Segundo vice-presidente da empresa, estratégia das empresas de adquirir patentes tem objetivo de aumentar custo do Android para fabricantes

Em meio a guerra entre os fabricantes de smartphones e sistemas operacionais, o Google atacou hoje a Microsoft e a Apple de usar patentes para prejudicar o sistema operacional Android. As empresas, por meio de um consórcio que inclui ainda RIM, Sony Ericsson e EMC, compraram 6 mil patentes da Novell e da Nortel no final de julho por US$ 4,5 bilhões.

Siga o iG Tecnologia no Twitter Siga o iG Tecnologia no Twitter

"O sucesso do Android rendeu uma campanha organizada pela Microsoft, Oracle, Apple e outras empresas contra o Android, travada por meio de patentes", diz David Drummond, vice-presidente sênior e diretor jurídico do Google, em mensagem no blog oficial. O Google chegou a fazer uma oferta pelo grupo de patentes da Nortel , mas não conseguiu obtê-las.

A empresa também acusa a Microsoft de cobrar caro para licenciar as tecnologias patenteadas para os fabricantes que adotam o Android. Recentemente, a fabricante do Windows processou a Samsung por usar patentes do Android e exige receber US$ 15 por aparelho. "Elas tentam tornar mais caro para os fabricantes licenciar o Android do que o Windows Mobile", diz Drummond.

Segundo Drummond, ao desenvolver um smartphone, os fabricantes recebem cerca de 250 mil solicitações de direitos sobre patentes de tecnologias. "Em vez de competir ao criar novos sistemas e aparelhos, eles estão lutando por meio de litígio", diz Drummond no blog, que classifica as ações dos concorrentes como "anti-competitivas".

O executivo do Google também afirmou na mensagem que a empresa lutará contra os competidores para "manter o Android como uma opção competitiva para os consumidores". A empresa já acionou o Departamento de Justiça dos Estados Unidos para que o governo "force o consórcio a licenciar as patentes de forma justa". Além disso, a empresa afirma estar trabalhando para aumentar seu portfólio de patentes.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.