Confira os principais deslizes das empresas de tecnologia neste ano

As empresas de tecnologia tiveram um ano farto em lançamentos, principalmente no mercado de smartphones e tablets, mas também cometeram alguns deslizes durante o ano de 2012. Se em alguns casos a empresa cometeu um erro inocente - como a divulgação do preço errado do Windows 8 no Brasil no dia do lançamento mundial do produto - outras tiveram objetivos diferentes - como a exibição de um vídeo falso pela Nokia ao lançar o Lumia 920.

O iG selecionou alguns dos principais "micos" das empresas de tecnologia durante 2012.

Qual foi o pior "mico" de 2012? Dê sua opinião nos comentários no final da página!

Windows 8 com preço errado

A Microsoft tirou a página do Windows 8 de sua loja virtual brasileira, no dia do lançamento mundial, por conta de um erro no preço. Na festa de lançamento do produto, a empresa informou que a atualização do Windows 8 por meio de download custaria R$ 69, porém o Windows 8 Pro foi colocado à venda no site por R$ 83,98.

O erro demorou a ser resolvido e a venda do Windows 8 por meio do site da empresa só foi normalizada durante a madrugada do dia seguinte . Os consumidores que compraram o Windows 8 pelo preço errado no dia do lançamento receberam o dinheiro de volta, mas não precisaram devolver o produto.

"Jeitinho" do Google

Em fevereiro, uma reportagem revelou que o Google usava um código em suas páginas para "enganar" as configurações de privacidade do navegador Safari . Como o Safari impedia que o Google usasse arquivos de rastreamento (cookies) para identificar se um internauta já estava "logado" em seus sistemas, o Google usou o código para que os internautas pudessem "curtir" anúncios usando o botão +1, da rede social Google+.

Dias depois, a Microsoft também acusou a empresa de "enganar" o navegador Internet Explorer para instalar cookies que permitem personalizar anúncios para o usuário, mesmo que esta opção esteja desabilitada. Segundo a empresa, os sites do Google davam uma justificativa falsa para instalar os cookies no navegador.

No caso do Safari, o Google afirmou que a reportagem interpretou erroneamente o que aconteceu. Após a acusação da Microsoft, por outro lado, a empresa afirmou que "é impraticável atender ao pedido da Microsoft ao mesmo tempo em que oferecemos modernas funcionalidades da web".

Chuva na Campus Party

Parte da estrutura no Centro de Exposições do Anhembi foi danificada devido à forte chuva que caiu sobre São Paulo durante a Campus Party 2012 . Os suportes com tecidos que dividiam os ambientes se romperam por conta do forte vento e a equipe da Campus Party teve que segurar um dos painéis de apresentações para evitar que ele tombasse. Algumas palestras, como as dos setores de astronomia e robótica, foram suspensas.

As chuvas comuns nesta época do ano prejudicaram também a edição de 2011 da Campus Party. Um temporal causou um apagão no Centro de Exposição Imigrantes, que sediou o evento no ano passado. Em 2013, a Campus Party Brasil acontecerá novamente no Centro de Exposições do Anhembi entre os dias 28 de janeiro e 3 de fevereiro.

Crise na BlackBerry

A crise que começou no Research in Motion (RIM) com a chegada do iPhone e smartphones com Android ao mercado, se agravou ainda mais em 2012. A empresa promete, desde o final de 2011, o lançamento do sistema operacional BlackBerry 10, aposta para competir de igual para igual com os smartphones e tablets mais modernos, mas acabou atrasando o lançamento para o início de 2013.

Além do atraso do novo sistema operacional, outra notícia ruim foi a de que os aparelhos BlackBerry atualmente no mercado não receberão atualização para o BB10. A RIM também enfrentou outros problemas durante 2012, como uma pane que deixou 6% dos usuários BlackBerry na Europa e Ásia sem acesso a e-mails por cerca de três horas em setembro. Na semana passada, a empresa anunciou que o número de usuários BlackBerry caiu pela primeira vez na história .

