Popular rede social do Google foi desativada nesta semana

A crônica de uma morte anunciada finalmente se tornou realidade. Na terça-feira, 30 de setembro de 2014, o Orkut, a primeira rede social que aprendemos a amar, acabou. Mas, diferentement de outros serviços do Google, como o saudoso Google Reader e o fracassado Google Wave, que foram apenas enterrados, o Orkut teve parte dos dados transformados em museu.

LEIA MAIS: Saiba como baixar fotos do Orkut, além de scraps e depoimentos

Lá estão 51 milhões de comunidades públicas, 120 milhões de tópicos, e mais de 1 bilhão de interações ocorridas ao longo desses dez anos de vida. E, muito embora o fim do Orkut seja consequência da migração de seus usuários para a plataforma concorrente, o Facebook, isso não significa que a rede social não deixará saudades. Pelo contrário. Alguns recursos permanecem únicos e merecem ser lembrados.

Google criou museu com comunidades do falecido Orkut
Reprodução
Google criou museu com comunidades do falecido Orkut

1) Depoimentos: Com o fim do Orkut, chega ao fim a era dos depoimentos nas redes sociais. Caso você não lembre ou não seja da época do Orkut, vale dizer que os depoimentos ocupavam uma área nobre do perfil de qualquer usuário. A principal diferença dos depoimentos para as mensagens encontradas no Facebook é que eles tinham um espaço dedicado, logo após os detalhes de perfil, e que ficavam visíveis para (quase) todo o sempre. Os depoimentos eram parte do perfil de qualquer usuário. Diferente das mensagens do Facebook que se perdem na linha do tempo, a área de depoimentos era uma espécie de mural de recados com pessoas falando sobre o quanto gostavam daquele usuário. Os mais inspirados faziam até desenhos com caracteres.

2) Atributos: No Orkut, além de prestar homenagens às pessoas de que gostavam, os usuários podiam votar em três atributos: sensual (representado por um coração), confiável (representado por uma carinha feliz) e legal (cujo símbolo era uma pedra de gelo). Esses indicadores não passavam de uma brincadeira, é claro, mas quem vai negar que era divertido checar as mudanças na porcentagem dos ícones a cada consulta no perfil? O que era melhor: ser 100% confiável, 90% legal e 80% sexy ou 100% sexy, 70% legal e 80% confiável?

3) Comunidades: o Facebook tenta, mas seus grupos não são nem perto o que eram as comunidades do Orkut. No Orkut, as comunidades eram como distintivos que o usuário colocava junto do seu perfil. E não era nada parecido com clicar em Curtir na página de um livro, de uma série ou de alguém famoso. Ao fazer parte de uma comunidade, o usuário entrava em um espaço em que as pessoas realmente discutiam um tema ou trocavam ideias a respeito. E, é claro, links. Além disso, elas tinham títulos sempre criativos, como a popular “Odeio acordar cedo”, ou “Anão vestido de palhaço mata oito”. Eram como o nome sugere, comunidades, muitas vezes gigantescas.

4) Anonimato: diferentemente do Facebook, que exige que as pessoas se cadastrem com seu nome real, o Orkut permitia que o usuário se chamasse na rede da forma que quisesse. Uma mesma pessoa podia ter mais de um perfil. Quem não se lembra do “Fulano de Tal 1- Perfil Lotado”? É claro que essa liberdade resultou em uma quantidade enorme de perfis falsos que nem sempre eram legais e que geraram problemas e processos para o Google.

5) Perfil mais pessoal: No Orkut também havia mais liberdade para preencher seu perfil, dizer quem afinal você é por extenso, não por meio de opções selecionáveis e caixas. Nos esportes que pratica, o usuário poderia escrever, por exemplo, levantamento de copo. Até informações físicas como a cor dos olhos e dos cabelos estavam disponíveis para serem preenchidas manualmente. Quer morar na Terra do Nunca? No Orkut pode.

6) Visitas recentes: muito antes da moda de perseguir (stalkear) as pessoas na internet, o Orkut permitia que cada usuário soubesse quem visitou sua página recentemente. O recurso era opcional, mas era interessante na medida em que mostrava para aquela pessoa na qual o usuário estava interessado que o interesse era real. Seu sucesso foi muito maior do que o cutucar do Facebook, por exemplo.

Orkut permitia que o usuário mudasse a cor do seu perfil ou aplicasse algum tema personalizado
Reprodução
Orkut permitia que o usuário mudasse a cor do seu perfil ou aplicasse algum tema personalizado

7) Cores de fundo: sabe aquele vírus que quase todo mundo já virou circulando por aí para trocar a cor de fundo do Facebook? Pois bem, no Orkut, ele não era um vírus, mas uma funcionalidade oficial da rede social.

A paleta de cores era realmente extensa, com opções que iam bem além das cores primárias. O usuário que desejasse customizar sua página podia escolher um tom além do azul característico ou um fundo mais trabalhado, com desenhos abstratos, referências de artes e ciências, comemorativo, divertidos, fundos de jogos e esportes ou algum que combinasse com o seu estado de espírito.

8) Sorte do dia: aleatoriamente, o Facebook pergunta como o usuário está se sentindo ou no que está pensando. No Orkut, não havia essa quantidade de interação homem-máquina, mas a rede social era divertida o suficiente para oferecer a cada dia uma Sorte do Dia ao seu usuário. Sabe aquelas mensagens de biscoito da sorte? Era tipo isso, e como os biscoitos, era capaz de, por vezes, combinar direitinho com o humor do usuário.

9) Fãs: o Orkut realmente apreciava a interação dos usuários e trabalhava para que um perfil fosse o mais completo possível. Dentre as informações que a rede social apresentava ao mundo, além dos atributos, estava o número de fãs que cada um tinha. A lista de fãs era acessível ao dono do perfil, que podia conferir se aquele amigo do qual era fã havia retribuído a gentiliza, ou não.

10) Lista de pessoas interessantes e amigos importantes: muito antes do Tinder, o Orkut estava empenhando em ajudar as pessoas a se conhecerem melhor pela rede social. Uma prova disso eram dois recursos: Hot-List e Crush-List. A Hot-List era a lista de amigos que mais interessavam a um usuário, bem similar ao que encontramos hoje no Facebook com os Amigos próximos. A Crush-List, no entanto, foi única. Nessa lista o usuário colocava as pessoas que interessavam sexualmente e caso a outra pessoa o colocasse nessa lista também, o Orkut mandava uma mensagem para ambos avisando do interesse mútuo. Praticamente o cupido.

Se você ainda não baixou seus arquivos do Orkut, saiba que os arquivos estão disponíveis para download até setembro de 2016 . Seu perfil, porém, já era.

MAIS: Relembre a evolução da tela inicial do Orkut:


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.