Windows XP aprimorou recursos de acesso a redes sem fio e trouxe programa para criar e editar vídeos

Lançamento do Windows XP, em 2001, aconteceu em um teatro da Time Square
Divulgação
Lançamento do Windows XP, em 2001, aconteceu em um teatro da Time Square

Nesta terça-feira (8), a Microsoft encerra por completo o suporte ao Windows XP, sistema lançado em 2001. A data marca o fim de uma era já que, apesar de lançado há mais de 10 anos, o Windows XP ainda é o segundo sistema mais popular do mundo .

LEIA MAIS:  Cinco respostas sobre o fim do suporte ao Windows XP

O lançamento do Windows XP, em 25 de outubro de 2001, foi um dos maiores da história da Microsoft. O principal evento aconteceu em um teatro na Times Square, em Nova York (EUA), e foi apresentado por Bill Gates, na época presidente-executivo e chefe de software. Mas este foi apenas um dos 50 eventos mundiais de lançamento do Windows XP naquele dia.

Na Holanda, táxis pintados com o que viria a ser o mais tradicional papel de parede do Windows faziam corridas de graça. No México, foram os ônibus que receberam uma pintura especial. Em Londres, usuários tentaram bater o recorde de produção e transmissão de um videoclipe com o XP. Já em Toronto, no Canadá, uma faixa de 27 mil metros quadrados cobriu um campo de golfe ao lado de uma estrada. Até o Brasil foi palco de um evento a céu aberto com três quilômetros de extensão que contou com a presença de Rick Belluzzo, então chefe de operações da Microsoft.

Tanta publicidade compensou e o XP foi um sucesso de vendas na época. Mas o sistema não se deu bem só por conta de marketing. O XP trouxe alguns recursos inovadores para sua época. O iG conversou com Fabio Gaspar, gerente de produto de Windows, que relembra alguns dos recursos inéditos do XP na época do lançamento. 

Veja abaixo fotos do lançamento do Windows XP em 2001:


1 - Mídia digital

Um dos destaques do Windows XP eram seus recursos de mídia digital, programas que já vinham instalados no sistema para escutar música, ver vídeos em DVDs e criar filmes em casa. A plataforma trazia um Windows Media Player mais rápido, no qual o usuário escutava música e gravava CDs.

Opções de configuração para vídeos exibidos em tela cheia no computador também eram novidade. O usuário tinha ainda a sua disposição o Windows Movie Maker para fazer filmes com vídeos, fotos e músicas. O programa trazia também opções de arquivos mais compactos para serem enviados pela internet, via e-mail, por exemplo.

2 - Conectividade

Outra novidade do Windows XP era sua capacidade de se conectar automaticamente às redes wireless. O sistema já nasceu com suporte a redes Wi-Fi (aprimorado três anos depois com o Service Pack 2), além de também ter recursos de comunicação via raios infravermelhos, usados por controles remotos. Além disso, o XP trouxe a capacidade do computador se conectar e desconectar de outros dispositivos sem a necessidade de reiniciar a máquina para as novas configurações funcionarem. 

Nova interface gráfica era um dos destaques do Windows XP
Divulgação
Nova interface gráfica era um dos destaques do Windows XP

3 - Interface gráfica

Uma grande preocupação da Microsoft na época do lançamento do Windows XP foi com a sua interface gráfica. São dessa época vários elementos visuais e recursos encontrados até hoje no Windows 7, versão anterior ao Windows 8, que inaugurou uma nova interface gráfica do sistema.

As barras cinza e quadradas das versões anteriores do sistema operacional foram substituídas por barras azuis que, combinadas com o papel de parede padrão do Windows XP, pareciam ser quase transparentes.

Sombras também passaram a fazer parte do design do Windows XP, que trazia também a possibilidade de o usuário customizar a interface da plataforma com um dos temas disponíveis. Até as fontes se tornaram mais nítidas para melhor se adaptarem aos monitores de LCD da época.

O menu Iniciar também foi reformulado: ele ganhou duas colunas e a possibilidade do usuário adicionar programas favoritos a uma lista de acesso fácil. Também no menu Iniciar estavam as aplicações mais usadas e os documentos recentes, além de um atalho para todos os programas.

Foi no Windows XP também que o sistema passou a dar ao usuário a opção de agrupar arquivos por grupos na barra de tarefas. Em vez de ter 10 documentos abertos ocupando a barra de tarefas, era possível deixar todos agrupados pelo programa de origem. A barra de tarefas também podia ser bloqueada para evitar acidentes com movimentos involuntários.

4 - Infraestrutura

O XP também inovou no que diz respeito ao combate à pirataria. A versão de 2001 do sistema foi a primeira a trazer o Windows Product Activation, em português, ativação de produto do Windows, que exigia que cada licença de Windows fosse ativada e relacionada a um número de identificação único. Ferramentas de administração do sistema como o instalador do Windows, o Defragmentador de Disco e o Gerenciador de Tarefas também nasceram com o XP.

5 - Pacotes e edições específicas

Com o XP, a Microsoft inaugurava outra tradição do Windows: a de fornecer edições diferentes de acordo com os usos a que se destinava o sistema. Já no lançamento, em 2001, o Windows XP era oferecido na versão Home Edition, para ser usada em casa, por uma ou mais pessoas, e versão Professional, para empresas, que trazia funcionalidades específicas como integração do usuário a um domínio corporativo. Presente no Windows até hoje, esse recurso permite que as empresas decidam os níveis de segurança e privacidade que seus usuários terão na rede, que pastas e arquivos vão poder acessar, por exemplo.

Outra novidade do Windows XP foi o Microsoft Plus! uma coleção de suplementos e utilitários projetados para expandir a experiência multimídia no Windows XP. O pacote trazia temas, protetores de tela e até jogos em 3D.

Além disso, o Plus! trazia o recurso de comando de voz ao Media Player do XP. Com ele, era possível passar músicas, minimizar, maximizar e fechar o programa dando instruções verbais para o sistema. Era possível pedir para o Media Player tocar uma playlist específica, por exemplo. Além disso, o programa reconhecia nomes de artistas, listas de execução e gêneros da biblioteca do usuário. O programa também convertia os MP3s em WMA, extensão do Media Player da Microsoft, e era capaz de extrair das caixas de som com ajustes de perfis de áudio.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.