Venda de smartphones com dois chips aumenta 680% em um ano no Brasil

Por Claudia Tozetto - iG São Paulo |

Texto

De olho na demanda, fabricantes de smartphones ampliam oferta de aparelhos dual chip. Primeiro aparelho da LG com suporte para três chips chega em breve

O número de smartphones com suporte a dois chips de operadora vendidos no Brasil cresceu 680% no último ano e alcançou 5,4 milhões de unidades, de acordo com dados divulgados com exclusividade pela consultoria IDC, ao iG. Este número representa cerca de um terço de todos os smartphones (celulares que permitem navegar na internet e instalar aplicativos) vendidos no País no primeiro trimestre de 2013.

LEIA TAMBÉM:
LG, Nokia, Sony e Samsung iniciam corrida pelos smartphones baratos

"No Brasil, há muitas distinções entre os preços das tarifas das operadoras, é uma singularidade do nosso mercado", diz Leonardo Munin, analista de mercado da IDC. "Enxergamos os aparelhos com dois chips como uma tendência em países emergentes." Outros países, como China e Índia, também têm mercado para celulares básicos e smartphones com suporte a dois chips.

De acordo com a IDC, os smartphones devem representar cerca de 45% do total de celulares vendidos no Brasil até o final do ano. No total, as vendas devem alcançar 28 milhões de unidades. Alguns fabricantes, ainda mais otimistas, acreditam que a fatia dos smartphones nas vendas no Brasil deve superar a marca de 50% no último trimestre do ano, quando as vendas aceleram antes do Natal.

Veja na galeria de fotos abaixo alguns smartphones dual chip à venda no Brasil:

Galaxy Gran Duos tem tela de 5 polegadas e roda Android 4.1. Custa R$ 1,4 mil. Foto: Claudia Tozetto/iGRazr D3 é dual chip mais avançado da Motorola, com tela de 4 polegadas. Custa R$ 800. Foto: Stella DauerXperia E Dual é primeiro dual chip da Sony. Tem tela de 3,5 polegadas de roda Android 4.0. Custa R$ 550. Foto: ReproduçãoDefy Mini, da Motorola, tem tela de 3,2 polegadas, sistema Android 2.3 e custa R$ 400. Foto: Stella DauerOptimus L3 II tem tela de 3,2 polegadas e sistema Android 4.1. Custa R$ 450. Foto: Stella DauerRazr D1, da Motorola, roda Android 4.1, tem TV digital e custa R$ 550. Foto: DivulgaçãoYpy S350 é o smartphone básico da Positivo. Tem tela de 3,5 polegadas e roda Android 2.3. Custa R$ 350. Foto: DivulgaçãoOptimus L5 II é dual chip intermediário da LG. Roda Android 4.1 e custa R$ 700. Foto: DivulgaçãoGalaxy Ace Duos é dual chip intermediário da Samsung. Tem tela de 3,7 polegada e roda Android 2.3. Custa R$ 600. Foto: DivulgaçãoOptimus L7 II, da LG, vem com Android 4.1 e tela de 4,3 polegadas. Custa R$ 850. Foto: DivulgaçãoPositivo Ypy S400 tem tela de 4 polegadas e Android 4.0. Custa R$ 700. Foto: DivulgaçãoGalaxy Y é dual chip básico da Samsung, com Android 2.3 e tela de 3,1 polegadas. Custa R$ 400. Foto: Stella DauerAsha 305 é um dos aparelhos da Nokia com dois chips. Tem tela de 3 polegadas e custa R$ 300. Foto: ReproduçãoSmartphone Saturn, da Multilaser, roda Android 2.3 e tem tela de 2,8 polegadas. Custa R$ 250. Foto: Divulgação

Dois fatores levam ao crescimento acelerado nas vendas de smartphones com dois chips: primeiro a migração dos usuários de celulares básicos, categoria onde o suporte a dois ou mais chips faz sucesso. Por conta da redução do preço dos smartphones devido à Lei do Bem e da "pressão social", muitas pessoas compram seu primeiro smartphone, mas procuram modelos compatíveis com dois chips para continuar economizando em chamadas.

