Estudo desenha detalhadamente o presente estágio dos dois promissores mercados

Por Guilherme Abati

Devida às importantes inovações, tablets e eReaders vêm ganhando cada vez mais espaço no mercado mundial.

No setor de tablets, o iPad da Apple é o dispositivo que dita os rumos da categoria que a cada ano gerará mais receita para os envolvidos. Entretanto, a Apple não está sozinha e sua posição também não é tão *confortável *quanto se pensa. Os concorrentes da Apple, que de acordo com um recente estudo, poderão até superá-la em 2015, apresentam boas opções de tablets, com acessibilidade, funcionalidades e opções de redes.

A consultoria norte-americana Mintel divulgou nessa semana um estudo sobre o atual estágio da indústria, sobre vendas e receitas, sobre a concorrência enfrentada pela Apple, e sobre o mercado de ereaders dominado pela Amazon.

O tamanho do mercado de tablets e ereaders

Desde o lançamento do Kindle da Amazon no fim de 2007 e do iPad em 2010, ambos os setores de tablets e ereaders tornaram-se parte constituinte dos mercadores que movimentam enormes montantes de dinheiro. No ano passado, uma estimativa apontou que 10,3 milhões de tablets e que 6,7 milhões de eReaders haviam sido vendidos.

Quanto aos eReaders, o setor é dominado pelo popular Kindle da Amazon, seguido pelo gadget da concorrente Barnes & Nobles, o Nook

Ambas as tecnologias ainda estão em fase de adoção, segundo o estudo, e cerca de 10% dos consumidores de tablets e ereaders afirmam possuir os dois aparelhos. A maioria do público consumidor dos dois dispositivos é branca, jovem, homem e influente. Famílias com crianças também são grandes compradoras desses dispositivos, já que utilizam o tablet como ereader e também como formas de lazer para os filhos. O estudo apontou que 22% das famílias estudadas possuem algum ereader em casa, 12% tem tablet.

Enquanto as vendas do setor crescem notadamente, o estudo mostra também que ele é ainda frágil a mudanças e crises econômicas. Qualquer problema econômico pode fazer com as vendas e o faturamento das empresas de tecnologia congele e até caia, uma vez que em um cenário de recessão os usuários podem recorrer a dispositivos com características mais variadas.

É o caso do eReader, dispositivo de alto valor e dedicado principalmente à leitura. Em caso de crise, os consumidores podem recorrer aos smartphones para realizarem a leitura de livros, jornais e revistas.

Porém, o estudo mostra um futuro confortável para o mercado de eReaders, já que dispositivos baratos (o Kindle 3, com 3G e WiFi, sai hoje por 180 dólares) ainda serão procurados e atraentes aos olhos do consumidor padrão.

Onde está a competição?

Com o amplo leque de funções e funcionalidades, os tablets competem com diversos dispositivos semelhantes, incluindo smartphones e laptops. Em decorrência, os tablets são considerados gadgets completos e valem os altos preços praticados pelo mercado. Por outro lado, o estudo não aponta a possibilidade dos tablets virem a substituir os PCs tradicionais a curto prazo.

Os eReaders, por sua vez, enfrentam uma ameaça diferente e ainda mais perigosa do que a enfrentada pelos tablets: revistas, jornais e livros impressos, que ainda são e serão por bastante tempo uma grande força. Outra barreira é a competição existente com os próprios tablets que disponibilizam aplicativos para a leitura, como é o caso do iBook do iPad e com smartphones e PCs, os quais também contam com dispositivos para leitura. Hoje, publicações impressas correspondem a 93% do mercado, sobrando apenas 7% para os livros eletrônicos.

As maiores empresas do mercado

Embora as maiores empresas do mercado não muito frequentemente publiquem dados de vendas e de faturamento para comparações apuradas, pode-se afirmar que a Apple e a Amazon são as líderes em seus respectivos setores.

A Apple lidera o mercado tablet, tendo vendido até agora 15 milhões de unidades do iPad e do iPad2.

Entretanto, muitos competidores despontam no setor. É o caso da Samsung e da Motorola. Conforme notícia anterior , a concorrência sofrida pela Apple em decorrência do crescimento dos tablets com sistema operacional Android pode ser perigosa para a empresa de Steve Jobs. Um estudo afirma que em 2015 a Apple não mais será a líder do mercado de tablets.

No caso dos eReaders, a competição é acirrada apenas entre o Kindle da Amazon e o Nook da Barnes & Nobles.

Siga o iG Tecnologia no Twitter Siga o iG Tecnologia no Twitter

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.