O aplicativo gera um teclado virtual exclusivo para cada usuário

Por Fernanda Morales

Muitos estudantes preferem esquecer que faculdade e livros existem durante suas férias, mas não Adam Duran, que escolheu seu período de férias para transformar um tablet em um digitador de Braille.

Duran decidiu passar dois meses no Centro de Pesquisas de Computação da Universidade de Stanford , onde ele junto com seus mestres desenvolveu um aplicativo que torna a digitação mais fácil para pessoas com deficiência visual.

Um vídeo, em inglês, produzido pela Universidade de Stanford mostra o aplicativo em ação e pode ser conferido abaixo

Segundo o Engadget , o aplicativo funciona de forma bem simples: o usuário deve colocar suas impressões digitais sobre a tela de touchscreen e o aplicativo irá gerar um teclado logo abaixo dos seus dedos. O mais interessante é que o aplicativo gera as teclas do teclado virtual de acordo com o tamanho dos dedos de cada usuário, não importa o quão grandes ou pequenos eles forem.

O aplicativo acompanha a digitação do usuário soletrando em voz alta todas as letras que foram digitadas. Por enquanto, o projeto ainda está em desenvolvimento, mas pode se tornar uma opção muito mais econômica do que os já conhecidos digitadores em Braille, que custam em média US$ 6 mil (R$ 10,4 mil).

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.