Conhecimento sobre lógica de programação é condição básica

Para começar a desenvolver aplicativos é necessário baixar um kit de desenvolvimento (SDK). O SDK do Android pode ser obtido no site Android Developers . O do iPhone pode ser baixado no iOS Dev Center .

Em ambos os sistemas o SDK é grátis e inclui a documentação e códigos que ajudam o profissional a criar um aplicativo de acordo com os padrões. Além disso, é necessário pagar uma taxa para participar do programa oficial para desenvolvedores (R$ 156 na App Store e R$ 16 no Android Market).

Para criar os aplicativos é necessário ainda ter conhecimento de programação (Objective-C, no caso do iPhone, e Java, para o Android). “Não é impossível para quem não tem uma base de programação, mas é bem mais difícil, pois é necessário pelo menos um conhecimento razoável de lógica de programação”, diz o programador Renato Pessanha.

Quem deseja criar aplicativos para iPhone deve ainda ter, obrigatoriamente, um computador da Apple. Eles são os únicos que rodam o XCode, ferramenta de desenvolvimento para iOS. “Se a pessoa comprar um Mac e estudar muito, em três ou quatro meses consegue desenvolver seu primeiro aplicativo simples. Vale o investimento”, diz o desenvolvedor Alessandro Figueiredo.

Aparelhos Android dão mais trabalho

No caso do Android, a ferramenta de desenvolvimento Eclipse está disponível de graça para Mac OS, Linux e Windows. A plataforma do Google, porém, traz algumas dificuldades inexistentes no iPhone. “Há mais de 20 tamanhos de tela diferentes entre os aparelhos com Android, além de capacidade de processamento distintas”, diz Gabriel Rinaldi, diretor de desenvolvimento da agência Galápagos.

Rinaldi, da Galápagos: em três anos virou diretor de desenvolvimento
Divulgação
Rinaldi, da Galápagos: em três anos virou diretor de desenvolvimento
Na QUByte Interactive, outra empresa brasileira de aplicativos de games, os desenvolvedores enfrentaram o problema ao começar a criar aplicativos para o Android. “Sempre temos que fazer alguns ajustes no jogo, porque existem aparelhos com resoluções diferentes”, diz Marivaldo Cabral, CEO da QUByte.

Em qualquer plataforma, a principal dica é começar com aplicativos mais simples, como de lista de tarefas (To Do). “No início é um pouco complicado aprender sozinho, então a pessoa também pode fazer um curso, mas hoje em dia já existe muito material disponível na internet sobre o assunto”, diz Pessanha.

Para ajudar os desenvolvedores de iPhone, a Universidade de Stanford (EUA) colocou à disposição um curso por meio do iTunesU, seção da loja iTunes dedicada a conteúdo publicado por universidades. Gratuito, o curso ensina, em detalhes, como desenvolver o primeiro aplicativo para iPhone. “Qualquer um pode acompanhar o curso, mas é preciso saber inglês”, diz Rinaldi, da Galápagos. Escolas especializadas em programação também já começam a oferecer cursos focados para desenvolvimento em smartphones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.