Em palestra no iG Digital Day, Steve Rosenbaum ressalta a importância da qualidade da informação

Steve Rosenbaum falou sobre curadoria de informação na web durante o iG Digital Day
Fotoarena
Steve Rosenbaum falou sobre curadoria de informação na web durante o iG Digital Day
A curadoria de informação na web foi o tema da palestra do pesquisador Steve Rosenbaum, autor do livro Curation Nation, no iG Digital Day, evento que ocorre nesta quarta-feira (28) em paralelo ao Digital Age.

Segundo Rosenbaum, um dos grandes problemas da web hoje é o excesso de informação. Ele citou o YouTube como exemplo do excesso de conteúdo atualmente disponível na rede. "O YouTube recebe 45 horas de vídeo por minuto. Isso significa que, para assistir a tudo que o YouTube publica em um dia, levaríamos oito anos", disse.

A boa notícia, segundo Rosenbaum, é que este problema de excesso de conteúdo pode ser transformado em uma oportunidade de negócios por empresas que apostem na curadoria de informação. "Não creio que ninguém queira mais informação na web. Já está tudo nela, e em excesso. Acredito que o que tem valor atualmente é a informação focada e contextualizada", afirmou.

Para o pesquisador, uma forma de aproveitar isso é repensar o modelo de negócios online de empresas e remodelar sites corporativos. "Se sua empresa vende, por exemplo, painéis solares, por que não transformar o seu site numa fonte de referência sobre esse assunto, em vez de apenas expor seus produtos?", questionou.

Empresas como GE e Pepsi, segundo Rosenbaum, são algumas das que apostam na curadoria de informação como forma de aumentar o reconhecimento de marca na web. De acordo com o pesquisador, a curadoria é uma atividade essencialmente humana, e não pode ser bem executada por máquinas. "Volta e meia alguém me fala que tem um algoritmo para automatizar a curadoria. Para mim, essa curadoria automatizada é algo totalmente contraditório", disse.

Rosenbaum afirmou ainda que as empresas devem aprender a engajar seus clientes, mesmo que estejam insatisfeitos, em vez de tentar calar os usuários. Ele citou o exemplo de empresas cuja reputação é manchada por apenas um vídeo publicado por um usuário. "Em vez de deixar que um cliente insatisfeito publique um vídeo no YouTube, crie você mesmo um canal para upload de vídeo no seu site. Assim, você recebe o vídeo com a queixa, entra em contato com o cliente, pede desculpas e oferece um benefício. Dessa forma, você reconquista o cliente e, melhor ainda, evita que o vídeo dele vá parar no YouTube."

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.