Sensor mede quanto você gasta de calorias, horas de sono entre outros hábitos

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=tecnologia%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1597125085539&_c_=MiGComponente_C


Por Stella Dauer

Você sente curiosidade em saber quanto anda por dia? Quanto gasta de calorias por dia? E quanto dorme por dia, parece uma informação útil? Talvez até não interesse a você esse tipo de informação, mas talvez interesse saber como melhorar sua qualidade de vida, e esse interessante gadget chamado Fitbit pode te auxiliar nessa tarefa.

Getty Images
Fitbit calcula informações sobre sua saúde

O Fitbit é um sensor com bonito design e que, quando acoplado ao corpo, consegue calcular informações ao longo do dia e sincronizar tudo em um site que mostra, em gráficos, como anda a sua vida.

Design

Ele é lindo, os fabricantes se preocuparam com o design dele. Simples, ele é apenas um clipe de plástico preto suavemente emborrachado. Por dentro ficam os contatos e plástico azul claro. Ele é super discreto, você nem vai notar a presença dele. Ele é tão pequeno e tão leve que some colado ao seu corpo. São apenas 12 gramas e medidas de 5,5 por 1,8 centímetros.

Há apenas um botão que serve para navegar pelos dados que o Fitbit fornece e também para iniciar e parar atividades. Esse botão ativa um display LCD azul de uma polegada que fica por trás do plástico preto emborrachado. O manual sugere que o Fitbit seja afixado próximo ao corpo, dentro de algum bolso ou nas roupas íntimas, e no tronco para medir melhor o movimento. O clipe é apertado e fixa bem em qualquer lugar.

Acessórios

Na pequena caixa de acrílico do Fitbit encontrei o aparelho, um clipe para afixá-lo em roupas mais largas, uma pulseira de tecido para a fixação na hora de dormir e uma base com cabo USB para transferir os dados para o computador e carregar o dispositivo.

Testando o bichinho

A primeira coisa a fazer é entrar no site fitbit.com e realizar seu cadastro, colocando já seus dados básicos como peso, idade, sexo, etc. Depois, baixe o aplicativo para seu sistema e registre o Fitbit nele, seguindo as instruções. Daí, é só afixar o aparelhinho em qualquer lugar fixo do corpo, como roupas íntimas ou bolsos. Melhor não deixar nos membros porque ele pode balançar demais e fazer medições imprecisas.

Durante o dia você pode conferir como está seu desempenho em passos, distância percorrida e calorias gastas. Uma animação que simula uma florzinha crescendo mostra o quanto de atividade você já fez em 24 horas. E se você for realizar alguma atividade especial ¿ qualquer coisa como correr, fazer alongamento, nadar ¿, basta manter o botão pressionado até aparecer a palavra Start. Assim, o Fitbit sabe que você está fazendo algo diferente e depois é só passar no site e dar um nome àquele momento.

Não é preciso fazer nada para passar os dados para o computador. O aparelho detecta quando você está perto do PC e automaticamente sincroniza pela internet, sem precisar tirar ele do corpo. Infelizmente, por não ser um equipamento profissional, às vezes ele pode dar uns tropeços nas medições, exagerando para muito os passos dados, distância percorrida e calorias gastas.

O site é o cérebro das operações. É nele que você vai consultar gráficos, listas e gravações dos itens que o Fitbit acumulou e organizar as atividades do dia. Além dos dados captados pelo aparelho, você também pode ¿ e deve ¿ colocar mais dados, como o que comeu, como está seu humor, como foi seu dia e outros dados médicos tirados de exames de sangue, balanças e medidores de pressão.

É um pouco complicado preencher a área de alimentos consumidos, já que a base de dados é toda de produtos americanos, mas com um esforço dá pra adaptar para nossa dieta. Uma vez por semana você recebe um email com seu desempenho semanal, mostrando o melhor e o pior dia da semana, os dados dos amigos e uma média de todas as atividades feitas.

