebooks, a Microsoft continua muito à frente da Apple. Em 2011, segundo o Gartner, as fabricantes venderam 126,3 milhões de PCs, enquanto a Apple vendeu 11,3 milhões de Macs.

O resultado deu à Microsoft e à Apple participações de mercado em 2011 de 91,2% e 8,2%, respectivamente. “O MacOS está presente em cerca de 7% do total de computadores vendidos no mundo, não há como alcançar os volumes de PCs”, disse Mika Kitagawa, analista da consultoria Gartner para os Estados Unidos, ao iG .

Mobilidade ajuda Apple

A partir de 2005, com a chegada dos primeiros Macbooks , a Apple passou a vender computadores com maior velocidade, enquanto as vendas de PCs continuaram a crescer, mas em uma velocidade menor. “Quando os computadores se tornaram portáteis, a Apple subitamente teve uma vantagem, porque o design, material, durabilidade e beleza do notebook passaram a contar”, diz Dediu, da Asymco.

A chegada de produtos de vanguarda, como iPhone em 2007, e o iPad em 2010 , também tiveram impacto positivo nas vendas de Macs (veja o gráfico abaixo), pois o preço mais baixo dos produtos levou muitos consumidores a ter o primeiro contato com a marca. “Estes novos produtos tornaram a Apple uma marca ‘legal’ e as pessoas passaram a considerar a ideia de comprar um Mac depois de ter um iPhone ou um iPad”, diz Mika, do Gartner.

O "efeito iPhone e iPad" nas vendas do Mac

Veja como a popularidade dos dispositivos móveis da Apple ajudaram a aumentar as vendas (em milhões)

Gerando gráfico...
Fonte: Asymco

O preço dos Macs, mais alto do que o de computadores com Windows, continua a frear o crescimento das vendas da Apple. Segundo o Gartner, o preço médio de um computador com Windows nos Estados Unidos é de US$ 600 (cerca de R$ 1,2 mil). Um Mac, por outro lado, tem preço médio de US$ 1 mil (cerca de R$ 2 mil) que somente uma pequena faixa dos consumidores está disposta a pagar.

Apesar disso, segundo a Asymco, a Apple reduziu a vantagem da Microsoft nas vendas de computadores até cerca de 20 PCs para cada Mac vendido em 2011 – número alcançado pela última vez antes de a Microsoft lançar o Windows 95. Dados do Gartner mostram que o MacOS foi a única plataforma que cresceu no ano passado: as vendas da Apple aumentaram 10,3%, chegando a 11,3 milhões, enquanto as vendas de PCs caíram 4,3% e ficaram em 126,3 milhões.

O mercado mudou

A diferença entre a Apple e a Microsoft cai quando se considera o mercado de tablets, no qual a Apple é pioneira. A Asymco estima que a Apple tenha vendido quase 55 milhões de iPads somente em 2010 e 2011. No primeiro semestre de 2012, a Apple pode ter vendido mais de 28 milhões de unidades, o dobro do que vendeu no primeiro semestre do ano passado.

Quando o iPad entra nas estatísticas de vendas, a Microsoft vendeu 13 PCs tradicionais em 2011 para cada computador Apple vendido (seja ela um Mac ou um iPad). Com o iPhone, a diferença cai ainda mais: em 2011, segundo a Asymco, a Microsoft teria vendido 2,25 PCs para cada Mac, tablet ou smartphone da Apple.

iPad: computador para tarefas mais simples
NYT
iPad: computador para tarefas mais simples

“Agora existe uma grande base de pessoas que estão substituindo seus computadores e eles simplesmente querem ter o último produto da Apple”, diz Tom Evans, analista de pesquisa da Canalys.

Nos Estados Unidos, por exemplo, uma parte das pessoas já compra um tablet em vez de trocar seu computador, caso ele não esteja quebrado. “O preço é muito baixo e o tablet dá mobilidade às pessoas”, diz Mika, do Gartner.

Enquanto as vendas de PCs estão estagnadas, as vendas de Macs e iPads crescem e isso deve continuar nos próximos anos. “O iPad está crescendo mais rápido que o iPhone e nós sabemos que o iPhone foi capaz de crescer em uma taxa sustentável por cinco anos”, diz o analista. Ele prevê que, em apenas dois anos, a Apple venderá mais Macs e dispositivos móveis do que a Microsoft venderá computadores com Windows.

A reação da Microsoft

Retomar o mercado, porém, não será tão fácil para a Apple. Apesar do atraso, a Microsoft lançará em breve sua primeira linha de tablets com o Windows 8, nova versão do sistema operacional, que agora ganhou uma interface específica para telas sensíveis ao toque. Contudo, a empresa ainda tem um longo caminho a percorrer para ganhar uma fatia do mercado de tablets, que é atualmente dominado pela Apple - ela detém quase 70% das vendas.

“O grande teste do Windows 8 será a adoção nas empresas. Se ele for rejeitado e os desenvolvedores não migrarem para a Microsoft, então ela será forçada a retornar para um produto convencional, mas fracassado”, diz Dediu, da Asymco. A Microsoft lançará o Windows 8 e os dois primeiros tablets da linha Surface em outubro, cerca de dois anos e meio após o lançamento da primeira versão do iPad.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.