Em entrevista por e-mail ao iG, diretora global de comunicação do Facebook comentou acordo realizado com FTC, mas negou abusos

Mesmo depois de a Federal Trade Commission (FTC), órgão do governo americano que regula privacidade de internautas, anunciar um acordo que permitirá que o órgão faça auditorias independentes na rede social pelos próximos 20 anos, o Facebook continua a negar que compartilhou informações sem o consentimento dos usuários. "Nunca compartilhamos informações pessoais dos usuários com anunciantes", disse Debbie Frost, diretora global de comunicação do Facebook, por e-mail ao iG .

LEIA TAMBÉM:
Facebook admite erros e faz acordo sobre privacidade nos EUA
Como controlar sua privacidade no Facebook
Punição ao Facebook reacende debate sobre privacidade

Facebook faz acordo com FTC e terá auditorias durante os próximos 20 anos
Getty Images
Facebook faz acordo com FTC e terá auditorias durante os próximos 20 anos
Com o acordo , divulgado no início da semana passada, o Facebook terá que mostrar seus bancos de dados de usuários e seus registros de sistema para os auditores, de modo que eles possam verificar se a rede social respeita a política de privacidade divulgada em seu site. A rede social também está proibida de fazer declarações falsas sobre privacidade e de compartilhar qualquer dado com terceiros sem o consentimento expresso dos usuários.

De acordo com Debbie, o acordo com a FTC não muda nada na relação aos anunciantes do Facebook, nem no tratamento que o Facebook dá aos dados dos usuários. "O acordo com a FTC significa que estamos assumindo um compromisso claro e de longo prazo para fazer aquilo que sempre fizemos: dar aos usuários ferramentas para controlar quem pode ver suas informações."

Apesar de o acordo não impactar em como o Facebook trata as informações de usuários brasileiros , Debbie afirmou que trabalha em conjunto com o governo brasileiro "para informar quais são as políticas e termos de privacidade adotados pelo Facebook". Para ela, a preocupação com a privacidade dos dados é normal conforme a rede social cresce. "Estamos tentando ouvir de perto as pessoas que usam o Facebook."

Zuckerberg assumiu culpa

O próprio Mark Zuckerberg, fundador e CEO do Facebook, assumiu que o Facebook "cometeu erros" com relação à privacidade dos usuários. "Sou o primeiro a admitir que cometemos vários erros, mas um pequeno número de erros muito divulgados acabou escondendo o bom trabalho que fizemos", disse o executivo em comunicado por meio do blog da rede social. Zuckerberg também frizou que a rede social ganhou mais de 20 novas ferramentas de controle de privacidade nos últimos 18 meses.

    Leia tudo sobre: facebook
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.