Nokia frauda comercial

Durante o lançamento do Lumia 920, a Nokia admitiu ter fraudado um vídeo promocional mostrado no evento. A empresa mostrou dois vídeos, um que teria sido feito com um celular comum e outro com o Lumia 920, para mostrar o efeito do estabilizador de imagem da tecnologia PureView. Contudo, o segundo vídeo foi, na verdade, filmado com uma câmera profissional.

A empresa disse que peças adicionais do material promocional também foram uma simulação. "Nós deveríamos ter colocado um aviso dizendo que o vídeo era apenas uma representação do recurso de estabilização de imagem. Ele não foi filmado com um Lumia 920. Pelo menos, não desta vez. Nós pedimos desculpas pela confusão que criamos", disse Heidi Lemmetyinen, porta-voz da Nokia, no blog.

Mapas errados

Entre as novidades do iOS 6, versão mais recente do sistema operacional do iPhone e iPad, a Apple anunciou um novo serviço de mapas. Após os primeiros usuários experimentarem os mapas, que substituiram o Google Maps como ferramenta oficial do iPhone, as reclamações começaram a aparecer : além da qualidade inferior dos mapas, eles apresentam informações erradas sobre cidades e oferecem poucos dados sobre pontos de interesse.

Após muitas queixas, a Apple pediu desculpas em carta oficial no site da empresa e, além disso, recomendou serviços de concorrentes, como Microsoft, Google e Nokia, para os usuários. "Estamos fazendo tudo o que podemos para tornar os mapas melhores", escreveu Tim Cook, CEO da Apple, na carta. A empresa ainda não divulgou quando poderá liberar uma nova versão do serviço de mapas.

Coleta indevida do Street View

O Google revelou que ainda guarda dados coletados indevidamente pelo serviço Street View. O Google havia se comprometido a fazer isso até dezembro de 2010, mas o comunicado afirma que parte dos dados ainda está em servidores da empresa. O Google admitiu que havia coletado informações indevidamente em 2010.

O caso começou quando foi descoberto que carros do Google Street View haviam coletado e-mails, senhas e outros dados transmitidos em redes sem-fio de várias cidades do mundo. Os carros foram usados pelo Google para fotografar casas e ruas para seus mapas e, ao circular pelas cidades, armazenavam informações transmitidas em redes sem fio desprotegidas.

Roubo de senhas no LinkedIn

Em junho, o LinkedIn revelou que as senhas de "algumas contas" foram comprometidas. A empresa afirmou, no entanto, que cancelou as senhas de todas as contas comprometidas. Os usuários afetados receberam um e-mail com instruções sobre como modificar a senha e garantir acesso à conta.

Apesar de a rede social profissional não divulgar quantas contas foram afetadas, um hacker russo divulgou em um fórum de discussão que 6,5 milhões de senhas de usuários do LinkedIn foram roubadas. A causa da exposição das senhas nunca foi revelada pelo LinkedIn.

Fotos excluídas (ou não)

O Facebook revelou em fevereiro que guarda fotos excluídas pelos usuários da rede social, embora esteja trabalhando para apagar os arquivos armazenados em seus servidores. Os mais antigos ainda guardam fotos publicadas há cerca de três anos e penas as fotos excluídas instantes após a publicação não ficam nos servidores.

A equipe da rede social afirma estar trabalhando para remover os backups de fotos excluídas. De acordo com um porta-voz do Facebook, as fotos serão realmente apagadas dos servidores após 45 dias da sua exclusão da rede social, mas a nova política ainda não tem data para começar a valer.

Venda de fotos do Instagram

O Instagram, serviço de compartilhamento de fotos adquirido pelo Facebook em abril deste ano, divulgou uma nova versão dos termos de uso e da política de privacidade. O novo documento gerou polêmica entre os internautas, pois sugeriu que a empresa poderia vender fotos publicadas no site, além de outros dados dos usuários, para empresas de publicidade.

A startup voltou atrás e alterou novamente a política para "eliminar qualquer confusão". As mudanças nos termos de serviço referentes a publicidade foram revertidas. Os termos atualizados ainda afirmam que quem acessar o Instagram a partir de 19 de janeiro de 2013 estará aceitando os novos termos de uso.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.