A bateria dura tranquilamente uma semana. Basta checar no site cada vez que o Fitbit fizer um update, pois junto com seus dados vai também o nível da bateria. Quando ela estiver muito baixa, baixa encaixar na base e largar lá por umas duas horas que ele já está pronto para outra.

Hora de dormir

Quando você vai descansar o Fitibit assume uma nova função, e passará a atuar como medidor de qualidade e tempo de sono. Para isso basta afixar a pulseira de pano que vem na caixa ao pulso, e colocar o gadget na bolsinha indicada.

Ao deitar você mantém o botão de atividade apertado e o Fitibit sabe que você foi dormir. Os dados dele são baseados nos movimentos que fazemos enquanto dormimos, e que indicam o quão profundo está nosso sono. É possível escolher entre o sensor mais sensível e o normal.

Os testes foram interessantes. Segundo ele eu passei oito horas e meia na cama, mas levei meia hora para dormir, acordei 12 vezes durante a noite e só dormi mesmo três horas e meia. Isso significa que nem sempre deitar na cama e dormir quer dizer que você realmente descansou.

Redes sociais e versão mobile

E como não poderia deixar de ser nos dias de hoje, há a possibilidade de compartilhar alguns de seus dados coletados nas redes sociais, em site como Facebook e Twitter. Considero um pouco pessoal demais ficar postando ao vento quanto você comeu, o quanto dormiu ¿ que pode te custar um emprego ¿ e o que mais fez durante o dia, mas pra quem gosta de escancarar a vida, é um prato cheio.

Ele também tem conexão direta com o serviço Google Health, e pode transferir automaticamente algumas informações para esse site. Dados como peso, sono e calorias vão parar lá sem nenhum esforço, concentrando toda a informação necessária em um só lugar.

No site do serviço você pode convidar amigos (que tenham o gadget ou não) para competir em exercícios, perda de peso e outros dados. Um incentivo social para cumprir seus objetivos. E acessando m.fitbit.com você pode atualizar e consultar dados através do celular, evitando um aplicativo específico para cada sistema operacional de smartphone.

Para quem é mesmo louco por dados há a opção de assinar uma conta Premium, no valor de US$50 anuais. Essa conta faz uma análise mais profunda dos seus dados e indica programas de exercícios e dietas equilibradas, além de um consultor para melhorar seu sono. Não é muito indicado para o Brasil, já que as dicas serão para o dia-a-dia americano.

Muito legal!

Resumindo, o Fitbit é um gadget muito legal. Se você procurar, vão existir dezenas de dispositivos que fazem mais do que ele, que são mais completos e mais profissionais. Mas eles também são mais caros, mais difíceis de mexer e com um número de informação que provavelmente vai acabar te cansando.

O Fitbit é um aparelhinho para quem quer conhecer mais sobre si e sobre seus hábitos e quer um empurrãozinho para começar a se mexer mais, além de acabar escolhendo um equipamento mais barato e muito bonitinho. Vale lembrar que ele não atua por si só, sendo preciso colocar mais dados além dos que ele capta para ter um resumo completo da sua vida.

Só lá fora!

O Fitbit é um projeto de uma equipe que apostou no aparelhinho e começou com uma pequena produção, que rapidamente se esgotou. As tiragens seguintes também foram esgotando, o negócio se tornou um sucesso!

Talvez por ainda serem inexperientes e não terem conhecimento para expandir o negócio, o Fitbit só é entregue nos Estados Unidos. Não adianta ter cartão internacional se o endereço de entrega for fora da terra do Tio Sam. Uma pena, porque com certeza venderia bem mais se fosse importado.

Prós:

¿ Conexão sem fio;

¿ Site que complementa os dados do gadget;

¿ Muito fácil de mexer e interpretar;

Contras:

¿ Não vende no Brasil e por isso é todo baseado nos EUA;

¿ Poucas informações;

¿ Entrega dados errados às vezes;

Fitbit

Preço: US$100

Siga o iG Tecnologia no Twitter Siga o iG Tecnologia no Twitter

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.