Além disso, o número de pessoas que precisa andar com dois celulares, sendo um número particular e outro profissional, também é crescente. Ter um smartphone que acomode os dois chips se torna um recurso muito procurado por esses usuários. "Muita gente tem celular do trabalho, mas não quer abrir mão do particular. Por isso este mercado é tão forte", diz Roberto Soboll, diretor de produtos de telecom da Samsung no Brasil. No começo de 2012 a empresa tinha 12 aparelhos dual-chip, agora são 20.

Mais que um nicho

De acordo com a Samsung, os aparelhos com suporte a dois chips já representam 45% do total de smartphones vendidos pela empresa no Brasil durante o primeiro trimestre de 2013. O principal dispositivo da empresa com foco neste mercado é o Gran Duos, da linha Galaxy. O smartphone, que chegou ao Brasil em fevereiro de 2013, possui tela de 5 polegadas, processador de 1,5 GHz com dois núcleos e câmera de 8 megapixels. O preço sugerido é de R$ 1,4 mil.

A LG é outra fabricante que investe forte em smartphones com sistema Android e suporte a dois chips, principalmente modelos em uma faixa de preço mais baixa. A segunda geração da linha Optimus L, anunciada durante o Mobile World Congress, foi pensada para o público que quer um aparelho mais avançado, sem deixar de lado os dois chips. Os três modelos, com preços na faixa de R$ 499 (L3 II) a R$ 899 (L7 II), estão à venda no Brasil.

"Estamos acompanhando a tendência do mercado. Ano passado, a gente tinha a linha L só com um chip, neste ano já trouxemos os modelos com dois chips", diz Jan Petter, diretor de vendas de celulares da LG Electronics do Brasil.

Segundo o executivo da LG, a empresa pretende lançar no Brasil um novo modelo de smartphone no terceiro trimestre que será o primeiro de sua linha a oferecer suporte a três chips de operadoras. Até agora, nenhuma grande fabricante oferece smartphones com suporte a mais de dois chips: só modelos fabricados por pequenas fabricantes, além de celulares não-homologados importados e vendidos no mercado cinza, oferecem o recurso.

Além da Samsung e da LG, outra fabricantes como Motorola e Sony também investem no segmento de smartphones com dois chips. O Xperia E Dual, fabricado pela Sony, é o primeiro aparelho da marca a contar com mais de um chip. Em março de 2013, a Motorola também anunciou que seus novos smartphones de entrada com sistema operacional Android, do Google, têm opção com dois chips.

Recursos populares

De acordo com a IDC, o Android é o sistema operacional mais popular no Brasil, representando 87% das vendas de smartphones no primeiro trimestre de 2013. Outros recursos na lista de quem procura o primeiro (ou um novo) smartphone incluem tela sensível ao toque com tamanho grande e bateria de longa duração. "Uma boa câmera e conexão Wi-Fi também são recursos procurados pelos consumidores", diz Bárbara Toscano, gerente-geral de marketing de celulares da LG Electronics do Brasil.

Além da conexão Wi-Fi e 3G, quem pode pagar mais caro também procura um celular que ofereça internet rápida também na rua. "A venda de aparelhos 4G no primeiro trimestre foi o dobro da nossa expectativa para o início de 2013", diz Munin, da IDC. De acordo com o estudo, esses aparelhos representaram 4% das vendas no período analisado.

Segundo a consultoria, como as redes 4G estão disponíveis há pouco tempo, as operadoras ainda precisam investir em infraestrutura para garantir a qualidade da conexão antes que mais usuários se conectem à rede, além de reduzir os preços para que os smartphones 4G possam se popularizar. "Isso deve acontecer em um ou dois anos", diz Munin.

Leia tudo sobre: smartphonesdual chip
Texto

notícias relacionadas