A OriHime possui aproximadamente 60 centímetros de altura e tem movimentos leves e delicados

Por Fernanda Morales

Muitos aparelhos hospitalares como cadeiras de roda e andadores buscam proporcionar aos pacientes mais liberdade de locomoção, mas a maioria deles continua se sentindo isolado e sozinho. Pensando nisso, um estudante do quarto ano do curso de engenharia da Universidade Waseda, no Japão, criou uma robô humanoide que irá ajudar as pessoas que estão internadas a interagirem com outras pessoas, a OriHime. 

Um vídeo produzido pelo estudante mostra a OriHime em ação

Kentaro Yoshifuji, criador do robô, começou a se interessar por inteligência artificial depois que terminou o ensino médio. E analisando os mecanismos robóticos utilizados em hospitais, o jovem concluiu que um robô poderia atuar como um ‘amigo artificial’ para as pessoas que estavam internadas. Mas depois de concluir seu trabalho como voluntário em hospitais, Yoshifuji concluiu que os pacientes querem se conectar com outras pessoas e não com robôs.

A solução que o estudante encontrou para conectar as pessoas foi acoplar uma câmera em seu robô, permitindo que o usuário assista a um vídeo em tempo real através de uma conexão com a internet. 

A OriHime possui aproximadamente 60 centímetros de altura e tem de 24 a 25 graus de liberdade, dependendo da configuração. O robô possui motores servo, que proporcionam o movimento autônomo e preciso de braços, pernas e cabeça, e seu corpo é capaz de transmitir o humor do seu operador.

Yoshifuji também estudou os movimentos de dançarinos e mímicos durante um festival no Japão e incorporou o sentimento e a delicadeza dos movimentos ao robô.

Os detalhes sobre a tecnologia usada e os recursos da OriHime são muito escassos, mas o projeto do estudante já ganhou um prêmio, o Waseda x Rohm Manufacturing Prize, ajudando a conectar amigos distantes. Kentaro Yoshifuji planeja, em um futuro próximo, corrigir alguns problemas apresentados em seu robô.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.