Arquivo com dados pessoais que pode ser baixado pelo site agora inclui dados como pedidos de amizade e número IP dos computadores

Em uma tentativa de reduzir as críticas em relação a privacidade dos usuários, o Facebook anunciou hoje que ampliará o acesso dos internautas aos dados que eles armazenam na rede social. Por meio da ferramenta "Baixe suas informações", os usuários poderão baixar arquivos de todas as informações que o Facebook guarda, inclusive arquivos de monitoramento de atividades online (cookies).

LEIA TAMBÉM:
Punição ao Facebook reacende debate sobre privacidade
"Nunca compartilhamos dados pessoais dos usuários com anunciantes", diz Facebook

Usuários poderão baixar todas as informações pessoais que o Facebook guarda
Reprodução
Usuários poderão baixar todas as informações pessoais que o Facebook guarda
Os novos recursos da ferramenta que permite baixar todas as informações do perfil na rede social serão atualizados aos poucos para os mais de 800 milhões de usuários. O download das informações a partir do Facebook já foi motivo de polêmica, quando o estudante alemão Max Schrems baixou o arquivo e percebeu que muitas das informações que ele já havia deletado continuavam armazenadas nos servidores da empresa.

Segundo o Facebook, o arquivo é maior do que o que era oferecido até agora. O arquivo que o Facebook oferecia até agora era composto de fotos do usuário, mensagens publicadas, listas de amigos e conversas por meio da ferramenta de chat. A nova versão inclui nomes de usuários já utilizados, pedidos de amizade e endereços IP de máquinas pelas quais o usuário acessou o Facebook. Mais categorias de dados serão incluídas no futuro.

Para baixar o arquivo com todos os dados vinculados ao perfil no Facebook, o internauta deve acessar as configurações de conta. Na primeira página, há um link "Baixe uma cópia de seus dados no Facebook". Ao clicar, o site gera um arquivo com todos os dados.

Pressão na Europa motiva mudanças

Depois de ser considerado culpado pelo caso que envolveu o estudante alemão , o Facebook foi obrigado pela Comissão Irlandesa de Proteção a Dados, entidade que fica no mesmo país que a filial europeia do Facebook, a melhorar suas políticas de privacidade até julho de 2012. "É bem-vindo que o Facebook amplie o acesso dos usuários aos dados, mas ainda não está agindo conforme à Lei europeia de proteção a dados pessoais", disse Schrems, o estudante que venceu o processo contra o Facebook.

No final do ano passado, o Facebook também fez um acordo com a Federal Trade Comission (FTC), órgão do governo americano, para solucionar as acusações referentes a violações de privacidade dos usuários. A rede social aceitou que auditores independentes tenham acesso aos seus bancos de dados por 20 anos, como forma de garantir que o Facebook não está usando as informações de seus usuários de maneira indevida.

    Leia tudo sobre: facebook
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.