Dono da empresa de antivírus comentou que ataques como Stuxnet e DuQu são o início de um futuro com ciberataques de militares

Eugene Kaspersky, fundador e CEO da empresa de antivírus Kaspersky, comentou nesta sexta-feira (25/11) os recentes ataques de vírus que coletam informações confidenciais, como Stuxnet e DuQu . Segundo o fundador, os ataques foram desenvolvidos por serviços secretos e esse é o início de um futuro com ciberataques de militares e terroristas.

Kaspersky afirmou que muitos cibercriminosos não são julgados, e sim contratados por serviços secretos para atacar outros governos. O executivo comentou também a contratação de hackers que atacam empresas, e disse que a Kaspersky não tem esse tipo de conduta. De acordo com ele, os desenvolvedores de antivírus são melhores que os cibercriminosos, pois “atacar é mais fácil que defender”.

O dono da empresa de antivírus também não concorda com ataques de grupos de hackers como Anonymous e Lulzsec , comparando esses grupos a “hooligans que depredam as ruas”. Kaspersky diz que somente a justiça pode julgar o que é certo e o que é errado e que os ataques que esses grupos fazem são contra a lei.

Questionado sobre a declaração de um engenheiro do Android, que chamou empresas de antivírus de charlatãs , Kaspersky disse que ainda é mais fácil atacar computadores, mas que as ameaças, principalmente para Android, estão crescendo. Segundo ele, foram detectados até agora 4.750 vírus para o sistema.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.