Queda acontece depois de dois trimestres de crescimento nas vendas

Venda de computadores caiu 5,9% ante o mesmo período do ano passado
Getty Images
Venda de computadores caiu 5,9% ante o mesmo período do ano passado
As vendas mundiais de computadores caíram 1,4% no quarto trimestre de 2011, principalmente devido à baixa demanda na Europa Ocidental e Estados Unidos, de acordo com o grupo de pesquisa Gartner. "Depois de dois trimestres de crescimento positivo, os embarques mundiais de computadores ficaram em 92,2 milhões de unidades no quarto trimestre", informou o Gartner na quarta-feira.

As vendas de computadores na Europa, Oriente Médio e África foram de 29,8 milhões de unidades, queda de 9,6% ante o mesmo período em 2010, enquanto nos Estados Unidos, onde os consumidores deram preferência a tablets de mídia e celulares inteligentes, e não a computadores, a queda foi de 5,9%.

O Gartner disse que o crescimento no mercado empresarial e nos países emergentes não havia bastado para compensar a lentidão nos mercados maduros. "A grande surpresa foram os EUA. Esperávamos estagnação mas não queda", disse David Daoud, analista do IDC. "É o pior desempenho desde o quarto trimestre de 2008, logo depois da quebra do Lehman Brothers", afirmou, se referindo ao colapso do banco de investimento.

Daoud atribuiu a queda às enchentes na Tailândia em outubro, que provocaram uma escassez de discos rígidos, e à baixa confiança entre os consumidores.

Mas o Gartner disse que a escassez teve efeito limitado sobre os embarques e preços do quarto trimestre, e que exerceria grande impacto apenas na primeira metade de 2012. Entre os fabricantes, a HP manteve o primeiro posto apesar de uma queda de vendas de 16,2% ante o quarto trimestre de 2010.

A queda se deveu à confusão do mercado quanto às suas operações de computadores, afirmou o Gartner, afirmando que os preços agressivos dos concorrentes, combinados à demanda fraca por computadores na temporada de festas de fim de ano, também influenciaram o resultado. O Lenovo, da China, mostrou o maior avanço no trimestre, com 23% de alta nas vendas.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.